Portugueses chumbam a sinalização rodoviária

Estudo encomendado pela Associação Portuguesa de Sinalização e Segurança Rodoviária revela que os portugueses não se sentem seguros com a qualidade e quantidade de sinalização rodoviária nas nossas estradas. A avaliação só é positiva no caso das autoestradas.

andardemoto.pt @ 13-3-2020 11:59:31

A consultora PricewaterhouseCoopers apresentou um estudo realizado a pedido da Associação Portuguesa de Sinalização e Segurança Rodoviária, onde o foco era perceber qual a perceção de segurança que os portugueses têm em relação à sinalização rodoviária presente nas diversas vias como estradas municipais (EM) e nacionais (EN), e também nas autoestradas.

Neste estudo, em que foram inquiridos 1001 cidadãos de 18 distritos e das duas regiões autónomas, ficou demonstrado que os portugueses chumbam a sinalização rodoviária e não se sentem em segurança.

Todos inquiridos responderam às questões na condição de peões, sendo que 844 o foram também enquanto condutores de automóveis ou motociclos.


A maior nota negativa é dada às marcas rodoviárias – as pinturas no asfalto que têm como objetivo regular a circulação e orientar o tráfego – em que 69% das pessoas inquiridas tem uma má opinião nas EN, em que encontramos respostas como “não existe sinalização” ou “existe, mas é insuficiente”, enquanto nas EM a percentagem de opinião negativa baixa um pouco para os 64%.

Se a sinalização horizontal que encontramos pintada no asfalto é claramente tida como insegura e insuficiente, a sinalização vertical – os sinais de trânsito que se encontram colocados ao lado da via rodoviária – também não se encontra em situação diferente. Nas EN, 57% dos portugueses não aprova a sinalização vertical, e nas EM a percentagem baixa para os 56%, mas é ainda assim negativa na mesma.

Num panorama tão negro, o estudo encomendado pela Associação Portuguesa de Sinalização e Segurança Rodoviária revela que os portugueses têm uma opinião totalmente diferente no que respeita à sinalização nas nossas autoestradas.

De facto, 81% refere que as marcas rodoviárias no asfalto são boas e a percentagem sobe para os 83% no caso da sinalização vertical.


Neste estudo foi também analisada a perceção sobre a qualidade da sinalização temporária, ou seja, sinalização horizontal ou vertical que é utilizada para regular o tráfego em locais onde decorrem obras ou outras situações. Na perceção da sinalização temporária, os condutores assumem o mesmo sentido de resposta: avaliação negativa das EN e EM (63% e 64%, respetivamente) e bastante positiva nas AE (74%).

A AFESP destaca que os resultados deste estudo revelam que é necessário um maior cuidado na aplicação e manutenção das diversas sinalizações rodoviárias.

Para os motociclistas este acaba por ser um assunto de extrema relevância, em particular a sinalização horizontal. Todos sabemos que uma moto, por utilizar apenas duas rodas, está sujeita a uma dinâmica específica e que obriga a maiores cuidados na condução quando se passa por cima das marcações no asfalto.

É por isso necessário que as autoridades competentes tenham em atenção o estado e qualidade da tinta utilizada para fazer as marcações na estrada. A bem da segurança dos motociclistas e de todos os utilizadores das vias rodoviárias.

andardemoto.pt @ 13-3-2020 11:59:31


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews