Miguel Oliveira positivo após testes de MotoGP na Catalunha

Nos testes oficiais de MotoGP após o Grande Prémio da Catalunha, Miguel Oliveira teve a oportunidade para testar e identificar novos caminhos para a Red Bull KTM Tech3.

andardemoto.pt @ 18-6-2019 17:48:08

O Grande Prémio da Catalunha foi agridoce para o português Miguel Oliveira, que aos comandos da sua RC16 da Red Bull KTM Tech3 voltou a sentir bastantes dificuldades para deslocar dos lugares do fim da grelha de partida de MotoGP, embora na corrida o jovem luso tenha voltado a mostrar uma excelente consistência e atingiu o seu segundo melhor resultado neste ano de estreia na categoria rainha.

Durante o fim de semana, e após a corrida de domingo, Miguel Oliveira assumiu que neste momento a performance da KTM RC16 da Tech3 não lhe permite sonhar com resultados melhores do que aqueles que tem conseguido, pois já atingiram o limite do potencial do protótipo austríaco.

A chegada de novas peças e soluções técnicas da fábrica da KTM ainda vai demorar, com a marca a dar preferência, obviamente, aos seus pilotos da Red Bull KTM Factory, Pol Espargaró e Johann Zarco.


Sendo assim, o foco de Miguel Oliveira durante o teste realizado esta segunda feira em Montmeló foi aproveitado para selecionar componentes que já tinham sido testados noutras ocasiões mas que ainda não tinham sido totalmente testados. Para além disso, o piloto de Almada testou novas afinações e novos pneus Michelin, tendo abandonado a Catalunha com sensações positivas

“Foi um dia muito produtivo. Confirmámos algumas partes que já tínhamos testado no passado, mas como tinha sido em condições de corrida, não pudíamos validar. Também fizemos alguns testes com os pneus Michelin, e finalmente testámos também novas afinações de acordo com as indicações da KTM”.

Nestes testes oficiais de MotoGP realizados em Montmeló, e com todos os pilotos em pista – exceto Aleix Espargaró por lesão sofrida na corrida de domingo -, incluíndo pilotos de testes das diferentes marcas (Sylvain Guintoli – Suzuki, Dani Pedrosa KTM, Stefan Bradl – Honda, Bradley Smith – Aprilia), Miguel Oliveira obteve o 20º melhor tempo após 61 voltas realizadas, tendo ficado a pouco menos de 1,9 segundos do mais rápido dos testes.


E quem foi o mais rápido destes testes oficiais de MotoGP em Montmeló?

Depois de um domingo para esquecer e recheado de muito azar, Maverick Viñales (Monster Energy Yamaha) voltou à carga e com muita energia! O espanhol foi mesmo o único a rodar abaixo dos 1m39s por volta, mais precisamente 1m38.967s, para além de ter acumulado nada menos do que um total de 450 km ao longo do dia, concluindo 98 voltas ao circuito catalão!

Viñales, tal como o segundo melhor do teste Franco Morbidelli (Petronas Yamaha SRT), aproveitou este teste para encontrar melhorias na eletrónica da Yamaha M1.

Depois de vencer o GP da Catalunha, reforçando assim a sua liderança na classificação de MotoGP, Marc Marquez e a Repsol Honda focaram as suas atenções na aerodinâmica da RC213V. Marquez saiu para a pista com diferentes opções, com destaque para as carenagens frontais e para a traseira.

Quem também esteve debaixo das atenções de todos, incluindo de outros pilotos como Maverick Viñales que não poupou nos elogios, foi Dani Pedrosa. Depois de recuperado das lesões, o espanhol que agora tem como função ajudar a KTM Racing a evoluir a sua RC16, rodou em Montmeló em conjunto com os seus ex-rivais.

Pedrosa testou diversos componentes, mas na realidade todos os pilotos KTM tiveram um programa de testes específico, com a marca austríaca a procurar melhores soluções ao nível da ciclística para ajudar os seus pilotos a conseguirem melhores resultados.

andardemoto.pt @ 18-6-2019 17:48:08