SBK 2022, retrospetiva 1 - A luta entre os oficiais

Equipa a equipa, quem venceu quem?

Quem saiu no topo nas cinco equipas de fábrica em 2022? Com as 12 rondas completadas, é altura de fazer uma comparação frente a frente das cinco equipas de fábrica nas SBK...  

andardemoto.pt @ 29-11-2022 11:28:57 - Paulo Araújo

A época 2022 do Campeonato Mundial de Superbike viverá muito tempo na memória depois de uma campanha incrível. Com as 12 rondas e 36 corridas concluídas, podemos rever as batalhas frente a frente entre colegas de equipa nas cinco equipas de fábrica nas SBK.

Algumas equipas são mais difíceis de avaliar, tais como a BMW e a Honda, devido a lesões que causaram impacto nos pilotos e os obrigam a falhar provas, mas os dados em todas as equipas são o suficiente para comparar os dois pilotos.

O CAMPEÃO NO TOPO: Bautista vence Rinaldi 34-2 em corridas

O recém-coroado Campeão Álvaro Bautista (Ducati Aruba) saiu no topo contra o companheiro de equipa Michael Ruben Rinaldi por uma pontuação de 34-2, com Rinaldi a sair no topo apenas quando Bautista teve quedas em Donington Park e Magny-Cours.

Na Tissot Superpole, as coisas correram novamente para o lado de Bautista com uma margem de 11-1 sobre o seu companheiro de equipa. Bautista obteve uma média enorme de 50,08 pontos por ronda na época de 2022, com Rinaldi a obter uma média de cerca de metade.

Bautista também obteve a melhor média de posições para 2022, com 1,82, enquanto Rinaldi foi o quinto melhor da grelha com 6,29.



RAZGATLIOĞLU BATE LOCATELLI: 32-4 para o campeão de 2021

O Campeão de 2021 Toprak Razgatlioğlu (Yamaha Pata com Brixx) teve a vantagem sobre o companheiro de equipa Andrea Locatelli, saindo no topo nas corridas em 32 ocasiões. Tal como na Ducati, Locatelli conseguiu terminar à frente quando o seu companheiro de equipa teve azares, como em Misano ou quando caiu em Assen na Corrida 2. Na Superpole, também foi Razgatlioğlu a sair no topo por uma margem de 11-1, com a diferença média entre os dois 0,569s a favor de Razgatlioğlu.

A posição média de Razgatlioğlu, tanto nas corridas como na Superpole, foi notavelmente semelhante; com uma média de 2,62 nas corridas e 2,42 na Superpole. Em termos de pontos por ronda, Bautista e Razgatlioğlu obtiveram o maior número de pontos numa ronda em cinco ocasiões nesta época, enquanto Razgatlioğlu obteve uma média de 44,08 pontos por ronda, ligeiramente mais do que os 43,38 na sua campanha vencedora de 2021 (quando houve 13 rondas).

 REA ON TOP: uma vantagem de 33-3 para o seis vezes campeão

O seis vezes campeão Jonathan Rea (Kawasaki Racing) ganhou a batalha na equipa KRT à frente do companheiro de equipa Alex Lowes, com Rea no topo em 33 ocasiões em comparação com as três de Lowes.

Na Superpole, Rea tirou uma vantagem de 10-2 sobre o seu companheiro de equipa, mas foi o mais próximo, em média, da batalha nas equipas de fábrica, com Rea à frente por 0,320s.

Uma subida tardia de Lowes no final da época, incluindo dois pódios, colocou a sua posição média nos 5,94, a quarta melhor da grelha, enquanto a de Rea foi de 3,09; a terceira mais alta, igualando a sua posição no Campeonato.


FIM PREMATURO: A luta de Lecuona e Vierge chega ao fim cedo

Com Iker Lecuona (Team Honda HRC) a não correr nas duas últimas rondas da época, as estatísticas continuam as mesmas na Honda. Foi a batalha mais próxima nas equipas de fábrica desta época, embora na Superpole, Lecuona tivesse uma vantagem de 9-1 sobre o seu companheiro de equipa.

Curiosamente, Vierge venceu por uma vantagem de 6-4 ao olhar apenas para a Corrida 2, enquanto que tanto a Corrida 1 como a Superpole Tissot foram a favor de Lecuona por 7-3.

A posição média de Lecuona é de 7,85 enquanto que a de Vierge é de 9,21, incluindo as Rondas da Indonésia e da Austrália para Vierge.

REDDING CONTRA VAN DER MARK: uma campanha dura para a BMW...

Foi uma campanha perturbada para a equipa BMW Motorrad, com Michael van der Mark a falhar cinco das 12 rondas através de dois lesões separadas.

Ele voltou para a segunda metade da época para lutar com o companheiro de equipa Scott Redding, com Redding a ganhar a batalha frente-a-frente 16-4 nas 20 corridas em que ambos competiram e pelo menos um terminou (isto exclui a Corrida 1 na Ronda da Catalunha, uma vez que ambos foram eliminados).

A posição média de Redding ao longo de 2022 foi de 8,03s, nas corridas em que terminou, enquanto que a de van der Mark foi de 12,13.

Ambos os pilotos tinham uma posição média de corrida mais alta do que a da Superpole: Redding teve 8,50 na Superpole, enquanto van der Mark registou 15,57.

Superpole frente a frente

Ducati Aruba: Álvaro Bautista 11-1 Michael Ruben Rinaldi

Pata Yamaha com Brixx: Toprak Razgatlioglu 11-1 Andrea Locatelli

Kawasaki Racing Team: Jonathan Rea 10-2 Alex Lowes

Honda HRC: Iker Lecuona 9-1 Xavi Vierge

BMW Motorrad: Scott Redding 7-0 Michael van der Mark

Corridas frente a frente

Ducati Aruba: Álvaro Bautista 34-2 Michael Ruben Rinaldi

Pata Yamaha com Brixx: Toprak Razgatlioğlu 32-4 Andrea Locatelli

Kawasaki Racing: Jonathan Rea 33-3 Alex Lowes

Honda HRC: Iker Lecuona 18-12 Xavi Vierge

BMW Motorrad: Scott Redding 16-4 Michael van der Mark


andardemoto.pt @ 29-11-2022 11:28:57 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto