Rally Dakar - 40 anos de emoções fortes em 2018

A 40ª edição da mais difícil prova desportiva do mundo vai realizar-se entre 6 e 20 de Janeiro de 2018

andardemoto.pt @ 4-12-2017 18:00:21

Paulo Gonçalves #6 esteve presente na cerimónia de apresentação da prova

Paulo Gonçalves #6 esteve presente na cerimónia de apresentação da prova

Dia 6 de Janeiro de 2018 será dada a partida para a 40ª edição do Rally Dakar. A capital do Peru, Lima, após uma ausência de 4 anos do cenário desta mítica prova, será o palco onde homens e máquinas vão dar início a uma odisseia de 13 dias até à linha da meta, colocada a 8276 quilómetros de distância, em Cordoba, já na Argentina.

Ao longo das duas semana de prova, que apenas conta com um dia de intervalo para descanso, novamente em La Paz, na Bolívia, metade dos quilómetros (4234) serão feitos em contra-relógio, e a organização garante que esta vai ser a celebração de 40 anos da mais dura prova de resistência do mundo motorizado, que em simultâneo também celebra o 10º aniversário da chegada da caravana à América do Sul.

Para o efeito, algumas novidades vão "quebrar a rotina" dos pilotos, como por exemplo a partida das motos para a 2ª especial, que irá ser feita depois da partida dos automóveis, ou o arranque para a 4ª especial que será feito à semelhança do das provas de motocross.

Mas as dunas bolivianas do deserto de Tanaca, na 5ª etapa; a 8ª etapa, que tem a especial mais longa, com 498 quilómetros cronometrados, e as duas etapas maratona, em que as motos só podem ser assistidas pelos próprios pilotos, vão ser outros dos desafios que têm que ser superados pelos bravos concorrentes.


Veja, ou reveja, os melhores momentos das motos no Dakar 2017

Dos 190 pilotos de moto que vão partir de Lima (entre um total de 337 veículos), alguns têm obviamente mais notoriedade, seja pelo apoio directo das marcas, seja pelo seu nível de experiência na prova:

  • A KTM pretende manter a sua liderança absoluta e para isso conta com Toby Price #8, vencedor da prova em 2016 e Sam Sunderland #1, vencedor em 2017, a quem se juntam Laia Sanz #15, Matthias Walkner #2, Antoine Meo #19 e o português Mário Patrão #30.

  • A Gas Gas aposta em Cristian España Muñoz #31 e em Johnny Aubert #40.

  • A Hero continua a apostar no Dakar, e também no piloto português, Joaquim Rodrigues #26 que conta com a mesma ajuda do ano passado, o indiano Chunchunguppe Sivashankar Santosh #49.
  • A Honda confia no português Paulo Gonçalves #6 e no espanhol Joan Barreda Bort #5  ajudados por Kevin Benavides #47 e Ricky Brabec #20 para desafiar a sorte e conquistar a tão almejada vitória que por tão pouco lhe tem escapado nos últimos anos.
  • A Husqvarna continua a apostar apenas em Pablo Quintanilla #10 como principal candidato à victória.
  • A Yamaha, este ano sem Hélder Rodrigues, conta com Adrian van Beveren #4, Franco Caimi #7, Alessandro Botturi #18 e Xavier de Soultrait #23.
  • A Sherco continua a apostar em Juan Pedrero Garcia #12, e em Adrien Metge #24.

Adrian van Beveren #4

Adrian van Beveren #4

Mas além das grandes equipas de motos, ainda há outros candidatos à fama! Este ano, a Motul, patrocinadora oficial do Dakar, vai disponibilizar em todos os bivouacs, produtos e equipamentos para apoiar os 28 pilotos-mecânicos inscritos na prova. É o "Original by Motul".

Os denominados “trunk riders”, ou “malles-motos”, que se desafiam a participar na extenuante prova sem qualquer equipe de assistência, vão assim poder contar com uma preciosa ajuda, que é uma forma de reconhecer o mério e a vontade férrea destes homens que evocam o espírito dos pioneiros do Dakar, dos quais se destaca Olivier Pain que foi 3º da geral na edição de 2014, e que terá como principais rivais Jürgen Van den Goorgbergh e Lyndon Poskitt.

Está tudo, portanto, a postos para 15 dias de grandes emoções para todos os amantes do desporto motorizado.


O percurso:



Video do percurso:

andardemoto.pt @ 4-12-2017 18:00:21