Moto Guzzi a preparar o futuro: V85 é o caminho

A marca italiana quer celebrar o seu centésimo aniversário, em 2021, com uma gama de motos alargada. Novo conceito Classic Enduro aponta a direcção.

andardemoto.pt @ 13-11-2017 14:16:21

A marca de Mandello del Lario apresentou em Milão, na EICMA 2017, o seu protótipo V85. Uma homenagem aos viajantes que não querem parar quando o asfalto termina.

Dotada de um novo motor que debita 80cv, a nova plataforma agora apresentada será a base de desenvolvimento de uma gama de motos que se irá situar entre as suas bem sucedidas gamas V7 e V9, e as cruisers de 1400cc, das quais a X21 é o expoente máximo, e preencher o vazio criado pela descontinuação da Moto Guzzi Stelvio.

Evocando os Rally Raids dos anos 80, onde foi buscar a inspiração para as suas linhas, a V85 quer reflectir esse charme e as respectivas emoções, mas em simultâneo proporcionar um comportamento dinâmico de referência, focado no prazer de condução.

Por isso a marca a apresenta ao mundo como sendo a primeira clássica moderna de Enduro. O seu nível elevado tecnológico, e o carisma do novo motor bicilíndrico em V a 90º com aplicação transversal, de 850cc, que debita 80cv com um elevado binário, identificam-se completamente com a filosofia e a história da Moto Guzzi.

O seu design assenta em proporções calculadas para ser acessível a motociclistas de diversas estaturas e com diversos níveis de experiência. Uma “cintura” estreita, conseguida com um depósito de combustível bastante afunilado, garante um bom acesso dos pés ao chão, enquanto que o generoso assento traseiro proporciona elevado conforto para o passageiro.

O guarda-lamas frontal elevado, e o duplo farol redondo são outros elementos “retro” que recordam as primeiras máquinas da marca a cruzarem o continente africano, como as NTX 650 de 1996 ou a Quota 1000 de 1989. No entanto, a componente tecnológica é grande, e integra elementos “high-Tec” como o painel de instrumentos em TFT, os farolins DRL em LED.

O quadro, completamente novo, é fabricado em tubos de aço e fica ancorado ao motor, que funciona como elemento estruturante, garantindo além de leveza, uma estrutura suficientemente rígida que promove robustez e um comportamento dinâmico de elevado nível.

O braço oscilante, em alumínio, tem uma forma assimétrica, com uma curvatura no lado esquerdo concebida especificamente para permitir a passagem da linha de escape, e assim conseguir manter a moto esguia, e mais apta para contornar obstáculos. Como é apanágio das Moto Guzzi, o lado direito do braço oscilante acolhe o veio de transmissão, também ele completamente redesenhado.
O monoamortecedor traseiro é ancorado diretamente no quadro e possui regulação de pré-carga remota, enquanto que oferece um curso de suspensão bastante grande, consequente com a boa altura livre ao solo, por debaixo do motor, que facilita a passagem de obstáculos.

Este protótipo foi apresentado pela Piaggio, na EICMA 2017, em Milão, como sendo uma base dedesenvolvimento para uma série de novas motos de média cilindrada de diversos tipos, todas elas reveladoras do carácter forte, do estilo e da performance tipicos de uma Moto Guzzi. No entanto, não hove nenhuma referência nem a datas de lançamento nem faixa de preços.

andardemoto.pt @ 13-11-2017 14:16:21


Clique aqui para ver mais sobre: Officina Moto - Notícias




Mais