Bol d’Or 2021 – Pedro Nuno em destaque numa corrida dominada pela Yoshimura SERT

O piloto português foi um dos grandes destaques nestas 24 horas do Bol d’Or. Pedro Nuno demonstrou rapidez e consistência, mas problema técnico na sua Yamaha R1 da Team Slider Endurance levou ao abandono. Esta icónica prova do Mundial de Resistência FIM viu a Yoshimura SERT vencer e as suas grandes rivais abandonaram.

andardemoto.pt @ 20-9-2021 19:43:39

Talvez tenha sido uma das mais duras edições dos tempos recentes, mas as 24 horas do Bol d’Or mostraram que para vencer, primeiro é preciso garantir que se chega ao fim da corrida! Calor, chuva, quedas, diversos problemas mecânicos. A penúltima ronda da temporada do Mundial de Resistência FIM teve um pouco de tudo.

Ainda antes de falarmos do português Pedro Nuno, que fez a sua estreia neste campeonato (e que estreia!), falamos dos vencedores.

Resistindo a tudo e a todos, os campeões em título Yoshimura SERT Motul, equipa composta pelos pilotos Gregg Black, Xavier Simeon e Sylvain Guintoli, mostrou toda a sua experiência e rapidez no circuito Paul Ricard. Para além da “pole position”, a equipa dominou depois a corrida, liderando 615 das 704 voltas realizadas durante as 24 horas.

Com todas as seis equipas de fábrica bastante próximas em termos de andamento nas primeiras horas de corrida, o que deixava em aberto o resultado final do Bol d’Or, a verdade é que as elevadas temperaturas, o muito vento, a longa reta Mistral a levar os motores ao máximo e depois a chuva durante a noite, acabaram por levar a muitas desistências.


A própria Yoshimura SERT Motul sofreu uma queda nos primeiros momentos da noite e quando a chuva apareceu, o que deixou então a Yamaha R1 #7 da YART sozinha na liderança e com boas possibilidade de vencer. Mas a sorte parece não estar com a formação austríaca, que viu o motor quatro em linha da sua R1 “entregar a alma ao criador”. A Yoshimura SERT Motul tinha assim caminho livre para a vitória, e acabou mesmo por confirmar o favoritismo e ganhou novamente registando um recorde de voltas realizadas durante o Bol d’Or.

Das seis equipas de fábrica à partida para o Bol d’Or, apenas a Yoshimura SERT Motul chegou ao fim. Para além da YART, também a Webike SRC Kawasaki France Trickstar, a BMW Motorrad World Endurance Team, FCC TSR Honda France e a ERC Endurance Ducati não viram a bandeira de xadrez.

O pódio desta edição 2021 do Bol d’Or ficou completo com a presença da Moto Ain, que este ano se estreia na classe EWC, que terminou a 19 voltas dos vencedores, enquanto a equipa BMRT 3D Maxxess Nevers brilhou ao mais alto nível ao ser terceira classificada. Um resultado excelente tendo em conta que esta formação compete na classe Superstock. Por isso, e para além do terceiro à geral, venceram também nas Superstock.



E foi precisamente na classe Superstock que vimos em ação, e pela primeira vez numa corrida de resistência, o português Pedro Nuno.

Chamado à última hora pela Team Slider Endurance para suprir a ausência de um dos seus habituais pilotos que tinha aceite o convite para competir por outra formação, o Bol d’Or foi um batismo de fogo para o jovem português, mais habituado às provas de curta duração.

Conforme o Andar de Moto foi dando conta ao longo do fim de semana, o Pedro Nuno revelou-se em grande plano nesta competição. Para além de não conhecer a moto na sua configuração de resistência (particularmente o depósito de combustível maior e o peso), o português nunca tinha participado numa corrida deste tipo e muito menos pilotado à noite.

Pese embora estes fatores contra si, o Pedro Nuno revelou desde o primeiro momento que está num nível superior aos seus companheiros de equipa na Slider Endurance. Foi sempre o mais rápido desde o primeiro treino livre, e nem a chuva, nem a noite, impediram o jovem português de brilhar e obter excelentes resultados, quer na qualificação, quer depois na corrida.


Claramente a levar a equipa para um patamar superior, a corrida do português e do Team Slider Endurance chegou ao fim à passagem da 10ª hora de corrida. Uma pequena queda, sem consequências físicas para o Pedro Nuno e para a Yamaha R1 #119, foi o prenúncio do fim da prova e as aspirações ao pódio na classe Superstock.

Depois de passar a moto para um companheiro de equipa para o stint seguinte, Pedro Nuno assistiu do interior da box ao abandono do Team Slider Endurance devido a um problema técnico na moto japonesa. Uma falha eletrónica que foi impossível de resolver deitou por terra o esforço da equipa e, claro, do Pedro Nuno, que cada vez que pegava na moto acabava a recuperar muitas posições na classificação geral e na classe Superstock. No momento do abandono estavam em 4º na categoria.

Ainda assim, a prestação do piloto português não passou despercebida aos responsáveis de algumas das melhores formações do Mundial de Resistência FIM!



O Pedro Nuno recebeu já o convite por parte do Team Slider Endurance para continuar esta sua aventura no Mundial de Resistência FIM. A participação em mais provas deste campeonato é algo que o piloto português ambiciona, e, se tudo correr bem, veremos novamente o Pedro Nuno em pista na última ronda do ano da resistência, as 8 Horas de Most, que se realizam a 9 de outubro.

Já depois de chegar a Portugal, o Pedro Nuno falou com o Andar de Moto em exclusivo:

“Finalmente já estou em casa depois das duríssimas horas em que mesmo ficando na 10ª hora, até lá foi duro. Afinar a moto, o facto de pilotar à noite também cansa muito, os problemas que tivemos. Mas foi uma experiência única, fantástica mesmo, o facto de partilhar moto com outros pilotos, aquela partilha de equipa, aquele calor de equipa, é muito bom. Pilotar à noite é ótimo, foi realmente uma experiência única, que como já disse vou querer repetir e estou a trabalhar para isso. Ficaram todos bastante satisfeitos quer na equipa, mas eu também. E suponho que outras equipas também ficaram atentas e com a “pulga atrás da orelha”, o que é ótimo para mim!”.

Nas contas do campeonato, a Yoshimura SERT Motul lidera com 141 pontos, a VRD Igol Expériences está com 105 pontos, e o “top 3” fica completo com a FCC TSR Honda France que tem um total de 89 pontos.

andardemoto.pt @ 20-9-2021 19:43:39


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto