BMW HP4 Race - a anti-Ducati Superleggera!

A BMW Motorrad acaba de apresentar, com todos os detalhes, a sua nova Superbike, um ataque cerrado à liderança do segmento das Hyperbikes!

andardemoto.pt @ 19-4-2017 23:58:45 - Texto: Rogério Carmo

Um quadro integralmente fabricado em fibra de carbono e uma ciclística de luxo, numa edição limitada a 750 unidades numeradas, são os principais ingredientes de uma receita infalível. Mas isso já se sabia!

Na sua enigmática apresentação no último Salão de Milão, em 2016, a BMW não revelou practicamente nada sobre o protótipo apresentado (pode ver aqui a notícia que então publicámos).

A sua principal preocupação foi fazer saber que está a investir fortemente nos meios de produção em série de componentes, estruturais e não só, em fibra de carbono, conseguindo assim reduzir custos e generalizar a sua aplicação em cada vez mais modelos.

Esperava-se no entanto que esta nova BMW HP4 Race fosse a resposta germânica à elegantérrima Ducati Superleggera (pode saber mais sobre ela se clicar aqui) também ela apresentada no último salão de Milão, mas o que é verdade é que, enquanto que a moto italiana pretende ser uma moto de estrada, esta moto germánica é uma máquina destinada exclusivamente aos circuitos.

Por isso os dados agora revelados eram esperados quase com impaciência pelos mais entusiastas destas coisas da velocidade e da tecnologia. Vamos então a eles:

O Motor

Começa por se confirmar que a BMW HP4 Race estará equipada com o já bem conhecido motor tetraciclíndrico da marca. Mas será montado à mão, numa fábrica em Berlin, por uma pequena equipa de técnicos especialistas, e debita 215cv de potência (o mesmo anunciado para a Superleggera) conseguidos sobretudo à custa de novas árvores de cames e entradas de ar de volume variável, que também influenciam os valor do binário que se cifram em 120Nm (150Nm na Superleggera), capaz de um regime máximo de 14.500rpm.

Para garantir um funcionamento perfeito, válvulas, bielas e pistões são selecionados por peso. Também a cambota é perfeitamente equilibrada e pesa menos 200g que a das versões normais da S1000RR.

A lubrificação também foi revista, sendo usado óleo Shell Advantec Ultimate 0W40, e um novo cárter maquinado que assegura uma alimentação perfeita à bomba de lubrificação. O cirtuito funciona com uma pressão superior, para aumentar o ponto de ebulição, já que o radiador é desprovido de ventonínha.

Este motor, que é fixado ao quadro com parafusos em titânio, já tem a rodagem feita quando é entregue aos felizes proprietários, o que lhes permite irem directos à pista, para desfrutarem imediatamente do novo “brinquedo”.

O sistema de escape também foi redesenhado, apresentando agora uma configuração 4-2-1 sendo integralmente fabricado em titânio, incluindo o colector e flanges de aperto. O desenho da ponteira, revestida a fibra de carbono, foi elaborado no sentido de garantir um equilíbrio de massas optimizado.

As relações de caixa da nova HP4 Race foram recalculadas, com a primeira e segunda a serem mais longas do que as da S1000RR normal, já que o enfoque total é posto num desempenho em pista. Também a transmissão final inclui uma selecção de diferentes pinhões e cremalheiras que permitem adaptar o desempenho aos diversos circuitos.

De série, na HP4 Race a caixa de velocidades vem com o esquema de mudanças invertido, com a primeira a ser engrenada para cima, e as outras para baixo, e claro está, equipada com “quickshifter” integral.


O quadro:

O quadro em fibra de carbono, pesa apenas 7,8kg

O quadro em fibra de carbono, pesa apenas 7,8kg

O quadro, construído integralmente em fibra de carbono, apresenta um peso de apenas 7,8kg, (menos 4kg que o de alumínio da S1000RR) e integra o motor como elemento estruturante.

A BMW Motorrad reclama assim o feito de oferecer a primeira moto de produção industrial em pequena série, com um quadro em fibra de carbono, com recurso a tecnologias que tem vindo a desenvolver desde 2013, aquando do início da produção dos EV’s i3 e  i8.

O sub quadro é também fabricado em fibra de carbono e aperta em 4 pontos estratégicos.

As rodas, também em fibra de carbono, são 30% mais leves que umas normais em alumínio, contribuem para um peso final, a cheio, de 171kg (a Ducati anuncia 168kg para a Superleggera, mas não revela se a seco ou a cheio).

Suspensão

Na suspensão, a BMW esmerou-se. Sem qualquer outro propósito que não o da obtenção de tempos rápidos, a HP4 RACE está dotada de uma forquilha invertida Öhlins FGR 300 com especificações de WSBK, e um curso de 130mm.

O braço oscilante, deliberadamente fabricado em alumínio de alta resistência em alternativa à fibra de carbono, é suportado por um amortecedor Öhlins TTX 36 GP, completamente regulável, que permite um curso de 120mm e ajustes específicos de altura, tanto no topo como na base.

Além do mais, é possível efectuar acertos na geometria da direcção e no braço oscilante, assim como na altura do assento.

Travões

Para garantir uma travagem perfeita, a BMW HP4 RACE está equipada com travões Brembo.

As maxilas dianteiras são monobloco GP4 PR, as mesmas usadas nas Superbikes do mundial, e mesmo até em MotoGP.

Têm pistões em titânio e mordem discos de 320mm com 6,75mm de espessura. A bomba principal também é Brembo, maquinada em alumínio.

Na traseira, um disco de 220mm (com 4mm de espessura) é mordido por uma pinça de 4 pistões também fabricados em titânio.


E a electrónica?

Pois aqui a BMW não deixou cair nenhuma nódoa nos pergaminhos.

E a lista de funcionalidades e dispositivos é tão grande que vamos tentar resumir ao máximo, mais ainda do que temos feito até aqui, pois no total, o “press Kit” tem 23 páginas A4.

Podemos começar pelo painel de instrumentos, de função dupla, por um lado com toda a informação mecânica necessária na “boxe” e por outro, mal se engrena a primeira velocidade, toda a informação necessária ao piloto. 

Além de nele ficarem gravadas as informações de cada momento de cada volta, incluindo os tempos e os dados de GPS, ficam também registadas informações sobre o curso usado pelas suspensões, a pressão aplicada nas manetes, a posição do acelerador e da válvula de admissão, a velocidade de cada uma das rodas, o ângulo de inclinação da moto e a temperatura do líquido de refrigeração.

É também neste painel que o piloto pode selecionar e conferir as configurações do controlo de tracção, do travão-motor, o mapa de motor, e mais uma série de parâmetros, já que a BMW HP4 RACE tem toda a electrónica a que um piloto tem direito, desde o “Launch control” ou controlo de arranque a fundo, até ao “anti-wheelie” ou controlo de cavalinhos, passando pela regulação da suspensão.

Com recurso ao "data logger" toda a informação pode ser copiada para um PC para ser posteriormente analisada.

Para comandar toda a “orquestra”, os punhos estão equipados com comandos semelhantes aos usados em competição, robustos e fiáveis. No lado direito há um botão de Stop (vermelho) um para mudar o modo de motor (azul), e outro para o arranque, que acomula a função de limitador de velocidade de “pit lane” (preto). 

No punho esquerdo, ao alcance do polegar, está o regulador do controlo de tracção e do travão motor, que podem ser, de acordo com as preferências do piloto, atribuídos ao botão verde ou ao botão vermelho. Ao alcance do dedo indicador está um botão amarelo que, em conjunto com o botão azul do polegar, faz a navegação dentro dos diversos menus.

Veja a BMW HP4 Race em detalhe:

Outros "pormenores" que "temperam" a verdadeira exclusividade desta máquina, são o depósito de combustível em alumínio e a bateria de iões de lítio, que em conjunto com uma cablagem eléctrica reduzida ao essencial para a competição, em muito contribuem para a diminuição do peso final.
                           
Muito fica por dizer sobre este verdadeiro compêndio tecnológico, que eleva a fasquia do desempenho de alta performance para níveis impensáveis há apenas 7 ou 8 anos atrás. Mas o que muitos vão seguramente querer saber é qual o preço e a forma de reservar esta verdadeira exclusividade, e isso, a BMW Motorrad ainda não revelou!

andardemoto.pt @ 19-4-2017 23:58:45 - Texto: Rogério Carmo