Dakar 2019: 4.ª etapa marcou início da jornada maratona

Os pilotos do Dakar cumpriram na quarta etapa a primeira parte de uma jornada maratona que ligou a cidade turística Arequipa a Moqueada. Paulo Gonçalves foi o 6.º a cortar a meta e subiu para o 8.º lugar da classificação geral.

andardemoto.pt @ 11-1-2019 14:14:18

Paulo Gonçalves

Paulo Gonçalves

A caravana seguiu até Moquegua num total de 405 quilómetros cronometrados. Por ser etapa maratona, sem direito a assistência mecânica por parte das equipas no final, os pilotos são forçados a gerir a moto e a sua condição física ao longo da tirada.

Paulo Gonçalves voltou a ser o português em destaque nesta etapa, terminado com o 6.º melhor tempo a 13m36s do vencedor e colega de equipa, Ricky Brabec, líder provisório à geral. Com este resultado, o piloto da Honda ocupa agora o 8.º lugar na tabela geral, a 20m45s do líder.

Segundo Paulo Gonçalves, "hoje foi o primeiro dia de etapa maratona, uma especial com 400 quilómetros, cambiou muito o cenário dos três primeiros, tivemos apenas 3 ou 4 quilómetros de dunas, o resto foram pistas rápidas com muito fesh-fesh e muita pedra. A minha prioridade era chegar ao fim deste primeiro dia de maratona sem problemas, não ter trabalho na mecânica e também conservar o físico. Amanhã o objetivo é terminar também sem problemas para que possamos chegar ao dia de descanso e poder recuperar o físico".

Mário Patrão

Mário Patrão

Aos comandos da KTM 450 RALLY, Mário Patrão está também em destaque no Top 25, gastando 4h09m28s a percorrer a especial do dia. O piloto foi o 24.º a cortar a meta e ocupa o 21.º posto da tabela geral.“Perfizemos hoje 500 quilómetros, em que uma vez mais o “fesh fesh” foi rei. Hoje na etapa maratona respira-se o verdadeiro espírito do Dakar, não havendo assistência por parte das equipas, cabe aos pilotos verificar as motos! Realizei a minha etapa num timbre mais cauteloso para evitar desgastes que amanhã podem ser cruciais nos 800km que nos esperam", comentou o piloto de Seia.


Sebastian Bühler

Sebastian Bühler

Por sua vez, Sebastian Bühler continua a imprimir um excelente andamento nesta que está a ser a sua estreia no Dakar. Na quarta etapa, o piloto da Bühler Racing Team foi o 27.º mais rápido melhorando 14 posições face à etapa do dia anterior. Na classificação geral ocupa o 33.º posto e é 4.º entre os Rookies.

“A etapa de ontem tinha uma especial dura, exigente, com muita navegação. Há sempre muito pó e a visibilidade torna-se reduzida. Ainda assim, o dia correu muito bem. Consegui manter um ritmo regular a consistente que me permitiu melhor a classificação da classe e à geral e estou muito satisfeito por isso. À chegada não pudemos contar com a habitual assistência por se tratar de uma etapa maratona, mas parto para o dia de hoje mais motivado”, afirmou o jovem piloto da KTM antes de partir para a segunda parte da jornada maratona.

Joaquim Rodrigues

Joaquim Rodrigues

Joaquim Rodrigues superou de forma segura alguns adversários ao longo da tirada, mas apenas na parte final conseguiu encontrar um ritmo mais confortável, ainda assim não suficiente para minimizar a perda de 36m50s para o vencedor do dia. Com o 30.º melhor tempo, Rodrigues é agora o 31.º colocado na tabela geral provisória. 

"Não foi fácil para mim hoje conseguir evoluir na primeira parte da especial, pois partir de trás e apanhar o muito pó dos pilotos da frente elevou em muito o risco para esta etapa maratona. Decidi ser cauteloso e não cometer excessos para poder seguir de forma confortável até ao final. Após a neutralização consegui subir de ritmo nas partes mais técnicas e recuperar algumas posições, terminando o dia no Top 30. Estou contente por ter chegado ao bivouac sem nenhum problema, isso era o mais importante" afirmou o piloto da Hero.


António Maio

António Maio

António Maio conseguiu realizar uma etapa menos problemática, embora marcada pela necessidade de fazer mais de uma dezena de ultrapassagens. Com tanto pó que a pista levantava, essas ultrapassagens acabaram por limitar a sua capacidade para recuperar mais posições na classificação geral.

À chegada a Moquegua, o piloto da Yamaha Fino Motor Racing, explicou que “o dia correu bem apesar de sido forçado a sair um pouco mais atrás do que gostaria, mas como ontem nem tudo correu bem tive essa consequência. Com isso tive de ultrapassar muitos pilotos mais lentos o que me quebrava bastante o ritmo. O importante é que não cometi erros na navegação, não caí e trouxe até aqui a moto num estado impecável”.

David Megre fechou o dia na 55.ª posição e passou a ocupar o 45.º posto da classificação geral. Em 2017 David Megre abandonou no decorrer da quarta etapa do Dakar e, por isso, este foi um dia especial.

"Mais um dia de desafio extremo mas que foi suplantado. A minha moto está a 100% mas nas etapas maratona temos que proteger o material, em especial os pneus, para evitar estarmos muitas horas a reparar as motos perdendo horas de descanso que no Dakar são muito importantes nesta fase da competição. O frio e o nevoeiro não ajudaram nestes dois últimos dias, mas são dificuldades ultrapassadas e amanhã veremos como corre a segunda metade desta etapa maratona", afirmou o piloto ribatejano.

Fausto Mota

Fausto Mota

A jornada maratona teve um início difícil para Fausto Mota. Pouco depois do arranque para o setor seletivo de 405 quilómetros cronometrados, o piloto do Tesla-Tamega Rally foi obrigado a parar devido a um problema mecânico que lhe fez perder mais de duas horas, mas conseguiu retomar a prova e chegar com sucesso ao final da especial.

Antes da partida para a quinta etapa, Fausto Mota explicou o que aconteceu: “alguns quilómetros após o arranque para a especial do dia senti que a mota estava com algum problema. Parei e ainda perdi algum tempo a tentar identificar o que se tratava. Depois consegui resolver o problema e continuar o percurso até chegar ao final. Conclui a especial do dia. As corridas são assim mesmo. Continuamos na luta e hoje temos a segunda parte da etapa maratona para disputar".

O amador Miguel Caetano subiu duas posições face à etapa anterior e parte para a segunda metade da jornada maratona no 93.º lugar da tabela geral classificativa.

Por último, uma nota sobre o também amador Hugo Lopes, que foi forçado a abandonar a prova devido a problemas com a moto, que não aguentou o duro trajeto a especial mais longa do Dakar. Terminou assim o sonho do jovem português, que conseguiu participar nesta mítica prova graças a uma plataforma de crowdfunding que apoia projetos desportivos na Suíça, país onde cresceu.

Esta sexta-feira disputa-se a quinta etapa do Rali Dakar que vai ligar, ao longo de 776 quilómetros, as cidades de Moquegua e Arequipa, e que inclui um setor seletivo de 345 quilómetros disputados ao cronómetro. No sábado, a caravana poderá gozar o merecido dia de descanso em Arequipa.

andardemoto.pt @ 11-1-2019 14:14:18