Crighton Motorcycles revela a CR700W com motor rotativo

O renascimento dos motores Wankel numa moto hiper-exclusiva. pela mão de um dos seus mais influentes preparadores, Brian Crighton.

andardemoto.pt @ 14-1-2022 20:00:35

Houve no passado vários esforços para popularizar nas motos os motores rotativos, também conhecidos por Wankel. A Suzuki RE5 e a Hercules W2000 são disso um bom exemplo. No entanto, foram os esforços da Norton nos anos 80 e 90 que mais popularizaram este tipo de propulsor entre os amantes das duas rodas.

Os "rotary" de 588cc da Norton conquistaram títulos britânicos de superbikes entre 1989 and 1994 com Steve Spray, Trevor Nation e Ian Simpson e uma memorável vitória em 1992 no Senior TT da Ilha de Man, com o mítico Steve Hislop aos seus comandos.

Estes pilotos aproveitaram a vantagem das Norton RCW588, nomeadamente o seu desempenho em linha reta, sobre as rivais de quatro cilindros e quatro tempos de 750 cc, também graças à dificuldade de, à data, se estabelecer uma fórmula de equivalência de cilindrada eficaz, devido à arquitetura pouco convencional do seu bloco de combustão interna. 

O engenheiro Brian Crighton foi o cérebro por detrás desses motores rotativos e, agora, o seu próprio nome aparece inscrito nestas novas máquinas.

A nova Crighton CR700W parece-se muito com a última Norton rotativa, a NRV588. destinada a correr no TT da Ilha de Man em 2009, sendo uma descendente direta das máquinas da década de 1990.

Liberto da necessidade de cumprir com as limitações impostas pela competição, esta nova CR700W de Crighton é provavelmente a moto de motor rotativo mais potente que o mundo alguma vez viu.

Trata-se de um sistema propulsor de rotor duplo, com uma cilindrada total de 690 cc, projetado por Crighton para a Rotron Power, que fabrica uma variedade de motores Wankel para uso em veículos tão distintos como aeronaves, drones e ainda outras aplicações


Com uma potência máxima de 220cv, debitada às 10.500 rpm, e um binário de 142 Nm às 9.500 rpm, este pequeno motor, com apenas três partes móveis, mede uns escassos 34 cm de comprimento e 24 cm de diâmetro e pesa uns singelos 24 kg, que sobem para 43 kg quando a transmissão dedicada de seis velocidades lhe é acoplada.

Incorporando todo o conhecimento que Crighton adquiriu em esforços anteriores, este Wankel birrotor usa agora soluções técnicas e materiais de refrigeração inovadores para ajudar a resolver os problemas do desgaste dos vedantes dos ápices dos rotores, ponto que sempre foi o calcanhar de aquiles deste tipo de motor.

O quadro segue o mesmo design da Spondon dos modelos dos anos 90, e é fabricado em  liga extrudida, enquanto a carenagem, que replica as das NRV588, é fabricada em fibra de carbono, factor que contribui também substancialmente para o peso a seco declarado de apenas 129,5 kg. 


As rodas Dymag de fibra de carbono ajudam a manter a massa não suspensa em valores mínimos. A suspensão tem duas opções. Pode ser assinada pela Öhlins ou pela Bitubo, de acordo com a preferência do proprietário. Os travões estão a cargo de material Brembo com maxilas monobloco e especificações SBK.

Será o próprio Crighton, agora com 73 anos, que irá construir as motos à mão, na fábrica da Rotron, estimando-se que apenas 25 devem ser fabricadas. Sem surpresa, o preço base é de 85.000 Libras, equivalentes a mais de 110.000 Euros.

Crighton disse: "De muitas maneiras, a CR700W é o culminar das conquistas da minha carreira. Desenvolvida com a ajuda do meu excelente engenheiro-chefe, Shamoon Quarashi, ela resume o melhor absoluto da minha experiência e da sua engenharia. E acredito que o resultado é a melhor moto de pista alguma vez fabricada ."

Basta considerar que a sua potência específica é de 309cv por litro, e as MotoGP atuais debitam “apenas” 300cv/litro, com um peso muito semelhante, e a sua arquitetura fornece uma entrega de potência extremamente linear e constante que favorece a tração.

Alex Head, CEO da Rotron Power, acrescenta: "A CR700W é uma obra-prima única do motociclismo e uma verdadeira obra de arte, nascida da paixão e genialidade de Brian”.

Com uma maior relação peso-potência do que a Aprilia RSV4 e um binário semelhante ao da Kawasaki H2R, será o desempenho a falar por si já que, apesar dos números, o seu design agora a usar materiais de baixa fricção e uma geometria interna exclusiva, revela-se extremamente robusto e fiável e será capaz de garantir uma temporada inteira de competição antes de exigir qualquer inspeção interna.

Efectivamente, os elementos estruturais do motor são fabricados em liga de alumínio de elevada resistência tênsil LM24 e são maquinadas em casa. Todas as superfícies são tratadas a Molibdénio e Nicasil para garantirem uma fricção mínima e uma elevada longevidade. A cambota excêntrica é fabricada numa liga de ferro EN36, estabilizada criogenicamente. 

Os tão importantes e até agora pouco duráveis elementos de selagem de combustão dos ápices dos rotores (equivalentes aos segmentos de um motor de pistões recíprocos) são agora duplos e fabricados numa cerâmica à base de nitretos de silicone, uma substância que tem um índice de fricção extremamente reduzido que irá proporcionar, com a sua elevada resistência ao desgaste, uma maior fiabilidade ao motor.

Outros pormenores, como o sistema de refrigeração do ar da admissão, que é servo-alimentado pela velocidade de passagem dos gases de escape, a refrigeração do bloco, que foi revista e o quadro, que serve como reservatório de óleo do motor, mostram bem o nível de engenharia que estas motos encerram e antevêem que sejam muito rápidas e fiáveis e cujo desempenho em pista deverá estar ao nível dos melhores e mais exigentes pilotos do mundo!

Pode encomendar a sua CR700W, ou ver mais pormenores, no site da Crighton Motorcycles.



Veja o vídeo de apresentação:

andardemoto.pt @ 14-1-2022 20:00:35


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews