KTM 790 Duke (protótipo) apresentado na EICMA

Será este um reposicionamento da marca Duke dentro da KTM, uma mudança de estratégia ou apenas um exercício de estilo?

Veja o protótipo 790 em acção:

Saiba mais

A KTM com a gama Duke já cobre practicamente todos os segmentos de baixa e média cilindrada: 125, 250, 390, 690, todas com motores monocilíndricos.

Agora, e confirmando os rumores que já se espalhavam há algum tempo, a KTM apresenta um protótipo de um motor bicilíndrico paralelo, de 790cc, em estado de desenvolvimento muito avançado. A par com ele, apresenta também uma nova moto que eleva a fasquia em termos de design, simplicidade e eficácia dinâmica para níveis muito superiores.

Segundo afirma o comunicado oficial, para criar esta moto os engenheiros da marca saíram literalmente da caixa e, para conseguir padrões de leveza e de manobrabilidade ainda maiores do que aqueles que tipificam os modelos da marca laranja, tornaram os seus cálculos e soluções ainda mais radicais.

O novo motor foi criado a partir de uma folha em branco. Chamam-lhe LC8c, com o pequeno "c" a salientar o formato compacto do bloco bicilindrico paralelo que quase o deixa ser confundido com um mono, e que, segundo os rumores, pode vir a debitar mais de 100cv, até um máximo de 130cv! Os rumores indicam que haverá também uma versão de 500cc do motor bicilíndrico.

Depois, instalaram-no num quadro fabricado à medida e à mão, em treliça de tubos de aço (what else?), e puseram o conjunto em cima de suspensões WP de última geração que ainda podem ser consideradas, também elas, protótipos. A receita termina com um subquadro maquinado em alumínio.

A electrónica é uma espécie de incubadora tecnológica, composta por software e hardware assentes em tecnologia experimental que assegura um novo “ride-by-wire”, ajudas à condução que permitem personalizar facilmente o controlo de tracção e os mapas do motor, e ainda oferece conectividade integrada de uma completamente nova geração e grande potencial.

O design é obviamente assinado pela KISKA, e envolveu impressoras 3D na produção tanto do sistema de escape como dos “T´s” da mesa de direcção. 

A sua presença em lugar de destaque no stand da marca na EICMA, assumindo o papel de estrela do evento, deixa antever que toda esta tecnologia é muito importante para o futuro da KTM, e não só!

A Husqvarna, cujo capital está em grande parte nas mãos da casa Austríaca, pode vir a ser uma das grandes beneficiadas, pois há muitos rumores sobre uma moto de aventura vinda da Suécia, dotada de uma motorização de, precisamente, 800cc.

E não é de menos pensar que, por alguma razão, as tão esperadas Vitpilen e Svartpilen, foram agora apresentadas e vão ser produzidas com os motores 390 da KTM, quando inicialmente tudo dava a entender que teriam uma maior cilindrada.

Será que o futuro vai ser cada vez mais laranja?

AdM @ 16-11-2016 09:36:00


Mais