Piaggio regista patente para aerodinâmica ativa

Grupo italiano está a desenvolver um pacote aerodinâmico da próxima geração. Foi descoberta uma patente da Piaggio para asas aerodinâmicas ativas.

andardemoto.pt @ 16-5-2020 19:52:35

Se há algo que atualmente todos os fabricantes de motos estão a desenvolver, são pacotes aerodinâmicos para os mais diversos modelos. Inicialmente vimos os protótipos de MotoGP usarem estas asas, que rapidamente chegaram aos modelos de produção em série.

O objetivo destes pacotes aerodinâmicos altamente evoluídos é de oferecer um comportamento dinâmico otimizado a alta velocidade.

O futuro do mundo das duas rodas está na aerodinâmica. E no controlo que isso dá. Porém, as atuais asas fixas, ou seja, que têm uma posição fixa, apresentam algumas limitações em termos de potencial. O efeito aerodinâmico depende do local onde são fixas às carenagens, e também do ângulo em que são posicionadas. Não se consegue modificar em andamento.

Mas o que acontece se a posição das asas se modificar em andamento?

Nesse caso, o fabricante poderá otimizar o efeito aerodinâmico para diferentes momentos de condução de uma moto. Proporcionar mais resistência ao ar durante uma travagem, ajudando a perder velocidade, reduzir o ângulo da asa em aceleração para maximizar a velocidade, ou até criar pequenos movimentos nas asas que permitam estabilizar ou reequilibrar a moto em situações de instabilidade.



É precisamente isso que o grupo Piaggio está a fazer. Pelo menos tendo em conta a nova patente registada pela empresa italiana.

O esquema mostra o que será uma Piaggio MP3 equipada com asas. A acompanhar o esquema da patente, o grupo Piaggio acrescenta uma série de explicações técnicas. Resumidamente, a ideia é que as asas se movimentem de forma dinâmica. Seja por intermédio de comandos do condutor, seja por intermédio de “inputs” gerados pela centralina dedicada ao sistema de aerodinâmica ativa.

Não sabemos ainda até que ponto o grupo Piaggio estará avançado nesta tecnologia. O que sabemos, por informações que nos foram transmitidas por parte de fontes ligadas à Aprilia, é que o grupo italiano está a desenvolver uma nova geração da RSV4.

Foi-nos dito que essa nova superdesportiva de Noale terá, para além de uma potência significativamente superior à atual RSV4 1100 Factory, que entrega 217 cv, toda uma eletrónica ainda mais avançada do que a quarta geração do aPRC, o pacote eletrónico da Aprilia que inclui uma série de ajudas à condução.



E se a nova geração do aPRC incluir também o controlo da aerodinâmica ativa? É uma forte possibilidade.

Na altura em que apresentou a versão conceptual da supersport RS 660, a Aprilia deixou no ar a hipótese dessa moto usar algo parecido com aerodinâmica ativa. No entanto a versão de produção, que deveria estar disponível ainda este ano nos concessionários, não tem. As asas aerodinâmicas são fixas e estão inseridas nas carenagens laterais da RS 660.

No entanto, e tendo em conta que a RSV4 serve para mostrar todo o “know-how” técnico do grupo Piaggio e da Aprilia em concreto, não é de todo descabido pensar que a próxima geração da RSV4 possa contar com asas aerodinâmicas ativas.

andardemoto.pt @ 16-5-2020 19:52:35


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews