MotoGP, 2022, Mugello – Bagnaia recupera de queda para dominar o TL3

Oliveira 14º de novo

O domínio da Ducati continua em Mugello, já que seis dos sete primeiros eram Desmosedici, no entanto, isso não conta toda a história do que foi uma sessão selvagem para o fabricante italiano, com Aleix Espargaró 2º e Marini 3º e numerosas quedas, incluindo uma de Bagnaia, que regressou ao topo pouco depois
 

andardemoto.pt @ 28-5-2022 12:02:45 - Paulo Araújo

Depois de terminar o primeiro dia como o fabricante a bater, o TL3 teve um início desastroso para a Ducati.

Francesco Bagnaia, não pela primeira vez este fim-de-semana, enganou-se na sua travagem na curva um, e quase encontrou a gravilha.

Momentos depois, Marco Bezzecchi entrou na gravilha na curva um. O piloto da  Mooney VR46 ultrapassou-se a si próprio antes de cair a velocidade lenta.

O erro de Bezzecchi arrastou o estreante Fabio Di Giannantonio para a gravilha

com ele, embora o italiano tenha conseguido permanecer a bordo da sua Ducati Gresini.

Tornando-se rapidamente um espectáculo Ducati por todas as razões erradas, Jack Miller teve de abandonar a pista da sua máquina de fábrica depois de se deparar com uma questão técnica.


Bagnaia voltou então a enganar-se na curva um, apesar de ter ficado segundo mais rápido atrás de Aleix Espargaró. 

Tentando avançar, Bagnaia, que estava visivelmente no limite desde o início do TL3, sofreu um grande acidente na curva 12, ao perder a frente.

O italiano percorreu a gravilha antes de aterrar em cima da Air Fence.

Quando Miller começou a assentar num bom ritmo, algo que a Ducati claramente precisava dada a sua sessão agitada, Jorge Martin fez o oposto completo ao cair na curva 10.

Depois de sofrer cinco quedas em sete corridas nesta temporada, uma das quais não foi culpa sua, parece que Martin está no meio de uma crise de confiança.

Quando Maverick Viñales saltou na ordem para terceiro, Joan Mir tornou-se o último piloto a testar as suas capacidades de motocross através da curva um.

O homem que poderá substituir na Honda Repsol, Pol Espargaró quase seguiu o campeão de MotoGP de 2020 na gravilha.


Claramente em dificuldades, Mir estava em 20º na altura do seu erro, enquanto o difícil fim-de-semana da Suzuki continuava - Alex Rins também estava fora dos dez primeiros em 15º, atrás de Miguel Oliveira, que apesar de todas as tentativas, replicou o seu lugar de ontem.

Finalmente trazendo à Ducati algumas boas notícias, Bagnaia estabeleceu um tempo de 1:45.393s - meio segundo mais rápido do que Aleix Espargaró.

Colocando a sua queda precoce para trás, Bezzecchi também encontrou ritmo considerável quando foi quarto.

Mostrando o tipo de forma que o viu elevado ao MotoGP, Di Giannantonio apareceu dentro do top 10 por uma das primeiras vezes nesta época.

Uma brilhante qualificação viu o piloto da Gresini subir inicialmente para quinto à frente do companheiro de equipa Enea Bastianini.

À medida que o ritmo aumentava na frente, Bastianini e Darryn Binder sofriam quedas tardias na curva final. A queda de Binder foi em condições de bandeira amarela, que lhe podiam ter acarretado uma penalização.

Outro piloto que não conseguiu encontrar ritmo foi Marc Márquez que terminou em 21º lugar. 

Di Giannantonio foi então derrubado para a sexta posição, enquanto Luca Marini furou até 3º.

andardemoto.pt @ 28-5-2022 12:02:45 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews