Ducati SuperSport 950 – A desportiva estradista renova-se

A Ducati renovou a SuperSport 950. Motor passa a Euro5, mas o grande destaque é o novo design mais aproximado à Panigale e o pacote eletrónico refinado.

andardemoto.pt @ 19-11-2020 22:14:14

As Panigale V4 podem ser as grandes estrelas da gama desportiva da Ducati, principalmente agora que chegou a nova Panigale V4 SP – clique aqui para saber mais. No entanto a gama italiana de motos de cariz desportivo não se fica pelas V4, e para 2021 é reforçada com a renovação da SuperSport.

Apresentada em 2016, a SuperSport causou de imediato um grande impacto entre os motociclistas, sendo considerada como a moto mais bela do Salão de Milão EICMA desse ano. Para 2021, e para além do motor agora conforme as normas Euro5, a Ducati aplica a este modelo uma série de alterações que a tornam numa moto ainda mais interessante para aqueles motociclistas que pretendem uma desportiva para uso em estrada.


O nome passa a ser SuperSport 950. Tudo porque dá uso ao motor bicilíndrico Testastretta 11º de 937 cc, que nesta versão atualizada mantém os mesmos 110 cv às 9.000 rpm e os 93 Nm às 6.500 rpm. Conta com quatro válvulas por cilindro, sistema de ar secundário, refrigeração líquida, taxa de compressão de 12.6:1 e medidas de diâmetro e curso de 94 e 67,5 mm, respetivamente.

As modificações efetuadas ao sistema de escape e injeção não alteraram a entrega de potência e binário linear, uma característica bastante apreciada pelos proprietários deste modelo.

De referir ainda que o bicilíndrico Ducati tem intervalos de manutenção a cada 15.000 km, ou 12 meses, com verificação das válvulas a cada 30.000 km.


Para ajudar o condutor a explorar a performance do motor Testastretta 11º da melhor forma, a Ducati instala como equipamento de série na nova SuperSport 950 um pacote eletrónico com algumas novidades.

Os modos de condução são três. Sport, Touring e Urban, que para além de modificarem automaticamente os diferentes parâmetros das ajudas eletrónicas à condução, alteram ainda a resposta do acelerador. No caso do modo Urban a potência é ainda reduzida a apenas 75 cv.

O pacote eletrónico desta nova geração da SuperSport 950 inclui as seguintes ajudas à condução:

- Travagem com ABS da Bosch, com função de intervenção em curva;
- Ducati Traction Control EVO;
- Ducati Wheelie Control EVO;
- Ducati Quickshift EVO.

Graças à utilização de uma plataforma inercial de seis eixos Bosch, a intervenção das ajudas eletrónicas tem em conta a inclinação da moto em curva, ajustando assim de uma forma mais precisa a intervenção do controlo de tração.



O quadro é uma evolução da estrutura tipo treliça, com os tubos de aço principais a fixarem diretamente às cabeças do motor, sendo que o sub-quadro traseiro, também em aço, fixa exclusivamente à cabeça do cilindro vertical. Com elevada rigidez torsional e que conta com o motor como elemento da estrutura, esta estrutura revela-se mais leve e ajuda a contribuir para que o peso a cheio do conjunto se fique pelos 210 kg, ligeiramente inferior ao peso anunciado para a primeira geração da SuperSport.

A renovação do sub-quadro dianteiro e dos indicadores de direção traseiros são outras novidades nesta versão 2021.

O cariz desportivo da SuperSport 950 é ainda aprofundado pela Ducati com a utilização de suspensões ajustáveis. No caso da versão base, à frente encontra-se instalada uma forquilha Marzocchi com bainhas de 43 mm, totalmente ajustável. Na traseira um amortecedor Sachs, fixo ao cilindro posterior e ao monobraço, encarrega-se de suportar os maiores impactos, sendo possível ajustar a pré-carga e extensão.


No caso da SuperSport 950 S a Ducati eleva a fasquia da performance. A forquilha e amortecedor passam a ter a assinatura dos especialistas da Öhlins, sendo que no caso da forquilha as bainhas aumentam para os 48 mm de diâmetro. O amortecedor passa a ser totalmente ajustável e com reservatório externo.

Tanto para a SuperSport 950 como para a SuperSport 950 S, e para além do variado catálogo de acessórios que, entre outras coisas inclui sistema de escape Akrapovic (completo ou “slip on”), a Ducati permite que o proprietário adquira como extra um amortecedor de direção Öhlins, também ele regulável.

As pinças Brembo M4.32 monobloco, que mordem discos de 320 mm de diâmetro no eixo dianteiro, e as esbeltas jantes de três braços em forma de Y, completam o chassis da nova Ducati SuperSport 950.


Para combinar conforto e versatilidade, enquanto ao mesmo tempo assegura uma condução desportiva, uma grande atenção foi prestada ao triângulo entre ergonomia, proteção aerodinâmica e liberdade de movimentos do condutor.

O assento de uma peça, com a área do condutor a 810 mm do solo (que se tornam em 790 mm ao montar o assento mais baixo disponível como acessório), permite colocar facilmente os pés no solo. A altura a que os avanços estão posicionados leva à adoção de uma posição de condução desportiva, mas sem sobrecarregar os pulsos, enquanto que os poisa-pés estão posicionados de modo a não esforçar os joelhos.

O para-brisas Plexiglas, ajustável em duas posições com uma variação em altura de 50 mm, assegura a proteção aerodinâmica necessária a velocidades mais elevadas. Os poisa-pés do condutor, separados dos poisa-pés do passageiro, juntamente com o tamanho compacto do escape lateral, concedem a máxima liberdade de movimento no assento.



O assento, revisto no estofo, melhora o conforto na utilização em estrada. O incremento no conforto passa também por proteções térmicas mais eficazes, que escudam os coletores de escape, e pelas condutas de ar fresco que dirigem o ar através das carenagens para as pernas do condutor.

A porção do assento reservada ao passageiro é posicionada face aos poisa-pés e adequadamente estofada. Para aumentar o conforto, é possível escolher, entre a gama de acessórios Ducati Performance, um assento com mais estofo (+25 mm) para condutor e passageiro, indicado para grandes viagens, e pegas externas para o passageiro, oferecendo um posicionamento mais ergonómico que as pegas integradas sob o assento.


A nova SuperSport 950, graças às novas carenagens, adquire um estilo mais desportivo e fluidez de formas, bem como uma forte e decisiva referência à Panigale V4 graças à nova ótica full-LED e às novas condutas de ar laterais.

As carenagens completamente redesenhadas são os novos elementos que, acima de tudo, mais aumentam o dinamismo da SuperSport 950.

A vista lateral é enriquecida pelas condutas para o ar quente que vem do radiador e são reminiscentes do duplo extrator dos modelos Panigale V4. Os extratores traseiros também agem como cobertura estética e fecham-se em torno do quadro, permanecendo chegados a este para acentuar a sensação de uma moto estreita de ambos os lados. A carenagem inferior estende-se agora até ao silenciador lateral.

A vista frontal é dominada pela nova ótica full-LED com Daytime Running Light (DRL), que remete claramente para a brilhante e acutilante assinatura da Panigale V4. A DRL tem uma construção refinada com uma pala que difunde a luz uniformemente. A ótica fica completa com módulos LED de dupla função para as luzes de médios e máximos, que permitem à moto ter um “look” simétrico com as luzes acesas.

Por último, falta apenas referir que o painel de instrumentos passa a ser uma unidade TFT a cores, com um diâmetro de 4,3 polegadas, que garante que o condutor tem acesso fácil e e de boa leitura das informações relevantes.

andardemoto.pt @ 19-11-2020 22:14:14

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews