MotoGP, 2022, Mugello – Antevisão, Grande Prémio de Itália

Não há lugar como Mugello

Adicione-se tradição, lenda, mito e fábula ao campeonato de motociclismo mais rápido do mundo e obtemos a receita para espetáculo garantido nas três classes

andardemoto.pt @ 24-5-2022 09:30:58 - Paulo Araújo

 Senhoras e senhores, Mugello. O traçado italiano é tão impregnado de carácter, lenda e mito - da melhor maneira - que pouco mais precisa de ser dito. E no entanto, há muito a dizer quando o Campeonato Mundial de MotoGP se dirige para a Toscana e as colinas ondulantes do Gran Premio d'Italia Oakley.

Para Enea Bastianini (Gresini Racing) começar em modo Besta seria a continuidade de Le Mans, a entrar na sua primeira corrida caseira como vencedor já por três vezes, sério candidata ao título e uma piloto extremamente rápido.

A glória em casa seria algo ainda mais especial, e com a forma vista em Le Mans é difícil encontrar uma razão para o descartar... e a Ducati tem visto muita glória recente no solo sagrado de Mugello.

Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo) estará bem ciente disso e, apesar de se ter despistado em Le Mans, foi mais uma vez rápido. Demasiado rápido para todos, excepto Bastianini.

O companheiro de equipa Jack Miller, entretanto, chega de outro pódio, mas desta vez não do degrau mais alto, e vai querer continuar a reafirmar a sua autoridade como um concorrente seguro na frente - com alguma má sorte e um início de temporada duro deixados para trás.


Na Pramac Racing, a moeda tem dois lados. Johann Zarco fez uma prova sólida em casa, enquanto Jorge Martin sofreu outra desistência numa corrida difícil, o espanhol ainda a sofrer os efeitos da sua grande queda no ano passado.

Que podem eles fazer no relvado da casa da equipa? A mesma pergunta pode ser feita também à Mooney VR46 Racing Team, já que o estreante Marco Bezzecchi continua a liderar a luta pelo Rookie do Ano e continua a impressionar.

O que é que ele e o colega de equipa Luca Marini vão ter na manga em Mugello?


Depois, nas Moto2, Vietti e Arbolino estarão em busca de glória em terra natal

Ambos já ganharam este ano, mas Augusto Fernández (KTM Red Bull Ajo) chega à Toscana com a força do seu sucesso em Le Mans.

Entretanto, Celestino Vietti (Mooney VR46 Racing Team) permanece no topo da classificação do campeonato mundial. O piemontês e Tony Arbolino (Elf Marc VDS Racing Team) querem ser a lei em Mugello.

O companheiro de boxe de Fernández – o estreante Pedro Acosta - procurará redimir-se após a grande desilusão em solo francês. Somkiat Chantra (Honda Idemitsu Team Asia) e o companheiro de equipa Ai Ogura estarão na frente, assim como Sam Lowes (Elf Marc VDS Racing Team) e Jake Dixon (Solunion GASGAS Aspar Team), ambos em destaque em França.

Cameron Beaubier (American Racing) tem em vista o seu primeiro pódio, e Aron Canet (Flexbox HP 40) ostenta a melhor série de resultados na Moto2 e nem mesmo a lesão das últimas semanas parece limitá-lo.


Já nas Moto3, Dennis Foggia (Leopard Racing) lidera a carga dos heróis domésticos.

Os italianos já dominaram no ano passado, mas haverá uma competição séria - sobretudo por parte de outros como Jaume Masia (KTM Red Bull Ajo) e o líder do Campeonato Sergio Garcia (Valresa GASGAS Aspar Team).

andardemoto.pt @ 24-5-2022 09:30:58 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP