MotoGP – A campeã Suzuki reforça-se e anuncia a chegada da Monster Energy

A Ecstar Suzuki anunciou que chegou a acordo com a gigante norte-americana de bebidas energéticas. A partir de 2021 as motos de Joan Mir e de Alex Rins estarão decoradas com as cores da Monster Energy.

andardemoto.pt @ 2-12-2020 11:00:27

A conquista do título de MotoGP já está a ter resultados positivos no reforço da equipa Ecstar Suzuki. A formação de fábrica da casa de Hamamatsu anunciou a chegada de um importante parceiro para os seus planos em MotoGP: a Monster Energy.

Após um longo processo de negociação que teve o seu início ainda antes do início da temporada, a Monster Energy, liderada por Rodney Sacks, finalmente chegou a acordo com a equipa liderada por Davide Brivio, e assim a gigante norte-americana de bebidas energéticas alarga a sua ação em MotoGP, sendo que a partir de 2021 as suas cores vão abrilhantar as carenagens das Suzuki GSX-RR de Joan Mir e de Alex Rins.

A chegada de um patrocinador principal deixa a equipa campeã Ecstar Suzuki numa posição bastante mais confortável em termos financeiros.



Desde que regressou em 2015, a equipa de Davide Brivio nunca apresentou um patrocinador principal nas suas motos. E com isso nunca beneficiou da entrada de dinheiro que representa ter um patrocinador principal. Recordamos que a Ecstar é uma marca de lubrificantes do grupo Suzuki.

Embora tenha conseguido em cinco anos chegar ao título de MotoGP, a injeção de capital que acontece em 2021 por força da entrada da Monster Energy deixa a Ecstar Suzuki com outros argumentos financeiros para implementar a sua estratégia, tanto ao nível do desenvolvimento do seu protótipo, como também ao nível de pilotos, pois terá novos argumentos para proteger Joan Mir e Alex Rins de ataques de fabricantes rivais que os queiram contratar.

O acordo entre a Ecstar Suzuki e a Monster Energy terá início em 2021 e não tem um prazo definido para terminar. As duas partes apenas anunciaram que é um acordo plurianual.

A Monster Energy, que já é há alguns anos patrocinador pessoal dos dois pilotos da Suzuki, também dá o seu nome à equipa de fábrica da Yamaha, a Monster Energy Yamaha. A ligação com a equipa de Iwata nasceu em 2019 depois da Movistar deixar de patrocinar a equipa Yamaha.


Imagem criada por computador que imagina como será a Suzuki GSX-RR com as cores da Monster Energy em 2021

Imagem criada por computador que imagina como será a Suzuki GSX-RR com as cores da Monster Energy em 2021


Com a entrada da Monster Energy como patrocinador principal da Ecstar Suzuki, será também interessante perceber como se posicionam os seus rivais. Com a Yamaha e agora a Suzuki, a Monster Energy de Rodney Sacks alarga o seu campo de ação para duas equipas.

A Red Bull, patrocinador principal da equipa de fábrica da KTM e também da Tech3, já fez saber que em 2021 não tem interesse em continuar a promover a sua imagem nas motos da equipa de Hervé Poncharal.

Os rumores de que a Red Bull não iria cumprir o seu contrato até final de 2021 com a Tech3 começaram no Grande Prémio da Estíria, que teve precisamente Miguel Oliveira e a Tech3 como vencedores. Mas nem mesmo essa vitória mudou a opinião dos responsáveis da marca de bebidas energéticas.

A verdade é que os rumores desse abandono foram-se intensificando nas últimas semanas, mas até ao momento não há ainda anúncio oficial da separação entre a Red Bull e a Tech3.

Com a Monster Energy a reforçar a sua posição, a Red Bull poderá estar a repensar a sua estratégia e até poderá dar-se o caso de, ao contrário do esperado, continuar a decorar as KTM RC16 de Hervé Poncharal e da Tech3 em 2021. Qualquer que seja a decisão da Red Bull, a equipa Tech3 tem sempre a certeza de que será a KTM a responsável por encontrar um patrocinador para a estrutura francesa.

andardemoto.pt @ 2-12-2020 11:00:27


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP