12 Horas do Estoril 2021 – FCC TSR Honda consegue prova isenta de erros e vence

As equipas favoritas à vitória cometeram erros e permitiram à FCC TSR Honda conquistar a vitória nas 12 Horas do Estoril. A segunda etapa do Mundial de Resistência FIM foi uma prova recheada momentos que alteraram por completo a classificação.

andardemoto.pt @ 17-7-2021 21:13:13

O Motor Clube do Estoril e o circuito do Estoril não podiam ter pedido um dia melhor do que hoje. A segunda etapa do ano para o Mundial de Resistência FIM realizou-se no traçado português sob um calor abrasador, o que levou ao limite os pilotos e 30 equipas que participaram nas 12 Horas do Estoril.

Tendo em conta o que tinha acontecido nos treinos e qualificação, as principais favoritas à vitória nestas 12 Horas do Estoril eram a YART, a Yoshimura SERT e a BMW Motorrad World Endurance Team, sendo que a formação oficial YART arrancou mesmo da “pole position”. Mas a história de uma corrida de resistência não se faz de previsões, e esta prova portuguesa foi mais um bom exemplo disso mesmo.

A YART voltou a não ter um arranque perfeito e caiu inicialmente para 7º, fazendo mais uma vez um enorme esforço na primeira hora de corrida para recuperar a distância para os primeiros classificados.


O grupo que liderou a primeira parte da corrida teve a BMW Motorrad World Endurance Team e a sua M 1000 RR em destaque, com Xavi Forés a mostrar-se rápido, mas sendo bem acompanhado pelos seus companheiros de equipa Markus Reiterberger e Kenny Foray.

A YART conseguiu, momentos antes da sua primeira paragem para troca de pneus, piloto e reabastecimento, passar para a liderança da corrida, mas a BMW M 1000 RR manteve-se na frente depois das primeiras paragens.

Porém, a Yoshimura SERT nunca ficou muito atrás, e a FCC TSR Honda e WeBike SRC Kawasaki também não se deixavam surpreender e mantinham as esperanças na vitória bem acesas.

Mas com o passar das horas, e com a temperatura do asfalto do circuito do Estoril a subir para perto dos 60 graus Celsius, o que provocava um enorme desgaste nos pneus das motos, as quedas entre os primeiros classificados começaram a suceder-se.



Entre as equipas que caíram contam-se a BMW Motorrad World Endurance Team, que foi obrigada a um esforço adicional até ao fim, a YART numa queda sofrida por Niccòlo Canepa e que levou a Yamaha R1 a uma longa paragem para reparação, a Yoshimura SERT que caiu por duas vezes, a segunda quando Xavier Simeon não se apercebeu que estava numa zona de bandeiras amarelas e não evitou um toque na traseira de uma moto.

Com tanta coisa a acontecer aos favoritos, a Kawasaki Ninja ZX-10R da WeBike SRC Kawasaki, uma moto que inicialmente parecia estar fora das contas da vitória por causa do consumo de pneus e gasolina superior às rivais, encontrou-se na liderança. Porém, quando se esperava que a moto oficial da casa de Akashi voasse para a vitória de forma relativamente tranquila, uma falha nos cálculos de gasolina no depósito de combustível da moto japonesa deixou a moto parada em pista… precisamente na volta em que estava a planear a entrada na box para reabastecer.


Um golpe de teatro que deixou a FCC TSR Honda France na frente da prova, eles que tinham previsto realizar menos uma paragem na box do que a Kawasaki oficial, tentando assim lutar pela vitória de uma forma estratégica.

Com a liderança a cair-lhe nas mãos, a equipa oficial Honda evitou cometer qualquer erro que pudesse então colocar em perigo a vitória nas 12 Horas do Estoril. A CBR 1000 RR-R conseguiu mesmo chegar ao fim da prova na frente das rivais.

Os restantes lugares do pódio permitiram assistir a uma batalha animada nos minutos finais. Foi já dentro dos últimos dez minutos de prova que a WeBike SRC Kawasaki, depois de recuperar muitas posições, alcançou a segunda posição. Atrás da moto japonesa de Akashi a equipa VRD Igol Experiences (Yamaha R1) contava com Florian Marino para manter a terceira posição.



No entanto, Marino não evitou uma saída de pista (curva 2) já a menos de cinco minutos do fim das 12 Horas do Estoril, e deixou caminho livre para Markus Reiterberger colocar novamente a BMW M 1000 RR oficial no pódio.

De referir ainda que a melhor Superstock foi a BMRT Kawasaki na 6ª posição, enquanto a YART fechou a prova portuguesa em 10º e a Yoshimura SERT em 17º.

andardemoto.pt @ 17-7-2021 21:13:13


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto