SBK – Recordista Bautista soma e segue com dupla vitória em Assen

Espanhol da Aruba.it Ducati voltou a dominar uma ronda do Mundial Superbike e alcançou novo recorde de vitórias consecutivas. Jonathan Rea e Michael van der Mark dividiram o pódio, enquanto no Mundial Supersport Federico Caricasulo levou a melhor mesmo na linha de meta.

andardemoto.pt @ 14-4-2019 15:22:37

O circuito holandês de Assen recebeu mais uma ronda do Mundial Superbike, e depois das condições climatéricas terem obrigado a cancelar o programa de sábado, pois para além da chuva e do frio, o granizo e depois a neve impediram que os pilotos pudessem rodar em segurança. Assim sendo, a organização optou por realizar todas as corridas do Mundial Superbike no domingo, eliminando do programa a corrida Superpole.

No circuito holandês esperávamos ver Alvaro Bautista (Aruba.it Ducati) a não conseguir dominar a seu belo prazer as operações. Primeiro porque Jonathan Rea (Kawasaki Racing Team) é um especialista em Assen, e depois porque a Ducati viu o limite de rotações baixar em 250 rpm.

Mas nem isso fez com que Bautista deixasse de exercer o seu domínio sobre os seus rivais, e o espanhol aproveitou a ronda holandesa para bater mais alguns recordes.

Partindo da “pole position”, Alvaro Bautista arrancou na frente do pelotão e não mais largou essa primeira posição durante a Corrida 1 de Superbike. Ao contrário das rondas anteriores, a Panigale V4 R não se revelou tão demolidora, mas ainda assim, Bautista foi amealhando preciosos décimos de segundo a cada volta e no final voltava a vencer mais uma corrida neste seu ano de estreia no Mundial Superbike. 10 vitórias em 10 corridas realizadas!

A luta pelos restantes lugares do pódio foi interessante, com Jonathan Rea a bater o piloto da casa Michael van der Mark (PATA Yamaha World SBK), que assim finalmente subia ao pódio em frente aos seus fãs na categoria Superbike, enquanto Rea via o seu registo de vitórias consecutivas em Assen ser terminado por Bautista.

Na Corrida 2 a história foi um pouco diferente, embora o resultado final tenha sido nova vitória de Alvaro Bautista.

Partindo da 8ª posição na grelha de partida, Jonathan Rea arrancou de forma perfeita e rapidamente alcançou o segundo lugar nos momentos iniciais da segunda corrida das Superbike. O campeão não quis deixar Bautista fugir na frente, e sem esperar muito tempo, Rea atacou a liderança e conseguiu mesmo destronar o líder invicto do campeonato dessa posição.

Com Rea a puxar a sua Kawasaki Ninja ZX-10RR e os pneus Pirelli aos limites, Bautista preferiu esperar um pouco para ver o que o seu rival conseguia fazer, estudando algumas trajetórias diferentes. E a verdade é que Bautista não demorou muito a voltar ao lugar que tantas vezes tem ocupado esta temporada.


Ao sentir que podia chegar perigo, pois o seu companheiro de equipa Chaz Davies já o estava a pressionar, Alvaro Bautista tratou de ultrapassar Jonathan Rea, com o campeão depois a ser também ultrapassado por Davies. Com as duas Ducati oficiais na frente, Bautista decidiu então impor um ritmo mais forte realizando várias voltas consecutivas em 1m34s, o que lhe permitiu garantir uma distância de cerca de 5 segundos para os seus perseguidores.

Com Bautista a fugir na frente e a realizar novo recorde da volta em Assen, Jonathan Rea tentou responder ao ataque do espanhol. Passou o galês Chaz Davies e partiu em perseguição do líder. No entanto Bautista nunca deixou a diferença para Rea baixar dos 4 segundos. Mais atrás, Michael van der Mark, depois de se desenvencilhar do companheiro de equipa da PATA Yamaha World SBK, Alex Lowes, e talvez empurrado pela energida dos seus fãs holandeses, conseguiu imprimir um ritmo fantástico com a R1, e volta após volta aproximou-se da traseira da Ninja de Jonathan Rea.

Nas duas voltas finais Van der Mark pressionou Rea, e num dos locais mais improváveis, uma secção bastante rápida do circuito de Assen, o holandês surpreendeu o campeão e passou para segundo. Rea ainda tentou responder antes da linha de meta, acelerou forte à saída da última chicane de Assen, mas Michael van der Mark assegurou mesmo o segundo lugar, enquanto Jonathan Rea obteve assim o pior resultado do ano, o terceiro lugar.

Com esta vitória, Alvaro Bautista regista um novo recorde no Mundial Superbike, ao ser o único piloto a conseguir 11 vitórias consecutivas, e conseguiu isto logo num circuito pouco favorável à Ducati, que aqui não conseguia vencer há várias temporadas.

Com mais duas vitórias no bolso, Alvaro Bautista tem agora um total de 236 pontos, 53 pontos a mais do que Jonathan Rea (183 pontos), enquanto Alex Lowes, que desta feita não subiu ao pódio, mantém a terceira posição no campeonato com 126 pontos.


Mundial Supersport

Na categoria dedicada às motos com motores “seiscentos”, assistimos a uma corrida recheada de excelentes momentos de pilotagem e lutas no limite, mas sempre leais, entre os principais pilotos do campeonato.

O vencedor desta intensa batalha acabou por ser Federico Caricasulo (Bardhal Evan Bros. Yamaha), que depois de terminar no pódio em todas as rondas anteriores, desta vez conseguiu finalmente terminar a corrida de Supersport no lugar mais alto do pódio, recuperando assim alguns pontos na corrida ao título. Caricasulo, depois de ter chegado a rodar em 8ª nos momentos iniciais, recuperou o ritmo e na segunda metade da corrida foi perseguindo o seu companheiro de equipa Randy Krummenacher.

Caricasulo esperou até à última volta para desferir o golpe final, e numa manobra clássica, a meia volta do fim, ultrapassou Krummenacher, defendendo depois de forma exímia a sua posição de líder, com a Bardhal Bros. Yamaha a garantir uma dobradinha em Assen. O lugar mais baixo do pódio ficou nas mãos de Thomas Gradinger (Kallio Racing Yamaha).

Na luta pelo título, Randy Krummenacher viu a sua liderança ficar com uma folga um pouco menor, mas ainda assim tem 90 pontos contra os 73 pontos de Federico Caricasulo. O terceiro classificado no campeonato é Jules Cluzel (GMT94 Yamaha) com 69 pontos.

andardemoto.pt @ 14-4-2019 15:22:37