MotoGP 2024, Teste Lusail - Bagnaia lidera

Oliveira mal em 21º

A Ducati começou em grande o teste final de Lusail, apesar da ameaça sempre presente da Aprilia.

andardemoto.pt @ 19-2-2024 20:47:00 - Paulo Araújo

O dia de abertura no Circuito Internacional de Lusail demorou algum tempo a arrancar, com o vento a atrapalhar; no entanto, assim que o sol começou a pôr-se, vimos uma enxurrada de ataques ao tempo.

Bagnaia liderou, embora ainda tenha um longo caminho a percorrer se quiser alcançar o recorde de volta de Luca Marini de 1:51:762-

Fabio Di Giannantonio (Pertamina Enduro VR46 Racing) continua a animar a pré-época com o 5º lugar a ajudar a melhorar o seu desempenho em Sepang, enquanto Marco Bezzecchi (Pertamina Enduro VR46 Racing) se encontrou novamente fora do Top 10 em 11º.

Na Gresini Racing, Alex Márquez foi sétimo na tabela de tempos com Marc Márquez em 16º após 58 voltas na segunda-feira, o que significa que já conta com mais de 280 voltas a bordo da Desmosedici sem acidentes.


Aprilia Racing & Trackhouse Racing

Com o seu elegante esquema de cores de 2024, a Aprilia espantou com o seu desempenho no Dia 1. Maverick Viñales (Aprilia Racing) passou grande parte do dia em 1º antes de baixar para sexto, enquanto Aleix Espargaró foi o melhor classificado em 3º.

A certa altura, três RS-GPs ocuparam os três primeiros lugares da tabela de tempos, com Raul Fernández (Trackhouse Racing) a fazer um esforço brilha para se juntar aos seus colegas de fábrica no final, antes de terminar o dia em 12º.

Miguel Oliveira ainda não está à vontade da RS-GP e terminou em 21º.


KTM Red Bull Factory Racing & GASGAS Red Bull Tech3

As tabelas de tempos foram animadoras para as RC16, com Binder em quarto, Jack Miller (KTM Red Bull Factory Racing) e o estreante Pedro Acosta (GASGAS Tech3) ambos na casa do 1:52, enquanto o último fez o maior número de voltas de todos, com 73.

As frustrações de Augusto Fernández (GASGAS Tech3) na pré-temporada continuaram, com o Campeão do Mundo de Moto2 de 2022 a ficar em 20º e a sofrer uma queda, para além de alguns problemas técnicos no início do dia.

A marca austríaca esteve bastante ocupada com duas novas especificações de motor e uma série de diferentes configurações aerodinâmicas no programa, embora pareça que a nova entrada de ar não tenha impressionado os pilotos.



Honda Repsol e Honda LCR

As Honda encontraram várias melhorias para a RC213V que tiveram um impacto inicial. Johann Zarco (Honda Castrol LCR) é o melhor piloto em 9º, mas fez o seu ataque ao tempo com o novo aerofólio e asas que trouxeram para o Qatar enquanto Mir foi 13º.

Luca Marini (Honda Repsol) pediu mais downforce e a equipa respondeu rapidamente. Também parece que a marca japonesa se adaptou ao seu novo motor, enquanto todos os quatro pilotos utilizaram o novo braço oscilante.

Yamaha Monster Energy

Tendo conquistado um top 10 no dia de abertura, terça-feira será um dia intenso de acordo com Fabio Quartararo, já que a estrela da Yamaha procura encontrar uma forma de tornar a M1 mais suave e melhorar a sua aderência nos ataques de tempo.

Esse é o principal problema que a fábrica de Iwata enfrenta, e o Campeão do Mundo de 2021 acredita que ainda tem muito trabalho a fazer para alcançar o próximo passo.


andardemoto.pt @ 19-2-2024 20:47:00 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: MotoGP