Colunáveis, políticos e desportistas ‘descobrem’ Portugal com a caravana do 19º Portugal de Lés-a-Lés

O secretário de Estado do Desporto também ficou impressionado com a organização e com as belezas do nosso país.

andardemoto.pt @ 18-6-2017 14:01:24

Foi “Um País diferente, realmente pouco conhecido e com pormenores deslumbrantes” que deixou Nuno Laurentino rendido aos encantos do Portugal de Lés-a-Lés e do “mototurismo enquanto conceito de descoberta”.

O nadador e triatleta do SL Benfica, que tirou a carta de moto propositadamente para participar nesta aventura que a Federação de Motociclismo de Portugal levou a cabo pelo 19.º ano e que hoje ontem, dia 17 de Junho de 2017,  em Faro. 


Nuno Laurentino no Portugal de Lés-a-Lés

Nuno Laurentino no Portugal de Lés-a-Lés

Nuno Laurentino destacou ainda “o ambiente fantástico, de grande companheirismo, diversão e solidariedade, assim como a excelência da organização que move a caravana de milhares de motociclistas através do País, este ano ligando Vila Pouca de Aguiar a Faro, ao longo de 1164 quilómetros que tiveram ainda passagem pelo Fundão e Elvas.

João Paulo Rebelo, o atleta olímpico em Atlanta-1996 e Sydney-2000, com mais de 130 títulos individuais e mais de 200 recordes nacionais em várias distâncias, acompanhou, a convite do presidente da Federação de Motociclismo de Portugal, o secretário de Estado da Juventude e Desporto, ‘fazendo equipa’ com Carmona Rodrigues e o juiz Rui Teixeira, motociclistas de longa data. 

‘Repetentes’ na maior maratona mototurística do Mundo, o chefe da bancada parlamentar do PCP, João Correia e o deputado Miguel Tiago, o dinamizador da "lei das 125", juntamente com o ex-deputado Rodrigo Ribeiro, o dinamizador da "lei dos rails", voltaram à estrada para “melhor apreciar um País bem diferente daquele que muitas vezes é debatido na Assembleia da República”.


Carmona Rodrigues, Rui Teixeira e Manuel Marinheiro no 19.º Portugal de Lés-a-Lés

Carmona Rodrigues, Rui Teixeira e Manuel Marinheiro no 19.º Portugal de Lés-a-Lés

No enorme pelotão com mais de 1800 motociclistas, contavam-se ainda mais dois desportistas com longas e profícuas carreiras nas duas rodas, agora atraídos pelos encantos turísticos de Portugal. Habituados às exigências físicas exponenciadas pelas elevadas temperaturas como as que se fizeram sentir ao longo dos últimos quatro dias, entre Vila Pouca de Aguiar e Faro, Cândido Barbosa e Miguel Farrajota recordaram “o sofrimento que era correr de moto ou de bicicleta com estas temperaturas”.

Para o recordista de triunfos em etapas nas corridas nacionais – 123 incluindo 25 na Volta a Portugal – “pedalar pelas Beiras ou Alentejo nos meses mais quentes roubava o discernimento e, mesmo com enormes cuidados com a hidratação, as dores musculares e a dificuldade de raciocínio são impedimentos na competição”.

Participante assíduo no Lés-a-Lés desde 2011 aproveitou mais uma edição para recordar estradas onde pedalou rumo a carreira de enorme sucesso ao mais alto nível, com ponto alto com a camisola da Banesto, então uma das mais fortes equipas do pelotão internacional.

Já Miguel Farrajota, detentor de títulos de campeão Nacional em Motocross, Supercross, Supermotard, Enduro e Raides Todo-o-Terreno e estreante na grande travessia de Portugal, lembrou as presenças nas provas africanas, incluindo o Rali Dakar, “onde a condução era muito desgastante quando a temperatura subia em demasia”.

Agora com uma rápida scooter BMW C650 Sport, bem mais confortável do que as motos com que arrebatou dezenas de triunfos, o algarvio estava definitivamente rendido a este evento mais estradista depois de ter estado presente nas duas edições do Portugal de Lés-a-Lés Off-Road.

andardemoto.pt @ 18-6-2017 14:01:24