Setor das duas rodas na Europa afetado pelo Covid-19

Várias são as marcas que estão a anunciar medidas para ajudar a combater o novo coronavírus. O Covid-19 está a obrigar o setor das duas rodas a alterar a sua forma de funcionamento e várias são as marcas que anunciam o fecho de fábricas na Europa.

andardemoto.pt @ 18-3-2020 10:31:00

Se o impacto ao nível do motociclismo de competição tem sido o mais mediático, com os calendários dos diversos campeonatos (nacionais ou mundiais) a sofrerem alterações ao longo das últimas semanas, não menos importante é o impacto que o novo coronavírus está a ter no funcionamento do setor das duas rodas na Europa.

O Covid-19 está a levar diversas marcas a anunciarem o fecho das suas instalações dedicadas à produção das suas motos.

O grupo liderado por Stefan Pierer, a Pierer Mobility AG, que detém marcas como KTM, Husqvarna ou Gas Gas, anunciou que parou toda a produção de motos até 10 de abril.

Através de um comunicado, a Pierer Mobility AG revela que pediu aos seus trabalhadores para anteciparem as férias para este momento, evitando assim a interrupção não controlada da atividade comercial. Esta medida que afeta a produção da KTM, Husqvarna e Gas Gas é também tomada por possíveis falhas no fornecimento de componentes provenientes de fornecedores italianos.

Mas é em Itália que o Covid-19 está a ter maior impacto, tanto a nível social como de funcionamento das fábricas de motos.

A Ducati anunciou recentemente o encerramento da fábrica de Borgo Panigale. O encerramento da produção inicialmente previsto até 18 de março foi agora prolongado até 25 de março, com a Ducati a revelar que este prolongamento visa permitir a implementação de medidas de segurança contra o coronavírus e seguindo as indicações das autoridades italianas neste momento de emergência que se vive de forma particularmente notória em Itália.

Claudio Domenicali, CEO da Ducati, mostra-se confiante que a marca italiana irá conseguir ultrapassar este momento complicado e refere que “Estou particularmente orgulhoso como os trabalhadores da Ducati enfrentam este momento difícil no nosso país. Para eles, para a sua segurança, medidas e decisões como as que estamos a adotar são necessárias. Contudo, todo o suporte aos nossos clientes está garantido, o mais importante o fornecimento de peças de substituição. Queremos assegurar aos Ducatistas e aos nossos concessionários de todo o mundo: estamos a reorganizar-nos para o recomeço, e mesmo neste período de pausa não iremos falhar no nosso apoio”.


Também a MV Agusta anunciou alterações à forma de funcionamento da sua fábrica em Schiranna, Varese. A marca agora liderada por Timur Sardarov, não optou pelo encerramento total da sua atividade como outras marcas.

De acordo com o comunicado divulgado pela MV Agusta, a casa de Varese optou por manter a linha de produção a funcionar "para resistir ao Covid-19", mas utilizando um número bastante reduzido de trabalhadores. Departamentos não essenciais da MV Agusta foram encerrados para garantir menor número de trabalhadores na fábrica, foram adotadas medidas de trabalho inteligente, e a direção da empresa tem encorajado os trabalhadores a gozarem as suas férias nesta altura.

Ainda em Itália, a Moto Morini anunciou o encerramento da fábrica em Padova através de uma publicação na sua página oficial no Facebook. Também a Brembo, líder mundial de sistemas de travagem para motos, está na mesma situação e a produção está parada.

A Yamaha Motor Europa é outra marca que anunciou o encerramento temporário das suas fábricas. Até dia 22 de março as instalações da Motori Minarelli em Calderara di Reno (Bolonha) e da MBK em França estão fechadas.

Eric de Seynes, presidente e direto executivo da Yamaha Motor Europa, faz questão de destacar que “A saúde dos nossos trabalhadores e responsabilidade social são as nossas prioridades, e por isso tomámos a decisão de suspender temporariamente a produção nestas duas instalações devido à atual pandemia do coronavírus”.

A Yamaha Motor Europa irá avaliar a situação diariamente a partir de dia 22 de março, e atualizar a informação do reatamento da produção de acordo com as possibilidades.

Ainda no setor das duas rodas, mas neste caso ao nível da produção de pneus, a Michelin anunciou que até dia 24 de março a produção está parada nas fábricas que detém em Espanha, França e Itália. O centro de testes que a Michelin tem em Almeria, Espanha, está também encerrado por igual período de tempo.


Em território nacional a pandemia Covid-19 está também a afetar o normal funcionamento das marcas e respetivos concessionários.

A Triumph Portugal confirmou que desde dia 16 de março não tem antendimento ao público nos seus concessionários de Lisboa e Porto.

Aqui fica o comunicado oficial da Triumph Portugal sobre esta situação

“Em virtude da emergência nacional relacionada com a pandemia Covid-19, os concessionários Triumph em Portugal implementaram um Plano de Contingência no mais rigoroso respeito pelas decisões das autoridades de Saúde do Estado Português. Nesse sentido, comunicamos que a partir do dia 16 de março, as nossas instalações encontram-se encerradas ao público. Lamentamos o incómodo causado, mas acreditamos que todos compreenderão a necessidade imperiosa da tomada de medidas para nos protegermos, bem como a todos que connosco contactam. Unidos, conscientes, previdentes e cumpridores ultrapassaremos este momento difícil. Apesar das limitações, estamos disponíveis para contacto através do mail info@triumphportugal.pt ou nas redes sociais da Triumph Portugal”.

andardemoto.pt @ 18-3-2020 10:31:00


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews