Gonçalo Ribeiro em evolução na Hawkers European Talent Cup

Piloto português da Lousaestradas Racing Team participou na segunda ronda do ano da Hawkers European Talent Cup. No circuito Ricardo Tormo, Gonçalo Ribeiro não evitou uma queda forte, mas batalhou contra a dor e adversários para terminar as corridas.

andardemoto.pt @ 11-5-2021 13:45:25

Participar num novo campeonato, e ainda por cima numa classe onde despontam alguns dos maiores talentos jovens da velocidade a nível mundial, nunca é tarefa fácil. Mas o português Gonçalo Ribeiro e a equipa Lousaestradas Racing Team têm sabido dar a volta às dificuldades e no circuito Ricardo Tormo em Valência, o jovem piloto português mostrou enorme resiliência.

Apesar da forte queda nos treinos livres desta segunda ronda da Hawkers European Talent Cup, que inclusivamente levou Gonçalo Ribeiro a ser evacuado para o hospital, onde depois recebeu a boa notícia de que não tinha nenhuma lesão grave, a estrutura portuguesa voltou a mostrar que tem o que é preciso para enfrentar os rivais.

Gonçalo conseguiu qualificar-se em 33º num total de 50 pilotos, qualificando-se assim, novamente, para a corrida principal desta categoria que se realiza juntamente com o FIM CEV Repsol.



O português natural de Lousada, longe de estar na sua forma física ideal depois da queda aparatosa e que também levou a equipa a horas extra na tentativa de reparar a Honda NSF 250 R, batalhou através das dores e conseguiu terminar a primeira corrida na 32ª posição.

Na segunda corrida que fechou o programa da Hawkers European Talent Cup em Valência, Gonçalo Ribeiro fez ainda melhor, envolvendo-se em batalhas intensas com os adversários e conseguindo cruzar a linha de meta na 30ª posição.

Esta participação na segunda ronda da ETC foi novamente enfrentada com o espírito de aprendizagem e vontade de evoluir numa classe competitiva.



Para Gonçalo Ribeiro estes resultados foram o o culminar de “Um fim-de-semana muito difícil, no primeiro dia de treinos livres, quinta-feira, sofri uma queda forte que me deixou mal tratado fisicamente e que me dificultou durante o resto do evento. A moto também sofreu um pouco, mas graças ao grande trabalho da equipa retomámos o trabalho em pista. Conseguimos a qualificação, isso foi o mais importante. Nas corridas senti muitas dores e alguma fadiga, mas lutei com tudo para terminar da melhor maneira possível. No final fizemos 32º e 30º nas corridas, o que esteve um pouco longe do que ambicionámos, mas vamos trabalhar para melhorar já em Barcelona”.

andardemoto.pt @ 11-5-2021 13:45:25


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto