Ducati 1299 Superleggera apresentada na EICMA

Uma pérola da engenharia, carregada de tecnologia, que promete uma performance avassaladora.

AdM @ 16-11-2016 11:59:33

A Ducati 1299 Superleggera é basicamente um compêndio de tecnologia. Uma relação de peso/potência na ordem dos 1,30cv por kg é conseguida à custa de um quadro, mono-braço oscilante, subquadro, rodas e diversos componentes da carenagem fabricados em fibra de carbono.

Tudo isto resulta numa redução de peso, comparativamente com a 1299 Panigale, na ordem dos 40%, cifrando-se num total de 168kg. Só nas rodas há uma economia de 1,4 kg, sendo que em termos de inércia, a resistência é reduzida em 26% na roda dianteira e em 44% na roda traseira, facto que melhora substancialmente a agilidade do conjunto.

Debaixo de toda a fibra de carbono, esconde-se o motor Superquadro que reclama o estatuto do mais potente bicilíndrico de produção em série alguma vez fabricado, que debita a impressionante potência de 215cv às 11.000rpm, e um binário de quase 150Nm às 9.000rpm.

No seu interior, há uma nova cambota mais leve, novas tuches de válvula em titânio, novos pistões com apenas dois segmentos, à semelhança do motor de WSB, as camisas dos cilindros são em alumínio (em vez de em aço como os da 1299 Panigale), e um novo volante de motor. Estas modificações permitem poupar 2,4 quilos, o que representa uma redução de 21,5% em relação à Panigale.

Mas foram feitas mais alterações, como nas válvulas que viram o seu diâmetro aumentado, nas condutas de admissão que também aumentaram de capacidade com o objectivo de melhorar o desempenho em termos de potência. Também a embraiagem assistida foi revista melhorando a estabilidade.

A linha de escape é toda ela fabricada em titânio e assinada pela Akrapovic. Numa derradeira estocada no peso final, a Superleggera está equipada com uma bateria ultra leve de iões de lítio que só por si ganha 1,7kg à que é usada na Panigale.


Passando à ciclística, claro que a suspensão está a cargo de sistemas Ohlins, no caso da forquilha trata-se de uma FL936, invertida, com 43mm de diâmetro, e na traseira de um amortecedor TTX36 multi-regulável com uma mola em titânio. Ambas as suspensões conseguem ganhar cerca de um quilo na guerra contra o peso, comparando também com a Panigale R.

E obviamente que os travões tinham que estar a cargo de material Brembo. Na frente, e no que à fricção diz respeito, com maxilas M50 monobloco equipadas com as novas pastilhas TT29OP1 a morderem dois discos de 330 mm também Brembo, e no que ao comando hidráulico diz respeito, com uma bomba radiail MCS19.21.

Chegando ao pacote electrónico, e para não tornar este texto muito extenso (aos muito curiosos podemos sempre disponibilizar o press kit completo que dá umas boas horas de leitura) podemos dizer que a Superleggera tem tudo aquilo a que tem direito. Todo o arsenal tecnológico da marca foi literalmente despejado sobre esta máquina.

Partindo de uma unidade de medição de inércia capaz de registar os movimentos em seis eixos diferentes (6D IMU), os diversos sistemas de ajuda electrónica à condução prometem transformar o mais destreinado condutor num verdadeiro piloto profissional.

Controlo de tracção, controlo de derrapagem, controlo de partida, controlo de travão motor, anti-cavalinho, ABS com assistência em curva e controlo de descolagem da roda traseira, modos de motor e, finalmente, analisador de dados com sincronização por GPS que permite, através de USB, ver num computador os registos de tempos por volta, em circuito, e corrigir as prestações curva a curva, já que o sistema também regista a posição do acelerador, as rotações do motor, a mudança engrenada, a velocidade, enfim… 


Antes disso, e se realmente estiver a pensar ir para a pista com uma moto cujo preço não deverá ficar muito longe dos 100.000 euros, isto se conseguir uma das escassas 500 unidades que vão ser produzidas, então ainda vai ter que comprar o “Race Kit”.

Um conjunto de extras cujo preço não está ainda definido mas que consiste num outro escape Akrapovic também em titânio, mas mais leve (4kg) e que aumenta a potência em 5cv.

Também está incluído o kit de remoção do suporte de matrícula, o kit de remoção do descanso lateral e os respectivos suportes de paddock, o kit de remoção dos espelhos retrovisores, e o ecrã de competição.

No dia seguinte à apresentação desta Ducati 1299 Superleggera, a BMW fez questão de mostrar na EICMA a sua BMW HP4 Race, cujas especificações, apesar de ainda não serem todas conhecidas, são muito semelhantes. Pode ficar a saber mais seguindo esta ligação.

AdM @ 16-11-2016 11:59:33



Últimas notícias