Nacional Enduro - CFL 2019 - Rui Gonçalves vence 1.ª jornada em Santo André

A jornada inaugural do Campeonato Nacional Enduro - CFL 2019 juntou 205 pilotos nas areias de Vila Nova de Santo André, que viu Rui Gonçalves assinar a primeira vitória da época.

andardemoto.pt @ 5-2-2019 18:41:29

Vencedor na prova de encerramento de 2018 realizada em Valpaços, Rui Gonçalves assumiu o comando logo na primeira passagem pela Cross Test, liderança que perdeu na segunda especial do dia para Luis Oliveira mas voltou a recuperar no fecho da primeira volta aquando da passagem pela Enduro Test. O piloto de Vidago venceu em todas as passagens pelas Cross-Test e Enduro-Test, num total de oito vitórias em especiais, deixando as quatro passagens pelas Extreme para Luis Oliveira, vencedor na primeira passagem, com as restantes três a ficarem nas mãos de Gonçalo Reis.

O dia foi marcado pelo abandono prematuro do campeão nacional 2017, Diogo Ventura, logo na primeira passagem pela Extreme com problemas eléctricos na sua moto, quando era segundo atrás de Rui Gonçalves. O piloto beirão viu a sua Honda CRF 450X 'calar-se' e a custo terminou essa mesma especial, esforço que não teve resultado prático pois foi mesmo desclassificado por excesso de penalização.

"Um problema eléctrico na primeira passagem pela especial Extreme fez com que penalizasse em excesso e ficasse fora de corrida. A moto estava a descarregar as baterias não sei bem porquê, fiquei parado numa passagem de água na Extreme, com a troca de bateria consegui sair de lá mas penalizei quinze minutos por atraso e assim que isso acontecesse ficamos fora de corrida", comentou Diogo Ventura.

"Nem me lembro se alguma vez um problema numa moto me fez abandonar sequer, muito menos excesso de penalização, se isso aconteceu foi mesmo há tempo demais que nem me recordo. Infelizmente fiz apenas uma especial em condições, mas deu para perceber que tenho mais uma vez uma excelente moto para enfrentar a concorrência e isso para mim é o mais importante", acrescentou o piloto.


Diogo Ventura

Diogo Ventura

Rui Gonçalves iniciou o ano da mesma forma que fechou a época 2018, com uma vitória. Quase um minuto e meio de vantagem sobre Gonçalo Reis, o segundo na frente de Luis Oliveira que caiu na abertura da quarta volta, perdeu cerca de uma dezena de segundos e recuperou de quarto para terceiro na fase final por troca com João Vivas, o quarto atrás de Luis Oliveira que ficou a menos de um segundo de Gonçalo Reis.

A fazer a estreia aos comandos de uma KTM 450 EXC-F no Nacional de Enduro, Luis Oliveira demonstrou um excelente andamento ao longo de todo o dia. Com uma condução bastante segura, o piloto Jetmar viria a terminar esta primeira jornada na 2ª posição da classe Elite 2 – 3º classificação geral.

Luis Oliveira

Luis Oliveira

“Tinha a perfeita noção que não estava suficientemente rápido. Fiz o meu melhor, sei que temos muito trabalho pela frente. A mota é fantástica isso é a certo, no entanto requer uma habituação progressiva. Tudo é uma novidade e tenho que me habituar. É um início do campeonato, ainda temos muitas corridas pela frente, no entanto estamos no bom caminho. Quero agradecer desde já à equipa, a todos os patrocinadores e ao público que marcou presença nesta primeira jornada do ano” comentou Luís Oliveira.

A fechar os cinco primeiros em termos absolutos terminou Sebastian Bühler. Rui Gonçalves e Gonçalo Reis venceram igualmente as suas classes neste primeiro duelo do ano.

Nas restantes classes presentes na prova mais a sul do calendário, André Martins venceu na Open com quase 90 segundos de vantagem sobre Gerson Pinto e pouco mais que o referido minuto e meio para João Moura.


André Martins

André Martins

Com um projeto bastante arrojado para este ano, André Martins – a militar na animada classe Open aos comandos de uma Yamaha WR250F, demonstrou o porquê de ser um dos jovens valores do motociclismo português.

O piloto natural de Águeda ainda no decorrer da primeira volta, já liderava a classificação. André Martins viria a vencer cinco das doze especiais do dia – enorme regularidade, garantindo desta forma uma vitória “folgada” –1:26min para o seu mais direto adversário.

“Apesar de ter entrado um bocado “preso”, comecei a sentir me melhor ao final da primeira volta. Consegui ganhar especiais, e as que não foi possível, tentei não cometer erros. A mota esteve excelente, bem como toda a assistência. Em termos de percurso, talvez os pilotos estivessem à espera de algo mais acessível, devido à jornada ser em areia, pois com as várias passagens, tornou-se bastante massacrado. É sempre bom começar com uma vitória e agora é continuar o trabalho desenvolvido", comentou André Martins.

Rita Vieira venceu nas Senhoras numa ronda de abertura onde se notou a ausência de Bruna Antunes - ainda a recuperar de uma lesão num joelho - e onde Joana Gonçalves foi batida por pouco mais de 12 segundos. A piloto da Jetmar não evitou quedas nas três voltas ao traçado, tendo ao longo do dia, trabalhos redobrados em busca do “prejuízo”. Apesar de ter vencido cinco das nove especiais do dia, Joana Gonçalves, atual campeã nacional, viria a ser 2.ª classificada entre as Senhoras.

Joana Gonçalves

Joana Gonçalves

No final, Joana Gonçalves comentou: “apesar de não ter conseguido a vitória, senti-me bem fisicamente. A mota esteve a 100% e se não fossem as quedas, o resultado poderia ter sido outro. O campeonato é longo e vou continuar a trabalhar para conseguir melhorar já na próxima jornada”.

Em Verdes 1 venceu Frederico Rocha, Diogo Valença foi o melhor em Verdes 2 e Nuno Gonçalves em Verdes 3. Nos Veteranos a primeira posição coube a André Afonso, entre os Super Veteranos o melhor foi Pedro Sarreira.  Frederico Rocha foi o primeiro na Youth Cup e na Vintage foi Nelson Cabeça o mais rápido neste primeiro dia de Campeonato Nacional de Enduro - CFL.

A próxima ronda do campeonato levará os pilotos até às margens do Douro com a realização de mais um Enduro da Régua, logo no início do mês de março.

andardemoto.pt @ 5-2-2019 18:41:29

Galeria de fotos