Tuono Cup faz a festa final no Estoril

Com o campeão já encontrado, a Tuono Cup fez a festa final no Circuito do Estoril. Duarte Amaral e Paulo Vicente venceram as corridas do recém criado troféu monomarca que veio dar um colorido especial ao Campeonato Nacional de Velocidade.

andardemoto.pt @ 29-10-2020 13:42:42

Num ano de estreia tudo pode acontecer. E o troféu Tuono Cup mostrou que, existindo uma boa planificação, as coisas acontecem pelo melhor, com os participantes a desfrutarem da oportunidade de competir em motos sem necessitarem de gastar muitos euros, e com as corridas, infelizmente sem público, a proporcionarem um espetáculo interessante e sempre emocionante.

Com a realização da ronda Estoril IV do Campeonato Nacional de Velocidade, no Circuito do Estoril, os pilotos da Tuono Cup também marcaram presença para aquela que foi a festa de final de temporada.

O primeiro campeão deste troféu já estava encontrado desde a ronda anterior. Duarte Amaral (#10) já tinha conquistado esse título. Mas aqui no Estoril ainda estavam em disputa duas vitórias em corrida e definir quem seria o vencedor do 1º Troféu Naked do CNV.

Motivos mais do que suficientes para animar ainda mais as fantásticas corridas com as Aprilia Tuono V4 1100 RR.


De realçar que nesta ronda final da Tuono Cup o piloto Luis Soares (#53) conseguiu superar as dificuldades físicas que o impediram de competir a tempo inteiro ao longo da temporada. Assim, o total de motos italianas deste troféu monomarca e que estiveram em pista ascendeu a 7.

Aproveitando da melhor forma o sol que se fez sentir no Estoril no sábado, a manhã de treinos privados foi aproveitada pelo promotor da Tuono Cup para testar algumas soluções técnicas diferentes, já a pensar na próxima temporada.

Apesar da preparação das Tuono V4 1100 RR do troféu incluir a modificação do amortecedor traseiro de série da naked italiana, a realidade é que para o andamento já imposto por muitos concorrentes, e tendo em vista a melhoria da performance em pista da moto, o promotor sentiu que está na hora de aumentar o nível dos componentes. Nesse sentido, foi testado um novo amortecedor traseiro, que oferece uma margem de evolução e afinação bastante maior do que o amortecedor de origem.

Veremos se este componente será utilizado e incluído no pacote Tuono Cup para 2021.

Tuono Cup – Qualificação


A sessão de qualificação decorreu ainda com asfalto seco. No entanto, uma queda, sem grandes consequências para piloto e moto, levou à interrupção da sessão de treinos cronometrados e assim os pilotos da Tuono Cup tiveram de dar tudo por tudo num “sprint” de apenas 6 minutos finais de qualificação.

Nesse esforço final assistimos a grandes voltas e novos recordes obtidos pelos pilotos da Tuono Cup. Duarte Amaral “puxou dos galões” de campeão e com uma volta em 1m49.240s registou a “pole position” e novo recorde do troféu. A primeira fila da grelha ficou completa com a presença de Paulo Vicente e pelo surpreendente Pavel Bogdanov (#7), este último a conseguir bater o seu recorde pessoal com 1m50.361s.


Tuono Cup – Corrida 1


No arranque para a primeira corrida do fim de semana, com 10 voltas, Duarte Amaral não deu oportunidade aos seus adversários e arrancou decidido a mostrar o porquê de ter sido coroado o primeiro campeão da Tuono Cup. Partindo da “pole”, Amaral rapidamente se instalou na liderança da corrida desde a primeira curva, levando atrás de si o restante pelotão ainda muito compacto.

Mais atrás a luta pelas posições secundárias esteve sempre intensa. Hélder Monteiro (#50) arrancou mal, mas ainda nos primeiros momentos da corrida estava novamente na pressão e na luta pelo 7º lugar.

Infelizmente a corrida de Anselmo Vilardebó (#12) terminou mais cedo do que o previsto, quando perdeu o seletor de caixa da sua Aprilia Tuono V4 1100 RR, e assim o piloto não conseguiu terminar a corrida.

Na frente da corrida, Duarte Amaral começava então a impôr um ritmo mais forte, e com isso o grupo dos três primeiros começava a distanciar-se dos perseguidores, liderados por Pavel Bogdanov, que encetava assim uma recuperação fantástica ao rodar mais rápido do que os pilotos à sua frente.


Quem não se mostrou satisfeito com a posição em pista foi Paulo Vicente, que ainda na primeira mão cheia de voltas ao traçado do Estoril decidia passar ao ataque, conseguindo mesmo consumar a ultrapassagem a Duarte Amaral nesta luta pela vitória à geral no Troféu Naked e também na Tuono Cup.

A duas voltas da bandeira de xadrez, e já com alguns pingos de chuva a assustarem os pilotos, Duarte Amaral regressa à liderança numa altura em que os pilotos da frente estavam já a realizar várias dobragens a pilotos mais atrasados. Mas João Curva, do Troféu Luis Carreira, que se manteve na sombra dos dois pilotos Aprilia, decidiu mostrar o que vale a sua R1 e nos momentos finais conseguiu mesmo passar para a frente da corrida, deixando Duarte Amaral em segundo e Paulo Vicente em terceiro no pódio à geral.

No entanto, nas contas da Tuono Cup, o pódio desta primeira corrida contou com a presença de Duarte Amaral, Paulo Vicente e ainda de Pavel Bogdanov, que ainda tentou um último esforço, aproximou-se dos rivais que seguiam à sua frente, mas ficou-se pelo terceiro lugar na Tuono Cup.

Tuono Cup – Corrida 2


Nesta segunda corrida de 10 voltas ao Circuito do Estoril, o plantel da Tuono Cup viu-se drasticamente reduzido por desistência de nada menos do que quatro pilotos. Devido à chuva que se fez sentir, muitos preferiram resguardar-se num momento em que tudo estava já decidido nas suas classificações finais.

Quando os semáforos apagaram Paulo Vicente rapidamente assumiu a liderança da corrida aos comandos da sua Aprilia. Com asfalto molhado, situação inédita para a Tuono Cup nesta temporada de estreia, a experiência de Vicente nestas condições veio ao de cima e isso notou-se na grande diferença que conseguiu colocar entre si e o segundo classificado, Luis Franco (das Z Cup).

Paulo Vicente venceu esta segunda corrida sem qualquer contestação, enquanto Franco bateu Duarte Amaral na luta pelos lugares seguintes do pódio à geral. Nas contas do troféu Tuono Cup, Vicente seria sempre o vencedor, mas Duarte Amaral foi segundo e a outra Aprilia em pista, de Anselmo Vilardebó, cruzou a meta na terceira posição do troféu.



Assim ficaram as contas finais do troféu Tuono Cup 2020

1º - Duarte Amaral – 256 pontos
2º - Anselmo Vilardebó – 147 pontos
3º - Hélder Monteiro – 129 pontos
4º - Pavel Bogdanov – 123 pontos
5º - Paulo Vicente – 120 pontos
6º - Miguel Vilares – 100 pontos
7º - Jorge Figueiredo – 81 pontos
8º Luis Soares – 11 pontos

Nas contas finais do Troféu Naked Bikes 2020, o vencedor foi também Duarte Amaral com 247 pontos, seguido por Paulo Vicente com 185 pontos (competiu na Tuono Cup e na Z Cup), enquanto o pódio fecha com a presença de Miguel Vilares com 181 pontos (competiu na Tuono Cup e na Z Cup).


Foi um fim de temporada em festa e com enorme espírito de entreajuda. Os pilotos e promotor do recém criado troféu Tuono Cup mostram-se satisfeitos com o trabalho e progresso realizado ao longo de uma temporada que, indubitavelmente, se viu afetada pela situação de pandemia que não permitiu testar diferentes soluções técnicas para trabalhar as Aprilia Tuono V4 1100 RR nesta especificação Cup.

Para 2021 o seu Andar de Moto sabe que o promotor da Tuono Cup está já a preparar uma série de novidades, e será provável que as grelhas de partida deste troféu monomarca venham rapidamente a ficar mais preenchidas.

andardemoto.pt @ 29-10-2020 13:42:42


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto