TCX Boots - tecnologia num par de botas

Recentemente tivemos oportunidade de visitar a fábrica da TCX Boots em Itália. Descobrimos como a alta tecnologia e um verdadeiro trabalho artesanal se unem para garantir conforto e segurança aos motociclistas.

andardemoto.pt @ 26-3-2017 20:55:25 - Texto: Rogério Carmo

Se é um daqueles motociclistas preocupados com a sua própria segurança, já provavelmente ouviu falar nas botas TCX.

O que provavelmente não deve saber é que, para a TCX, as botas de motociclismo são muito mais do que botas. São sistemas de segurança destinados a proteger ao máximo os pés de quem anda de moto, seja qual for o tipo de utilização que lhe dê.

Conforto e segurança são a principal preocupação deste fabricante cujo objectivo de curto prazo é tornar-se o maior produtor mundial de botas para motociclismo, meta que já não está muito longe de alcançar, pois no ano de 2016 a produção atingiu os 250.000 pares de botas, que foram distribuídos em 60 países, sendo os seus principais mercados a Alemanha e a Inglaterra.

Uma gama de produtos que cobre as necessidades de todos os motociclistas

Uma gama de produtos que cobre as necessidades de todos os motociclistas

Nesta visita à sede da TCX, em Montebelluna, nos arredores de Veneza e no seio de uma região que acumula uma elevada concentração de fabricantes de equipamento para motociclismo (Alpinestars, Sidi, Gaerne e Spidi estão todos localizados num raio de 25km da sede da TCX), tivemos a oportunidade de ficar a conhecer, para além da história, os métodos de fabrico usados na produção da sua gama de botas que cobre as necessidades de todos os motociclistas com 4 linhas de produtos: Competição de velocidade, Off Road, Touring e Urbana.

Comecemos pela História:

Desde 2013 que a TCX também fabrica as botas para a Ducati

Desde 2013 que a TCX também fabrica as botas para a Ducati

A TCX é uma marca italiana que iniciou a sua actividade em 1982, como Jolly Scarpe Spa., fabricando botas técnicas de elevadas especificações para a polícia, exército e bombeiros.

Em 1989 começou a utilizar os produtos da marca Gore-Tex que exigem elevados padrões de confecção e técnicas específicas para a sua utilização, e começou a produzir botas de motociclismo de competição e turismo para a BMW, Triumph, Dainese e Hein Gericke (para ficar com uma ideia mais clara, desde então e até aos dias de hoje, a TCX já produziu mais de 800.000 pares de botas para a BMW, e desde 2013 também fabrica as botas para a Ducati).

Para poder dar resposta à produção, e manter os custos baixos, em 1993 a TCX construiu de raíz uma fábrica própria na Roménia, controlada por técnicos italianos especializados.

Em 1999 a Jolly Scarpe Spa. criou uma marca própria de botas de motociclismo: a Oxstar, que devido à experiência adquirida com as botas técnicas das Forças de Segurança e Bombeiros, foram as primeiras botas de motociclismo a serem homologadas como equipamento de segurança, pelas normas europeias.

Depois de um contencioso com a vizinha marca de equipamentos Alpinestars, devido à alegada semelhança do nome, a marca Oxtar foi remarcada como TCX, mantendo no entanto todas as características originais, incluindo a utilização dos patenteados sistemas de segurança, o TCS (Torsion Control System) que serviu de inspiração à nova denominação, e o MCS (Metatarsal Control System) que ainda são, nos dias de hoje, a razão pela qual a TCX se destaca da concorrência.

Em 2014 a TCX encetou uma parceria de desenvolvimento com a marca francesa de pneus Michelin, ao nível das solas, e já são vários os modelos da gama que beneficiam da utilização deste tipo de solução.

Actualmente a TCX pertence integralmente ao Novation North America Group, tendo recentemente aberto uma nova unidade de produção na Roménia.

A visita:

O “laste” é um molde desenvolvido ao longo dos anos pela TCX, equivalente ao tamanho 42 para homem e ao 38 para senhora, e que representa o melhor compromisso entre todos os formatos de pé existentes.

O “laste” é um molde desenvolvido ao longo dos anos pela TCX, equivalente ao tamanho 42 para homem e ao 38 para senhora, e que representa o melhor compromisso entre todos os formatos de pé existentes.

Nesta visita tivemos oportunidade de ver diversos aspectos da produção das botas.

Acompanhámos desde os primeiros passos de desenvolvimento até ao controlo de qualidade final o fabrico de uma bota Airtech Evo Gore Tex.

Tudo começa com o “laste”, um molde desenvolvido ao longo dos anos pela equipa de R&D da TCX, equivalente ao tamanho 42 para homem e ao 38 para senhora, e que representa o melhor compromisso entre todos os formatos de pé existentes, estando na base do sistema "Comfort Fit".

Este molde serve para validar as medidas dos diversos componentes que existem no desenho do um novo modelo.

A TCX não desenha dos seus modelos. Encomenda esse trabalho a gabinetes de design independentes, e aproveita as novas tendências que lhe chegam sob a forma de desenhos em duas dimensões.

Transformar esse desenho nos diversos componentes que compõem uma bota, esse sim é um trabalho feito integralmente em casa.

A escolha dos materiais, o seu corte, costura, aplicação de solas e os próprios sistemas de protecção e segurança é tudo feito dentro de portas, em Montebelluna, onde ainda existe uma pequena unidade de produção destinada ao desenvolvimento dos protótipos e ao fabrico das botas dos pilotos oficiais da marca, que apesar de serem iguais às de série exigem acabamentos especiais no que à imagem diz respeito.

Depois de desenhadas as diversas peças que compõem uma nova bota (no caso de umas botas de off-road topo de gama, cada uma pode chegar a ter 100 componentes diferentes) todos os desenhos são digitalizados e passados para computador, o que permite posteriormente cortar automaticamente as diversas peças, e definir o seu tamanho em função das diversas medidas.

Os diversos componentes, sejam em pele ou em microfibra, são unidos à mão, com costuras específicas, duplas ou triplas, consoante a zona e o esforço a que são submetidas.

É nesta fase que também são inseridas as protecções no calcanhar, na biqueira, e na planta do pé, e que estão na origem da segurança acrescida que uma destas botas de motociclismo garante em caso de impacto. É um trabalho minucioso que requer elevados níveis de destreza e experiência por parte dos operários. 

Igualmente especial é a “meia” interior que transforma a bota em impermeável. Seja fabricada em Gore-Tex, ou em membrana alternativa, a sua construção exige métodos de construção e manipulação específicos para garantir uma estanquidade perfeita, e a sua aplicação na bota também requer métodos precisos para garantir longevidade. Esses são requisitos obrigatórios para que a marca Gore Tex possa ser usada em paralelo com a marca TCX.

Finalmente chega a fase de colagem da sola. Um processo com vários passos, integralmente manual, que requer uma coordenação perfeita na produção.

Depois de retirado o molde à volta do qual toda a bota foi construída, o trabalho acaba com uma passagem pelo controlo de qualidade que antecede a fase de embalagem.

A TCX ainda dispõem de um laboratório de testes onde tanto os materiais de construção como o produto final são exaustivamente testados para que possam garantir os elevados padrões de qualidade.

No final da visita, tivemos ainda oportunidade de ver como o sistema Double Flex Control, usado, por exemplo, nas mais recentes botas da gama, as RT Race ou as Comp Evo Michelin, é produzido.


O sistema Double Flex Control, aqui ainda em fase de protótipo.

O sistema Double Flex Control, aqui ainda em fase de protótipo.

Desenhado por computador, em 3D, é criado um pré molde também impresso em 3 dimensões, com resistência suficiente para poder ser testado em condições reais, que permite efectuar as correcções necessárias antes de se criarem os moldes finais para a produção em série.

O sistema composto por duas peças é posteriormente fabricado em poliuretano injectado e liga o calcanhar da bota à parte superior do tornozelo, permitindo uma flexão para a frente, para trás e para os lados, mas impedindo a torção em excesso, evitando graves lesões. Este sistema é fixado à bota por meios mecânicos.

Depois de termos visto a paixão e o nível tecnológico e de experiência que é posto na construção de cada bota TCX, em qualquer um dos modelos, dos mais técnicos aos mais simples, desaparece qualquer admiração pelo facto de marcas como a BMW e a Ducati lhe confiarem a produção das sua botas.

Quanto à qualidade, essa já é bastante bem conhecida por nós através dos modelos que nos têm sido disponibilizados para teste, e que regularmente temos publicado nestas páginas.

Se pretender mais informações sobre a marca ou a sua gama, contacte o importador para Portugal, a Golden Bat, ou a rede de distribuição TCX. Clique aqui para ver qual a loja mais perto de si.

Abaixo deixamos-lhe um pequeno vídeo com um resumo desta visita:

andardemoto.pt @ 26-3-2017 20:55:25 - Texto: Rogério Carmo


Clique aqui para ver mais sobre: TCX - Notícias




Mais

  • 1 | 1