Teste BMW K1600GTL - Classe Executiva

Uma moto exclusiva destinada a proporcionar viagens de sonho, com um conforto e um comportamento dinâmico excepcionais.

AdM @ 4-9-2017 20:44:52 - Texto: Rogério Carmo | Fotos: ToZé Canaveira

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

BMW K 1600 GTL | Moto | Tour

Desde 2011, quando as primeiras BMW K1600 GTL chegaram a Portugal, que tenho sido bastante íntimo deste modelo mega turísticos germânico.

A primeira versão acompanhou-me ao longos de alguns milhares de quilómetros, sob várias condições climatéricas, a solo e com passageiro, com muita e pouca bagagem, por todo o tipo de caminhos, espalhados pela península Ibérica, tendo-me deixado rendido à sua competência de verdadeira "papa léguas".

Foi, por isso, num clima de reencontro que agora me sentei aos comandos desta versão de 2017, que conta com importantes alterações que a tornam ainda mais apta, para cumprir com distinção, a tarefa de nos levar muito longe, muito rápido.

O que realmente define a capacidade turística de uma moto, é a sua habilidade em poupar energia ao condutor, por via de um excelente conforto, de uma elevada facilidade de condução e da confiança que inspira em qualquer circunstância. Já para não falar da capacidade de carga nem no estilo e aspecto com que um motociclista se apresenta à chegada a um hotel ou restaurante minimamente decentes.

E para isso, nesta nova BMW K1600GTL, podemos contar com todas as mordomias, destacando-se a grande novidade que é a marcha-atrás, e o farol adaptativo que mantém o foco de luz de Xénon sempre paralelo ao asfalto.

No entanto, outros “pormenores”, como o controlo automático de velocidade, os assentos e punhos aquecidos, ou a assistência de arranque em subida, que, sem tocar nos travões, não deixa que a moto “descaia” enquanto um passageiro sobe ou desce, ou quando se pretende reprogramar o GPS ou falar ao telefone, ou ainda o sistema “sem chave” e fecho centralizado das malas, ou a total isenção de manutenção proporcionada pelo veio de transmissão e pelo controlo da pressão dos pneus, fazem toda a diferença, sobretudo quando os quilómetros se começam a acomular no físico e no espírito.

Isto sem descurar o excelente desempenho do  imponente motor de seis cilindros, em linha e colocado em posição transversal, agora já perfeitamente compatível com a normativa Euro4, que se mantém praticamente inalterado, debitando binário mais do que suficiente para rasgar um sorriso em cada "aceleradela", já que de um total de 175Nm, registados às 5250rpm, cerca de 70% da potência está disponível logo a partir das 1500rpm. 

Para melhor se adaptar a cada tipo de situação, existem 3 níveis de potência selecionáveis (Rain, Road e Dynamic) que também interferem com a actuação do controlo de tracção. 

Agora, com uma caixa de velocidades assistida electronicamente com “quick shifter” integral, os 160cv de potência, parecem ainda mais rápidos a subir de rotação, e o ganho em termos de poupança de energia, sobretudo em estradas retorcidas, é notório, garantindo uma condução mais focada nos perigos e traçado da estrada, já que para trocar de relação de caixa basta apenas, e sem mexer o punho do acelerador, ou tocar na manete da embraiagem, pisar ou puxar o pedal das mudanças. Mesmo até à primeira velocidade!


A ciclística também beneficia do novo “pacote electrónico”, que conta com o Dynamic  ESA e o ABS Pro, que se traduzem numa maior segurança e estabilidade, a par com um maior conforto, por via de uma melhor resposta da suspensão, e duma travagem ainda mais eficaz, notando-se o refinamento técnico sobretudo em curva e a altas velocidades, independentemente do tipo de piso ou da inclinação da estrada.

Esteticamente a BMW K1600 GTL também foi alvo de muita atenção. As carenagens foram redesenhadas, tornando as linhas mais fluidas e marcantes, mas tiveram um particular enfoque na melhoria da tão importante protecção aerodinâmica.

Depois de tudo isto, quase que nem é preciso dizer muito mais. Mas não posso deixar de referir que a ergonomia é perfeita e a posição de condução é exemplar. Todos os comandos estão muito bem colocados e são de fácil acesso, e o ecrã regulável em altura permite que cada condutor ajuste a sua altura de acordo com o seu gosto, ritmo e condições meteorológicas. 

O aprumo da ciclística, a leveza e precisão da direcção, a travagem irrepreensível, acutilante mas muito doseável, conferem um elevado prazer de condução, e surpreendem quando se elevam os ritmos de andamento mesmo muito para lá do razoável.

A agilidade do conjunto, mesmo com carga e passageiro, em estradas retorcidas, onde a suspensão dianteira contribui de forma exemplar para a redução do esforço de condução, e para um comportamento quase referencial, assim como a capacidade de aceleração, que torna qualquer ultrapassagem numa explosão de adrenalina, ou a soberba capacidade de travagem, mesmo com piso molhado.

Sendo uma moto concebida para viagens, a BMW K1600 GTL não pactua bem com artérias estreitas e inclinadas, sobretudo se forem em calçada antiga, já que a baixa velocidade, o peso total, que pode chegar aos 560kg, e o pneu traseiro de medida 190, podem facilmente criar situações de instabilidade no equilíbrio, que exigem uma boa dose de experiência para não acabarem mal.

O trânsito compacto também é de evitar. O motor liberta consideráveis quantidades de radiação térmica, pelo que o desconforto faz-se sentir, sobretudo nos dias de mais calor. Durante este teste, numa incursão pelo nosso Alentejo profundo, apanhei temperaturas ambiente de 48º C e posso garantir que não é uma experiência agradável. Sobretudo a circular devagar dentro das nossas belas cidadelas medievais, ou a velocidades elevadas em auto-estrada.



A capacidade de carga e arrumação são enormes, com as malas laterais a conseguirem cada uma guardar um bom capacete modular, e a Top case com capacidade para guardar dois em simultâneo, e ainda os dois pequenos “porta-luvas” nas laterais da carenagem, onde se pode guardar (e carregar) um telefone e a carteira, além dos “tickets” das portagens.

Com um depósito com uma capacidade de 22,5 litros (mais 4 litros de reserva), é necessário algum controlo do punho direito para se conseguirem autonomias superiores a 300km, sendo que em situações de pressa relativa, em auto-estrada, devemos contar com paragens para reabastecimento a cada hora e meia, que é como quem diz, a aproximadamente cada 250km.

Se está a pensar fazer grandes viagens, com passageiro e muita bagagem, e tem dúvidas, sobre se esta é a moto para si, então faça um teste-drive e leve a sua “pendura”. Ela vai de certeza ajudá-lo a decidir!

A versão por nós testada estava equipada com os "Pack" opcionais de Conforto e Segurança, que catapultam o preço base para lá dos 28.000 Euros.

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

BMW K 1600 GTL | Moto | Tour

AdM @ 4-9-2017 20:44:52 - Texto: Rogério Carmo | Fotos: ToZé Canaveira



Últimas notícias