Ana Amorim Dias

Ana Amorim Dias

Escritora, advogada, empresária e motociclista

OPINIÃO

Andar de mota é andar de alma ao léu

“Vá lá, vá lá, vá lá, não te ponhas ainda!” Ri-me. “Tu és esperta, a querer mandar no Sol...”
Ia fresca e feliz, a beber os raios do ocaso como se fossem o néctar da própria imortalidade.

andardemoto.pt @ 12-9-2018 15:09:29 - Ana Amorim Dias

“Bolas, se não captar o momento em imagem, as palavras perderão metade do sabor...”
Parei-a na berma da estrada e enquadrei-lhe a silhueta com os últimos raios de mais um dia a acabar.

Montei-a de novo e sorri. De boca fechada, claro, que já engoli insetos suficientes para me poder permitir tal descuido.
“Devia comprar um descapotável para andar assim ao léu, mas sem capacete...”


Nas curvas daquela luminosidade perfeita, esse novo conceito apresentou-se-me ele próprio como uma nova luz: “É que é mesmo: andar de mota é andar de alma ao léu, é andar nu de tudo o que é supérfluo e respeitar a essência...”

Não consegui evitar perguntar-me à essência o que nos apetecia fazer a seguir... e foi assim que me vi, pouco depois, a receber a noite no mar.


Outros artigos de Ana Amorim Dias:

andardemoto.pt @ 12-9-2018 15:09:29 - Ana Amorim Dias