OPINIÃO

Indian Scout - renascer de um mito

Conjugar história com estilo, prazer e facilidade de condução numa só moto não é fácil. Sobretudo quando se trata de um modelo fortemente implantado no imaginário de uma nação. Mas parece que o mais recente membro da família Indian vai pelo bom caminho.

andardemoto.pt @ 9-8-2015 18:03:18

Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Indian Scout | Moto | MidSize

Texto: Rogério Carmo    Foto: ToZé Canaveira

Desde que a primeira Scout foi apresentada ao público, em Outubro de 1919, então com um motor de 606cc, que a fama e a reputação deste modelo foram crescendo até atingirem proporções pouco comuns no mundo das duas rodas. A Scout ganhou fama de ser uma moto fiável, rápida e altamente manobrável, tendo por isso sido responsável por ter posto muita gente a andar de moto.

Por isso conquistou um estatuto especial tanto na história da marca como na própria história do motociclismo. Das provas de velocidade, às provas de resistência, e passando pelas provas de destreza, o seu nome foi crescendo até se tornar um verdadeiro fenómeno de popularidade.

Mas nessa altura já aquela que é a mais antiga marca de motos americana tinha granjeado a reputação de ser uma marca inovadora, líder em tecnologia. A comprovar o facto, em 1923, a Indian foi o primeiro construtor do mundo a passar a barreira das 250.000 motos fabricadas.

Antes deste teste, na apresentação da Indian à imprensa, aquando da sua chegada ao nosso país, já tinha tido a oportunidade de dar uma voltinha com a Scout, mas bastante mais preocupado em ficar bonito nas fotos do que em desfrutar da sua condução.

Mas agora pude realmente tirar prazer tanto do estilo, como das suas características. E para começar, é inegável que a Scout é mesmo muito fácil de conduzir. O seu equilíbrio é muito bom, com o centro de gravidade bastante baixo, o guiador suficientemente largo, uns espelhos retrovisores úteis e que não vibram, uma brecagem razoável e, para os mais curtos de perna, com um assento realmente baixo que facilita o acesso dos pés ao chão.

Em termos mecânicos, a Scout oferece  uma caixa de velocidades relativamente suave e bem escalonada, com o motor a ser bastante vivo na subida de rotação, e bastante elástico, aguentando bem e sem “bater” nas baixas rotações, tudo isto com um consumo relativamente contido, a rondar os 6l/100km, sem qualquer tipo de preocupação ecológica.


A suspensão também é digna de destaque, sobretudo os amortecedores traseiros que, apesar do pouco curso, garantem uma filtragem muito boa das irregularidades do piso. A travagem também está ao nível do que é comum neste tipo de motos, sendo pouco incisiva na mordida inicial, mas suficientemente eficaz em condução normal.

Claro que, como qualquer “cruiser”, o seu ambiente privilegiado é a estrada aberta. Circular em cidade com a Scout, fá-la revelar todos os defeitos das cruisers e que nesta Indian não são excepção: o calor do motor, a brecagem mais reduzida, o “peso” das manetes, e a posição de condução, mais castigadora da coluna em caso de mau piso. Mas ainda assim, neste capítulo, há motos bastante piores… e nem precisam ser “cruisers”.

E depois há o factor estético. Sou normalmente pouco dado a essa questão, já que sentado em cima delas tenho imensa dificuldade em ver as suas linhas, mas neste tipo de motos, já que tenho que abdicar de certos parâmetros que para mim são mais importantes, então que pelo menos possa regalar os olhos sempre que faço uma paragem estratégica numa esplanada ou numa área de serviço. E neste capítulo a Scout seduziu-me.

O motor é realmente uma peça de design e as linhas esguias do conjunto são bastante agradáveis, realçadas pelo assento solo em cabedal verdadeiro (a Scout está homologada para transportar passageiro, mas tem que se comprar e instalar o assento e os poisa-pés, que custam cerca de 500 euros), e pelo pequeno farol frontal. As ponteiras de escape longas e as rodas gordas e os guarda lamas bem desenhados completam o conjunto que, muito sinceramente, me deixou rendido.

Por tudo isto, se está a pensar comprar uma moto exclusiva, fácil de conduzir, com um aspecto impactante e umas prestações dinâmicas acima da média, então deve considerar a visita a um concessionário da marca e fazer um "test ride".

Para ficar a saber preços e todos os pormenores técnicos sobre a Indian Scout e para saber qual o concessionário mais perto de si, siga este link para o nosso catálogo.


Faça uma consulta e veja caracteristicas detalhadas:

Indian Scout | Moto | MidSize

andardemoto.pt @ 9-8-2015 18:03:18