MotoGP, 2022, Mugello – Rookies brilham com Di Giannantonio na pole

Bezzecchi e Marini a seguir, Oliveira 15º

Fabio Di Giannantonio teve o desempenho da sua carreira para conquistar uma primeira pole de MotoGP depois de ter levado a melhor sobre os também estreantes Marco Bezzecchi e Luca Marini em condições complicadas que incluíram chuva e mais uma queda para Márquez 

andardemoto.pt @ 28-5-2022 14:58:42 - Paulo Araújo

Após três sessões de treino em condições secas, o TL4 tornou-se uma antevisão para a qualificação com a chuva a atingir o circuito de Mugello.

À medida que cada vez mais chuva começava a cair, Márquez saiu do pit lane com pneus slick, uma decisão que lamentou logo a seguir.

À medida que fazia o exterior de Fabio Quartararo, Luca Marini e Marco Bezzecchi, Márquez foi cuspido na saída da curva dois, e aterrou violentamente na cabeça e ombro.

A moto do oito vezes campeão do mundo desintegrou-se e incendiou-se, com Márquez na gravilha. Felizmente, Márquez voltou aos seus pés relativamente depressa antes de regressar ao pit lane. Sem uma volta completa, as bandeiras vermelhas foram mostradas e tudo parou.

Uma vez reiniciada a sessão, todos os pilotos voltaram para a pista com pneus slick, e com base na sua impressionante performance no Q1, Fabio Di Giannantonio encontrou imediatamente o seu ritmo no topo da tabela.

Di Giannantonio ficou a 1,2 segundos de Bezzecchi, enquanto Luca Marini fez uma fila da frente provisória toda Ducati.



O domínio das Ducati continuou à medida que o Q2 se desenvolvia, mas desta vez foi Zarco a liderar, com Bagnaia a ocupar o terceiro lugar.

Com Di Giannantonio a regressar à pole provisória, vários pilotos tentaram desalojar o italiano na sua última volta.

Bezzecchi fez exactamente isso ao andar dois décimos mais depressa, mas com Di Giannantonio ainda a levar a bandeira axadrezada, o piloto da Ducati Gresini acendeu quatro setores vermelhos ao cruzar a linha para eventualmente marcar o tempo de 1:46.156s, pelo que a pole era sua.

Com as condições a continuarem a revelar-se difíceis, Marc Márquez, Alex Rins, Joan Mir e Jack Miller eram grandes nomes em destacaque que precisavam de encontrar ritmo. 

Como esperado, Miller não perdeu tempo em ficar confortável, no entanto, o piloto da Ducati de fábrica foi derrotado pelo vencedor de Mandalika Miguel Oliveira.



Brad Binder fez outra aposta arriscada ao correr em pneus slick numa pista húmida.

O sul-africano foi imediatamente recompensado pela sua bravura ao andar três segundos mais rápido do que o companheiro de equipa Oliveira.O tempo de Binder fez com que Maverick Viñales, Rins e Miller regressassem todos ao pit lane a fim de colocar pneus slick.

Com a chuva forte a começar a cair no sector 2, Michele Pirro parecia ter cronometrado a sua volta à perfeição, pois foi o segundo mais rápido.

No entanto, os especialistas em tempo misto Miller e Márquez mostraram uma bravura inacreditável em primeiro e segundo lugar, apesar da chuva continuar a cair. O par melhorou na volta seguinte, mas foi Di Giannantonio o piloto com mais ritmo.

Miller encontrou ainda mais na sua última volta para passar momentaneamente ao segundo lugar, mas com Márquez aconchegado atrás, o piloto da Honda Repsol bateu o australiano assim que este ultrapassou a linha.

Antes do início da qualificação, Jorge Martin fora atingido com uma penalização de três lugares na grelha devido a pilotagem irresponsável no TL3.

andardemoto.pt @ 28-5-2022 14:58:42 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP