MotoGP – Dobradinha Yamaha e Miguel Oliveira termina teste em 11º

Equipas de MotoGP tiveram a oportunidade de rodar no circuito de Jerez Ángel Nieto para preparar primeira corrida do ano. Maverick Viñales foi o mais rápido do teste, enquanto Miguel Oliveira mostrou-se a bom plano e terminou o dia com o 11º melhor tempo.

andardemoto.pt @ 15-7-2020 20:03:31

Apesar do grande momento ser a primeira corrida da temporada 2020, que acontece no próximo domingo 19 de julho, o teste oficial organizado pelo Mundial de Velocidade precisamente no circuito Jerez Ángel Nieto foi já uma boa forma de percebermos algumas coisas.

Sob um calor abrasador, algo que, por exemplo, Miguel Oliveira fez questão de destacar numa antevisão ao Grande Prémio de Espanha, pois habitualmente este GP não se realiza nesta altura do ano e com temperaturas tão elevadas, os pilotos de MotoGP tiveram direito a uma sessão de testes matinal e outra depois de almoço.

Com a temperatura ambiente nos 36 graus Celsius e o asfalto a mais de 50 graus, foi Maverick Viñales (Monster Energy Yamaha) a sair por cima neste primeiro teste de conjunto após período de paragem devido à pandemia. Com Marc Marquez (Repsol Honda) a rodar muito rápido pela manhã, inclusivamente rodando abaixo do melhor registo de MotoGP em corrida, da parte da tarde Viñales elevou o seu nível e foi mesmo o mais rápido.




Outra Yamaha, mas neste caso a M1 satélite da Petronas Yamaha SRT, ficou com o segundo melhor registo. Fabio Quartararo, que muitos apontam como principal rival de Marquez na luta pelo título, e que agora tem uma moto exatamente igual às da equipa de fábrica, foi apenas 118 milésimas mais lento do que aquele que será o seu companheiro de equipa a partir de 2021.

E por falar em Quartararo, já se sabe qual será a penalização ao piloto francês por usar uma moto proibida pelos regulamentos durantes os treinos pós-pandemia: na sessão FP1 de sexta-feira, Quartararo não poderá participar nessa sessão nos primeiros 20 minutos.

Marc Marquez não conseguiu responder ao ataque das duas Yamaha durante a tarde, mas ainda assim a sua melhor volta da sessão matinal foi suficiente para o campeão ficar no Top 3 deste teste.

Não deixa também de ser interessante notar que, tanto Marc como Alex Marquez, rodaram com a RC213V equipada com o pacote aerodinâmico de 2019. Tendo em conta que esta era a última oportunidade da Honda encontrar a melhor solução aerodinâmica antes da primeira corrida, fica a ideia que os engenheiros japoneses colocaram definitivamente de lado o pacote aerodinâmico de 2020, que estará na origem dos muitos problemas sentidos pelos pilotos Honda durante toda a pré-temporada.




Ainda em relação à Repsol Honda, o “rookie” e campeão em título das Moto2, Alex Marquez, não foi além do 20º tempo, e esteve envolvido numa queda aparatosa, ao mesmo tempo que Danilo Petrucci (Mission Winnow Ducati). No caso do mais novo dos irmãos Marquez, a queda não teve consequência físicas. Mas Petrucci já não regressou à pista.

Notas de destaque também para Alex Rins (Ecstar Suzuki) que foi quarto mais rápido, e para Valentino Rossi (Monster Energy Yamaha) que foi 5º, mas clarmente mais lento durante a tarde, quando as temperaturas subiram.

Aleix Espargaró (Gresini Aprilia) voltou também a rodar entre os mais rápidos. Comprovando as melhorias já notadas noutros testes de pré-temporada, nomeadamente no Qatar, Aleix Espargaró levou a sua Aprilia RS-GP a registar a segunda velocidade máxima deste teste. Infelizmente a moto continua a sofrer de problemas de juventude, o que poderá impedir o piloto espanhol de obter resultados consistentes. Foi o 6º melhor do dia.



Quanto ao português Miguel Oliveira (Red Bull KTM Tech3), termina este teste como o melhor piloto da marca austríaca. Foi o 11º mais rápido no combinado das sessões de teste, ficando a pouco mais de seis décimas de Maverick Viñales.

Na manhã, Miguel Oliveira terminou dentro dos dez mais rápidos com um tempo de 1m38.426s. De tarde, e com a temperatura mais elevada, o português sofreu problemas de aderência e dificuldades da moto em curva, o que se traduziu no 18º tempo na segunda metade do teste de Jerez.

Mesmo assim, o piloto da Red Bull KTM Tech3 sai satisfeito deste teste de conjunto, o que lhe permitiu perceber melhor em que ponto se encontra a moto da KTM em comparação com as rivais, tendo acumulado umas impressionantes 60 voltas ao circuito andaluz.

A partir de agora já será a sério! Os pilotos de MotoGP voltam à pista na FP1 que marca o início do primeiro Grande Prémio para a categoria rainha este ano. Clique aqui para ficar a conhecer os horários completos do GP de Espanha.

andardemoto.pt @ 15-7-2020 20:03:31


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto