CNV Moto 2021 Estoril III – Romeu Leite e Tomás Alonso são campeões

O Campeonato Nacional de Velocidade visitou o circuito do Estoril pela terceira vez em 2021. Romeu Leite sagrou-se campeão pela primeira vez nas Superbike, enquanto Tomás Alonso assegurou o bicampeonato nas Supersport 300.

andardemoto.pt @ 16-9-2021 11:20:00

O circuito do Estoril foi o cenário para a coroação dos primeiros campeões do Campeonato Nacional de Velocidade nesta temporada 2021. O traçado que tem como pano de fundo a Serra de Sintra contou com boas condições climatéricas, e o espetáculo em pista foi muito bom.

Para a grande maioria das classes do CNV Moto, esta terceira visita ao Estoril foi a penúltima ronda do ano. Para as Supersport 300 foi a última, por força da ronda dupla que esta categoria realizou em conjunto com o Mundial Superbike no passado mês de maio.

Com Ivo Lopes novamente fora da pista na classe rainha Superbike, foi Romeu Leite que “agarrou” da melhor forma a primeira oportunidade para se sagrar campeão nacional. Logo nos treinos assegurou a “pole position” para ambas as corridas. Depois, na primeira venceu com mais de 18 segundos de vantagem face a Tiago Morgado e Tiago Pires, este a conseguir já no fecho da última das 15 voltas a ultrapassagem que lhe valeu o primeiro pódio na classe na frente de Ricardo Lopes e Mário Alves.


Na segunda corrida Romeu Leite teve em Tiago Cleto o seu maior adversário, e no final foi mesmo Cleto, que regressou esta temporada ao CNV Moto, a conseguir a vitória com uma reduzida margem de apenas 103 milésimas de segundo. Romeu Leite cruzou a linha de meta em segundo e, claro, festejou a conquista do título de campeão nacional de Superbike na frente de Tiago Morgado, que subiu novamente ao pódio. Tiago Pires foi o quarto na frente de Ricardo Lopes.

Nas contas do campeonato, Romeu Leite é já o sucessor de Ivo Lopes, mas a questão do segundo lugar está ainda por decidir pois Tiago Cleto está agora a apenas 11 pontos de Ivo Lopes quando estão ainda 50 pontos para atribuir no campeonato.



Nas Superstock 600, que em 2021 têm acolhido alguns jovens pilotos que evoluem a partir das Supersport 300, Vasco Esturrado foi o vencedor da primeira corrida com quase cinco segundos de vantagem sobre Pedro Fragoso. Paulo Leite e Ricardo Silva ficaram logo atrás. Mas na segunda corrida Fragoso devolveu a derrota ao algarvio, e foi ele o primeiro na linha de meta na frente de Esturrado, Ricardo Silva e Paulo Leite. No campeonato são quatro os pontos que separam Pedro Fragoso de Vasco Esturrado, e apenas na derradeira corrida do ano se saberá quem é o vencedor na classe em 2021.

Nas Supersport 300, Tomás Alonso sabia à partida que não precisava de vencer para se sagrar campeão nacional pelo segundo ano consecutivo. Mas depois de ser o melhor na qualificação, o piloto de Odivelas voltou a discutir a vitória com Dinis Borges, o seu mais feroz opositor nesta época 2021. No final, e após duelo intenso entre ambos, Alonso venceu pela quarta vez na temporada - com apenas 48 milésimas de segundo de diferença - e segurou no seu palmarés o título de campeão. Dinis Borges foi o segundo na frente de Isaac Rosa, que pela primeira vez subiu ao pódio no CNV Moto após um duelo animado com Madalena Simões, a quarta classificada a apenas cinco milésimas do rival de Loulé. David Ferreira fechou os cinco primeiros num pelotão com 16 pilotos onde se notou a estreia absoluta na classe de Bruna Santos.


Nas Pré-Moto3 não faltou também animação com Gonçalo Ribeiro e o espanhol Fernando Bujosa a levarem até à linha de meta a discussão pelo primeiro lugar.

Bujosa fez aqui a sua primeira corrida aos comandos de uma Pré-Moto3 e deu muito boa de si ao lutar com o Gonçalo Ribeiro até à linha de meta. No final foram apenas 62 as milésimas que os separaram, e nas contas do campeonato Gonçalo Ribeiro detém uma margem de 19 pontos para o segundo classificado, o que o deixa em posição confortável para assegurar o título. Tiago Balhé fechou o pódio após as 14 voltas de corrida na frente de Rui Afonso.

Nas Moto4 foi Afonso Almeida quem venceu na frente de Pedro Matos e Francisco Pires depois de rodarem sempre muito separados. Gonçalo Capote regressou às vitórias e conquistou mais cinco pontos a Alexandre Cabá, numa corrida onde Lourenço Vicente subiu pela terceira vez consecutiva ao pódio. Oito pontos separam agora Capote de Cabá na luta pelo campeonato antes da prova de encerramento do ano a realizar também no Estoril.



Como sempre, e de forma bem animada, estiveram também no Estoril os pilotos dos diversos troféus que integram o campeonato.

Na Taça Luis Carreira o vencedor da primeira corrida na classe Open foi João Curva, Bernardo Villar foi o vencedor nas Open R, Afonso Cruz nas SBK, Augusto Machado nas SBK R e Luis Belchior nas SS, sendo de destacar que neste pelotão esteve Alexandre Laranjeira aos comandos de uma Honda CBR 900. No segundo dia de competição todos replicaram as suas vitórias nas respetivas classes.

Nas Z e Tuono Cup Frederic Bottoglieri foi o vencedor na primeira corrida das Kawasaki Z Cup e Pavel Bogdanov foi o mais rápido nas Tuono Cup. Bottoglieri repetiu a dose na segunda corrida das Kawasaki, tal como Pavel Bogdanov nas Tuono Cup, sagrando-se assim vencedor deste troféu monomarca.


Na Copa Dunlop Motoval, Eduardo Monteiro foi o vencedor no sábado para a Classe 1 e André Gonçalves na Classe 2, com 17 pilotos a preencherem a grelha de partida. Na segunda corrida ambos voltaram a repetir as vitórias para fecharem da melhor forma um fim de semana de muita ação e boas corridas no Circuito do Estoril.

A próxima prova, a derradeira do ano e onde, relembramos, não correm as Supersport 300 pois já deram por terminada a sua temporada, será novamente realizada no Estoril nos dias 30 e 31 de outubro.

Galeria de fotos Campeonato Nacional de Velocidade 2021 - Estoril III

andardemoto.pt @ 16-9-2021 11:20:00


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto