MotoGP – Revolução completa no calendário chega em 2022

Dorna e as equipas do Mundial de Velocidade estão a preparar uma revolução no calendário. Essa revolução acontece em 2022, com novos circuitos, menos testes, rotação de Grandes Prémios em Espanha, e mais novidades técnicas.

andardemoto.pt @ 3-9-2019 19:04:14

O Mundial de Velocidade está numa fase de renovação, de alargamento de fronteiras, e a Dorna pretende colocar em prática uma renovação ainda mais profunda do maior mundial de motociclismo em 2022.

Se em 2020 o calendário já apresenta novidades interessantes, como o novo circuito finlandês KymiRing, o ano seguinte, 2021, será também motivo de enorme interesse para os fãs pois teremos a chegada de novos circuitos: Indonésia e Portugal (a confirmar).

O Grande Prémio da Indonésia está já confirmado para 2021, sendo que o circuito de Lombok será o primeiro circuito citadino em MotoGP. Portugal também está a fazer todos os esforços para reentrar no calendário. O presidente da FIM, Jorge Viegas, e outras personalidades do motociclismo nacional, têm comentado a forte possibilidade de termos um GP de Portugal já em 2021, seja no Autódromo Internacional de Portimão, seja no Autódromo do Estoril.

Neste momento o regresso de Portugal ao Mundial de Velocidade está “preso” por decisões políticas, mais do que propriamente a vontade da Dorna, que vê com bons olhos o regresso ao nosso país.

Porém, Carmelo Ezpeleta, CEO da Dorna, quer mais do que isto. E para 2022 o “big boss” da Dorna está já a negociar com as equipas o alargamento do calendário para um máximo de 22 corridas.


Países sul-americanos como o México ou Brasil, ou diversos países asiáticos, já mostraram vontade de acolher MotoGP. Seja qual for o país que entrar no calendário, Ezpeleta terá de riscar dois Grandes Prémios espanhóis.

A solução passa pela rotação de Grandes Prémios em Espanha.

Atualmente com quatro corridas em terras de “nuestros hermanos”, o que está em cima da mesa será a realização de duas corridas em Espanha por ano. Entre os circuitos de Jerez, Barcelona, Motorland Aragón e Valência, dois deles recebem corridas em 2022, ficando os outros dois circuitos a receber as corridas no ano seguinte.

No entanto esta situação, do agrado de Carmelo Ezpeleta, poderá sofrer grandes alterações. Por exemplo, a imprensa espanhola referiu há pouco tempo que o circuito de Motorland Aragón recebeu da parte do governo regional uma ajuda financeira na ordem dos 100 milhões de euros, pois caso contrário entrava em falência. Resta saber se até 2022 os quatro circuitos espanhóis conseguem manter as portas abertas...


Claro que com um calendário de 22 corridas, isso significa que as equipas e pilotos vão ficar com uma temporada muito carregada, tanto de corridas, como de viagens, e sem esquecer os testes oficiais.

Nesse sentido, as informações mais recentes dão conta de que a Dorna irá eliminar por completo os testes de inverno, exceção ao habitual teste após o Grande Prémio de Valência no final da temporada. Não se sabe ainda se a intenção de eliminar testes inclui também os testes durante a temporada.

As equipas terão no entanto uma novidade: poderão, se assim quiserem, realizar modificações ao motor dos seus protótipos durante as quatro primeiras corridas da temporada. Depois disso os motores serão selados, não se sabendo se até final da temporada, ou se a meio da temporada a Dorna permitirá aos fabricantes homologar alterações aos motores, situação que a Yamaha já referiu que aceitará.

andardemoto.pt @ 3-9-2019 19:04:14