KTM abandona Moto2 para se focar em MotoGP e Moto3

Stefan Pierer anunciou que a “sua” KTM tem novo contrato de cinco anos para competir em MotoGP, vai trazer a Husqvarna de regresso às Moto3, e ao mesmo tempo abandona as Moto2. Uma importante reestruturação do projeto desportivo da KTM no Mundial de Velocidade.

andardemoto.pt @ 11-8-2019 11:14:47

Acaba de ser anunciada no Red Bull Ring, nesta manhã de corridas do Grande Prémio da Áustria, uma importante reestruturação do programa desportivo da KTM no Mundial de Velocidade. Pela boca de Stefan Pierer, CEO da KTM, ficámos a conhecer quais são os planos para o futuro da marca “laranja” nas três categorias do mundial.

Depois do circuito Red Bull Ring ter chegado a acordo com a Dorna para continuar a receber o Mundial de Velocidade por cinco anos, agora foi a vez da KTM também assinar um acordo de cinco anos com o promotor e organizador do Mundial de Velocidade.

Stefan Pierer e Carmelo Ezpeleta, CEO da Dorna, confirmam agora a permanência do fabricante austríaco na categoria rainha MotoGP, com a KTM a prometer focar-se ainda mais na obtenção de resultados em pista, nomeadamente nos lugares de topo.

Esta não deixa de ser uma notícia importante para o “nosso” Miguel Oliveira, que vê assim a marca pela qual compete, e com a qual tem passado grande parte da sua carreira mundialista, a comprometer-se por mais alguns anos com MotoGP.


Mas se já seria de esperar um maior comprometimento da KTM Racing com a categoria MotoGP, a verdade é que a reestruturação nas restantes categoria do Mundial de Velocidade não deixa de ser algo surpreendente.

Na categoria intermédia Moto2, a decisão da KTM, agora anunciada e que tem efeitos já a partir de 2020, será de abandonar por completo as Moto2, nomeadamente enquanto fabricante e fornecedor de chassis.

A equipa de Aki Ajo, onde competiu Miguel Oliveira durante dois anos antes de subir a MotoGP, lutando pelo título, vai assim perder o apoio oficial ao nível do chassis, mas a KTM insiste que Aki Ajo e a sua estrutura serão extremamente importantes no projeto desportivo da KTM para levar pilotos novos até ao MotoGP.


Outro ponto importante nesta reestruturação é a categoria Moto3.

Para a KTM, a categoria Moto3 continua a ser a grande aposta logo a seguir ao MotoGP. Para aumentar o seu esforço e obter melhores resultados, a KTM decidiu fazer regressar o nome Husqvarna à categoria mais baixa do Mundial de Velocidade.

A Husqvarna estará assim de regresso a partir de 2020, mas ao contrário de temporadas anteriores onde as “Huskys” partilharam a mesma plataforma técnica com as KTM de Moto3, desta feita, e pelo que se percebe do comunicado divulgado na manhã deste domingo de Grande Prémio da Áustria, a  KTM irá desenvolver uma nova moto de competição para a Husqvarna.

De referir que a KTM e o seu departamento de competição apostam cada vez mais forte nas categorias de promoção e crescimento dos mais jovens talentos. Para além da fórmula de sucesso Red Bull Rookies Cup, por onde já passaram pilotos portugueses e outros tentam entrar todos os anos, a KTM Racing vai iniciar na próxima temporada uma nova competição, a Northern Talent Cup.

andardemoto.pt @ 11-8-2019 11:14:47


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto