Dakar 2018: Etapa1 - Sunderland vence em dia azarado para Joaquim Rodrigues

Britânico da KTM venceu a primeira etapa do Rali Dakar. Joaquim Rodrigues voou numa duna e foi obrigado a desistir.

andardemoto.pt @ 7-1-2018 01:37:32

Sam Sunderland o mais rápido nas dunas de Pisco

Sam Sunderland o mais rápido nas dunas de Pisco

Após uma longa espera de 12 meses, teve início a edição de 2018 do Rali Dakar, a prova rainha do todo-o-terreno mundial e que este ano celebra a sua 40ª edição. Num dia que se previa que fosse apenas para aquecer os músculos e motores, as coisas não começaram da melhor forma para as cores portuguesas.

Joaquim Rodrigues, aos comandos da sua Hero Motorsports, e que depois do abandono ainda antes do início do Dakar dos pilotos lusos em que recaíam as maiores esperanças – Paulo Gonçalves, Hélder Rodrigues e Mário Patrão – foi obrigado a desistir após uma queda brutal ainda no início da especial cronometrada de 31 kms.

Numa das muitas dunas que compunham o “loop” com início e fim em Pisco, Joaquim Rodrigues calculou mal o caminho e acabou por voar de forma espectacular do topo de uma duna para a seguinte.


J-Rod bem-disposto já no Hospital Regional de Ica

J-Rod bem-disposto já no Hospital Regional de Ica

A aterragem foi brutal, com o piloto luso a ficar caído na areia por largos minutos, até ser assistido no local. Depois de estabilizado, “J-Rod” foi evacuado para o Hospital Regional de Ica, onde foi observado e submetido a vários exames médicos, sendo que, ao contrário do que as imagens da queda davam a entender, e das primeiras informações, o piloto da Hero Motorsports não sofreu lesões graves. Aliás, o próprio já fez questão de tranquilizar-nos com algumas fotos publicadas nas redes sociais, onde aparece bem-disposto, apesar de ostentar algumas marcas de “guerra”.

Sendo assim, a comitiva lusa fica desde já reduzida a apenas um piloto. Fausto Mota, em KTM, chegou ao final do dia com uma diferença de pouco mais de 9 minutos para o vencedor da primeira etapa deste Rali Dakar. Assim, Fausto Mota aparece na classificação geral das motos em 56º, curiosamente o mesmo número que ostenta nas carenagens e dorsal.

Quanto aos mais rápidos do dia, e mesmo sendo esta uma etapa apenas para aquecer e definir posições de arranque para a segunda etapa, os favoritos à vitória final fizeram questão de dizer “presente!” desde já.


O mais rápido no piso de areia foi o actual detentor do título, o britânico Sam Sunderland, Red Bull KTM Factory Team. Sunderland, após longa ligação que deu início ao rali, demorou 20m55s a percorrer a especial cronometrada, e deixou atrás de si aqueles que se espera que sejam os seus mais directos adversários na luta pela vitória final.

Adrien Van Beveren (Yamalube Yamaha Official Rally Team) foi segundo hoje com diferença de 33 segundos para Sunderland, Pablo Quintanilla (Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing) o terceiro a 56 segundos, e Joan Barreda (Monster Energy Honda Team) o quarto a 57 segundos do líder.

Destaque para o facto de que as quatro primeiras posições do Rali Dakar são ocupadas, após esta primeira etapa, por quatro motos diferentes: KTM, Yamaha, Husqvarna e Honda.

De referir que ainda hoje houve mais uma desistência na comitiva das motos, pois o alemão Juergen Droessiger, de 53 anos, um piloto amador, esteve envolvido num acidente com um automóvel ainda durante a ligação até à especial cronometrada, fracturou uma mão e teve mesmo de desistir.

Depois do aquecimento desta primeira etapa, o segundo dia será já bastante mais duro: um novo “loop” em Pisco, mas agora com 267 kms de especial cronometrada de um total de 279 kms a percorrer, sendo que apesar do piso continuar a ser maioritariamente de areia, os pilotos já vão encontrar terra um pouco mais dura e algumas pedras.

Veja o resumo da 1ª etapa:

andardemoto.pt @ 7-1-2018 01:37:32