Top-ten para Rui Gonçalves em St. Jean d'Angely

Falta de ritmo em piso duro impediu Gonçalves de atacar lugares da frente

Foi com natural agrado que Rui Gonçalves regressou às pistas europeias depois de duas rondas disputadas no outro lado do Atlântico muito duras e om constantes viagens de avião entre diversos países.

andardemoto.pt @ 24-9-2012 10:50:43

Foi com natural agrado que Rui Gonçalves regressou às pistas europeias depois de duas rondas disputadas no outro lado do Atlântico muito duras e com constantes viagens de avião entre diversos países.


A sexta jornada do Mundial de Motocross disputou-se em St. Jean d'Angely, circuito conhecido pelo seu traçado "old school" com muitos saltos naturais e um piso extremamente escorregadio devido à existência de pequenas pedras em muitas partes do traçado.

Durante do dia de sábado Rui Gonçalves mostrou estar cada vez melhor em termos físicos, embora nos saltos mais violentos senti-se alguma dificuldade em agarrar o guiador da moto devido ao inchaço no polegar, lesão contraída no Grande Prémio do México.

Na manga de qualificação Gonçalves sentiria alguns problemas de tracção e mesmo depois de uma partida mediana conseguiria terminar no 9º lugar, posição que lhe permitiria escolher um bom lugar na grelha.

Já na primeira manga de domingo, Gonçalves voltava a fazer um dos seus tradicionais bons arranques circulando durante quatro voltas no quarto posto, mas devido à falta de ritmo em pisos duros o piloto do Team Honda World Motocross não iria conseguir afastar os ataques dos seus adversários perdendo bastantes lugares, já na parte final da corrida, depois de ter sentido oa antebraços incharem, fenómeno conhecido como "arm pump", terminando esta primeira manga no nono posto.

Na segunda manga Rui Gonçalves voltaria a estar entre o grupo da frente e durante seis voltas iria posicionar-se no sétimo posto. Mas, sensivelmente, a meio da manga os braços voltariam a inchar o que colocava, de novo, grandes dificuldades em segurar a moto, principalmente nos saltos de maior impacto e nas zonas mais rápidas. O piloto luso terminaria esta manga novamente no 9º posto.

Rui Gonçalves: "Para ser honesto posso dizer que foi um Grande Prémio muito difícil, mesmo assim fiquei contente porque nas primeiras voltas consegui andar perto dos lideres.

Na primeira manga consegui andar em 3º durante algumas voltas mas perto dos 15 minutos de corrida os braços incharam imenso e tive imensas dificuldades em segurar a moto. Provavelmente isto deve-se à falta de treino no piso duro, pois quando estive parado com a lesão no ombro não tive oportunidade de rolar neste tipo de piso. De qualquer forma é muito estranho porque toda a gente está com um bom ritmo no duro e eu não me sinto nada à vontade. Na segunda manga já não consegui arrancar tão bem mas consegui progredir nas primeiras voltas, embora tenha voltado a sentir problemas nos braços e tornou-se muito complicado agarrar a moto nas zonas rápidas". 


"Espero, sinceramente, conseguir dar a volta às coisas porque trabalhámos muito e os resultados não são aqueles que esperávamos. Penso que mais tarde ou mais cedo voltaremos a estar em lugares de destaque, porque estamos a progredir muito com a moto e a equipa também está muito motivada. Agora vou regressar a Portugal depois de uns longos meses de ausência para visitar a minha família e amigos. Irei também fazer algum treino em pistas locais por forma a preparar-me para o Grande Prémio de Águeda".



Resultados GP do França:

1º Antonio Cairoli (ITA) 50pts, 2º Cristophe Pourcel (FRA) 42pts, 3º Gautier Paulin (FRA) 42pts, 4º Clement Desalle (BEL) 34pts, 5º Xavier Boog (FRA) 32pts, 6º David Philippaerts (ITA) 27pts, 7º Steven Frossard (FRA) 26pts, 8º Sebastien Pourcel (FRA) 25pts, 9º Ken de Dycker (BEL) 25pts, 10º Rui Gonçalves (POR) 24pts, etc.

Fonte: Rui Gonçalves

andardemoto.pt @ 24-9-2012 10:50:43