Teste Bluroc Hunt XC 125 - Diversão garantida

A Bluroc Hunt XC 125 serve-se do seu estilo descomprometido para deixar a sua marca num dos mais concorridos segmentos do mercado. Estará o conteúdo à altura da imagem?

andardemoto.pt @ 27-10-2022 07:33:00 - Texto: Pedro Alpiarça | Fotos: Luis Duarte

Antigamente designada por Bullit Motorcycles, a firma Belga que se especializou em scramblers de baixa motorização mudou o seu nome para Bluroc.

Sob o mote de entregar estilo, liberdade e atitude em todos os seus modelos, não é de estranhar que esta Hunt 125 XC tenha causado sensação sempre que a parávamos.

As suas jantes de 18” montando pneus mistos e o grande depósito de 15L marcam-lhe a silhueta retro, e a sua cor verde mate dá-lhe uma aura rebelde.

Um olhar mais atento descobre pormenores bastante interessantes, como o farol ou a tampa do depósito, a fazerem lembrar máquinas de outras épocas.

Este é o sentimento geral a bordo desta pequena máquina, algures no tempo perdida, que dá muita vontade de perdermos tempo com ela.

Gosto bastante de ser surpreendido pelas motos que testo e quando me sentei aos comandos desta pequena 125 cc, simpatizei imediatamente com a sua ergonomia e com a acessibilidade dos seus comandos.

Estamos de braços bem abertos e direitos no posto de condução, o assento (750 mm de altura ao solo) é confortável e espaçoso e a caixa assertiva e directa ajuda a perceber melhor o carácter motriz da máquina.


Aqui não há grandes loucuras, são 9,8 cv extraídos de um único cilindro de 125 cc. A unidade testada tinha feito apenas 17 km no mundo real. Gentileza e respeito pela mecânica impunha-se, portanto. 

No painel de instrumentos, um LCD redondo, todas as informações básicas estão bem legíveis (indicador de mudança engrenada, temperatura do motor, nível de combustível, etc.), mas o conta-rotações marcado até às 12 000 rotações parecia-me demasiado optimista.

A Hunt tem uma resposta solícita desde os baixos regimes, mas o pequeno pequeno motor não adora altas rotações, gosta de rolar embalado, sem gritos nem frenesins rotativos. 

Quando lhe pedimos para se deitar, consegue a proeza de se manter certinha, as suspensões foram a peça ciclística que mais me agradou. Com um ângulo de direcção bastante pronunciado, é nervosa nas reacções, revelando uma atitude ágil (são 118 Kg a cheio) e confiante na frente.

As irregularidades do piso acabam por ser debeladas com alguma displicência, fruto de um bom equilíbrio do conjunto, e isso ajuda-nos a carregar (alguma) velocidade em curva com bastante facilidade.

A travagem combinada acompanha a honestidade geral, cumpre e não complica. 
De um modo geral, a Bluroc Hunt XC 125 elogia o condutor com a sua atitude descomprometida.


 O facto de não se levar muito a sério dá-lhe uma aura divertida e livre de preconceito pelo seu tamanho, um claro exemplo de uma moto que sabe marcar a sua presença sem presunções nem falsas promessas. 

Gostaria que tivesse alguns acabamentos mais cuidados, sobretudo na secção traseira (a furação onde passa a alimentação para o farolim, por exemplo), mas de um modo geral, não desilude.

Até pelo preço, pois serão precisos apenas 3.099 € para poder andar por aí a esbanjar estilo nas cidades mais cinzentas. 

andardemoto.pt @ 27-10-2022 07:33:00 - Texto: Pedro Alpiarça | Fotos: Luis Duarte


Clique aqui para ver mais sobre: Test drives