SBK Tailândia – Brembo afirma que Chang é um dos piores circuitos para os travões

A segunda ronda do Mundial Superbike vai realizar-se no próximo fim de semana no circuito the Chang, em Buriram. A ronda tailandesa é das piores para os travões, e a Brembo revela os segredos da travagem das Superbike.

andardemoto.pt @ 14-3-2019 12:08:09

Com 4.554 metros de extensão, o circuito tailandês de Chang, em Buriram, recebe já a partir desta sexta feira o primeiro dia de ação da segunda ronda do Mundial Superbike. Depois da ronda australiana dominada pela Aruba.it Ducati e Alvaro Bautista, as atenções centram-se agora na resposta que o tetracampeão do mundo Jonathan Rea vai dar a este ataque dos seus rivais, e a Kawasaki promete responder à altura.

Mas como acontece em todas as corridas de motos, também nesta do Mundial Superbike é necessário prestar especial atenção aos travões, e mais uma vez os especialistas da Brembo dão-nos uma visão bem especial do que são os segredos da travagem durante a ronda tailandesa do Mundial Superbike em Chang.

De acordo com os dados fornecidos pela Brembo, que equipa a grande maioria das motos da categoria Superbike, Chang é um circuito que exige muito dos travões, e na escala 1 a 5 que define a dificuldade de travagem, Chang recebe nota máxima igualando apenas outros dois circuitos (Donington e Imola), não só devido às suas curvas que obrigam a travagens fortes e prolongadas, mas também devido ao meio ambiente em que o circuito tailandês se insere. A temperatura ambiente em Chang ronda os 32 a 36ºC, e o asfalto atinge nada menos do que 41 a 50ºC.

Ao contrário de Phillip Island, que fica perto do mar e por isso as temperaturas são mais baixas, os discos de aço das Superbike têm de enfrentar muitas travagens ao longo de uma volta ao circuito de Chang. No total são 25 segundos que os pilotos pressionam os travões das suas motos, distribuídos por 7 zonas de travagens, o que transpondo para uma corrida de Superbike significa que os travões dão usados por um total de 8m15s ao longo de uma corrida de 20 voltas! Com temperaturas tão elevadas e com tantas travagens consecutivas no miolo do circuito, os discos de aço sobem de temperatura de forma anormal, criando dificuldades acrescidas para os pilotos e para os técnicos da Brembo.


Das sete zonas de travagem identificadas pela Brembo, a mais complicada é a que dá acesso à curva 3. Depois de percorrerem a fundo uma reta de cerca de um quilómetro, os pilotos travam durante 5,4 segundos a partir dos 305 km/h, entrando na curva 3, um gancho à direita, a apenas 70 km/h.

A distância percorrida em travagem é de uns impressionantes 236 metros, e a Brembo assegura que o seu sistema de travagem tem de suportar uma pressão de 10.8 bar, enquanto outras estatísticas impressionantes apontam para que ao longo do decurso de uma corrida em Chang, um piloto de Superbike tem de enfrentar uma desaceleração média de 1,27 g, e se somadas todas as forças exercidas pelo piloto desde o início da corrida até à bandeira de xadrez, a manete de travão terá suportado um total de 700 kg!

Agora que já sabe os segredos da travagem da segunda ronda do Mundial Superbike, no circuito de Chang, Tailândia, fique atento ao seu Andar de Moto para ficar a par de todos os resultados e informações sobre o que vai acontecer em pista.

andardemoto.pt @ 14-3-2019 12:08:09