Brembo envia Postal de Parabéns a Valentino Rossi

A marca italiana de travões aproveita a ocasião do 40º aniversário do piloto, celebrado no passado dia 16 de Fevereiro de 2019, para lhe enviar um emocionado postal de parabéns, que passamos a transcrever:

andardemoto.pt @ 17-2-2019 20:43:22

Caro Valentino Rossi

Há mais de 25 anos apaixonamo-nos pela sua sensibilidade de travagem e a sua boa disposição depois de cortar a meta. Você ainda era um garoto ao guiador de uma das motos com que os adolescentes nos anos 80 e 90 só podiam sonhar: a Cagiva Mito 125, e você venceu nos campeonatos italianos. E já naquela época você usava travões Brembo.

Desde então, temos partilhado muita estrada, em conjunto, de mãos dadas, ou talvez devêssemos dizer "mão na manete". Você mudou da Aprilia para a Honda, depois para a Yamaha, e para a Ducati e, finalmente, de volta para a Yamaha, mas nunca teve olhos para outras marcas de sistemas de travões.

O nosso é um amor “imparável' e, onde quer que os travões sejam necessários, estamos juntos. Nada nem ninguém e jamais foi capaz de nos separar. Nós partilhamos momentos incríveis e alguns um pouco menos, mas sempre fomos próximos, juntos na ponta dos dedos, poder-se-ia dizer.


Você bateu todos os recordes dos Grandes Prémios de motociclismo, com apenas algumas excepções: em 383 GPs, conquistou 89 vitórias na classe rainha (115 no total), 232 pódios em todas as classes (196 na 500cc de MotoGP), num total de mais de 6.000 pontos. Estes números insanos são impossíveis de alcançar sem um talento excepcional e um eterno desejo de melhorar dia após dia, algo que também faz parte da nossa filosofia.

Consultámos as estatísticas e descobrimos que, só nas corridas de MotoGP utilizámos os nossos travões quase 100.000 vezes. E se somarmos as sessões de treinos livres, as voltas de aquecimento e as qualificativas, podemos concluir que desfrutámos como ninguém um relacionamento que nunca se desgasta, apesar de termos consumido mais de 400 discos dianteiros, pouco menos de 900 jogos de pastilhas de travão e mais de 250 litros de fluido hidráulico.

Tudo muda com o passar do tempo, mas felizmente nós mudamos em conjunto. Tal como em 1998, quando começou nas 250cc, depois de ter conquistado o campeonato de GP de 125cc, com 11 das 15 vitórias possíveis (um recorde que ainda se mantém), e foi um dos primeiros a adoptar o mais recente membro da nossa família: a pinça radial.

Hoje, a nossa pinça radial equipa muitas motos de produção em série, mas na época representava uma inovação revolucionária. Você percebeu a sua vantagem rapidamente porque sabia (e ainda sabe) que podia sempre contar connosco. Não nos poupamos a esforços para o fazer feliz. Você está ciente disso desde 1998 no MotoGP do Japão. E não é por acaso que, já na terceira corrida de 250cc, você conquistou um lugar no pódio. Desde então, você nunca mais deixou de usar as pinças radiais da Brembo.

Da mesma forma, em 2017, estivemos ao seu lado ajudando-o a voltar à pista apenas 23 dias após ter fracturado a tíbia e o perónio. O nosso travão de polegar permitiu cuidar a sua perna direita, tal como tínhamos feito para Mick Doohan, no passado.


Claro, por vezes houve mal-entendidos, como em 2004, quando você ultrapassou Sete Gibernau num picanço que ultrapassou os limites. Você disse: "Eu tive que travar com as mãos, os pés e as orelhas", sem pensar em nós. Mas nós já esquecemos e perdoamos isso.

Depois, houve a época em que venceu o GP da África do Sul de 2004, a sua primeira corrida com a Yamaha, e caiu de joelhos em frente à moto. Por um segundo pensamos que nos ia dar um beijo, mas em vez disso você colou seus lábios na carenagem da M 1. Depois de termos superado a nossa inveja, reconhecemos que era assim que tinha que ser.

Você sempre foi um defensor dos detalhes, o que é uma característica necessária para quem quer ganhar e não se contenta com menos. Isso explica como você foi o primeiro e ainda é o único piloto a conquistar o título de campeão mundial em cinco classes diferentes: 125cc, 250cc, 500cc, 800cc e 990cc.

Ainda mais importante, pode gabar-se da sua notável longevidade no desporto: 20 anos e 311 dias desde o primeiro triunfo em MotoGP (GP da República Checa de 1996) até à sua mais recente vitória (GP da Holanda de 2017). Nenhum outro piloto no mundo, incluindo campeões de automobilismo, teve uma tão grande série de sucessos com os travões da Brembo.
Hoje, Valentino, começa um novo capítulo em sua vida.

Desejamos-lhe tudo de melhor em tudo que faz, seja esforço atlético ou a própria vida. O melhor ainda está por vir.

 Cordialmente,
Seus travões Brembo

andardemoto.pt @ 17-2-2019 20:43:22