MotoGP Aragão – Marquez vence sem contestação. Miguel Oliveira 13º

Pentacampeão de MotoGP assegura oitava vitória e alarga para 98 pontos a vantagem sobre Andrea Dovizioso. Marc Marquez tem o título cada vez mais na mão. Miguel Oliveira terminou em 13º depois de estar na luta pela 9ª posição.

andardemoto.pt @ 22-9-2019 13:33:08

O espanhol Marc Marquez confirmou na corrida de MotoGP do Grande Prémio de Aragão que em Motorland Aragon não tem rival! Depois da “super” volta na primeira sessão de treinos livres, e depois de obter mais uma “pole position”, Marc Marquez aproveitou da melhor forma esta corrida antes do périplo asiático para aumentar a vantagem sobre Andrea Dovizioso (Mission Winnow Ducati).

O piloto da Repsol Honda optou por usar um pneu macio atrás, uma escolha que claramente indicava que Marquez pretendia resolver a corrida logo nos momentos iniciais.

Com um excelente arranque, o campeão de MotoGP saltou para a frente e nunca mais olhou para trás. Logo nas cinco primeiras voltas Marc Marquez conquistou cerca de três segundos de vantagem sobre os perseguidores, vantagem que depois foi aumentando consideravelmente até ao final da prova.

Com mais esta vitória, a oitava do ano, Marc Marquez não apenas consegue sair de Aragão com 98 pontos de vantagem sobre Andrea Dovizioso, que foi segundo, como também consegue a sua 78ª vitória em 200 Grandes Prémios em que participou em todas as categorias do Mundial de Velocidade.

Marc Marquez poderá festejar a conquista do seu sexto título de MotoGP já na próxima ronda, o Grande Prémio da Tailândia, no circuito de Buriram. Para isso o espanhol da Honda tem apenas de ganhar dois pontos a Andrea Dovizioso, colocando 100 pontos a separar os dois, e assim o título será seu.

Quanto a Andrea Dovizioso, o piloto da Ducati já parece conformado com o facto de que Marquez está com o título quase assegurado. Apesar disso “DesmoDovi” fez uma corrida de trás para a frente, foi subindo na classificação, e depois de algumas voltas a rodar atrás de Jack Miller (Pramac Ducati) e Maverick Viñales (Monster Energy Yamaha), Dovizioso conseguiu desenvencilhar-se dos dois pilotos que iam à sua frente e terminou em segundo.

O terceiro lugar do pódio ficou na posse de Jack Miller. Durante grande parte da corrida de MotoGP, Viñales parecia ter a segunda posição controlada, mas depois de ultrapassado por Dovizioso, o espanhol da Yamaha não aguentou a maior rapidez em linha reta da Ducati, e assim Miller terminou num saboroso terceiro lugar.

Foi vísivel no final da corrida Maverick Viñales a mostrar tanto a Jack Miller como aos responsáveis da Yamaha que a moto japonesa não pode fazer nada contra as mais potentes e velozes Ducati.


Destaque neste Grande Prémio de Aragão para prestação de Aleix Espargaró (Gresini Aprilia).

Depois de conseguir a melhor qualificação do ano (5º), Aleix Espargaró esteve muito bem durante toda a corrida, naquela que foi claramente a melhor prestação do piloto espanhol e da Aprilia RS-GP este ano. Apenas nos momentos finais o mais velho dos irmãos Espargaró foi ultrapassado por Cal Crutchlow (LCR Honda), tendo terminado em 7º.

Já o português Miguel Oliveira fez uma corrida dentro daquilo que tinha perspetivado após a qualificação de sábado.

O “rookie” da Red Bull KTM Tech3, com a ausência de Pol Espargaró devido a lesão, ficou com a sempre díficil missão de ser o “ponta de lança” da marca austríaca neste GP de Aragão, pois o finlandês Mika Kallio, apesar de inserido na equipa de fábrica da KTM, não tem o ritmo nem a missão para almejar resultados na metade superior da tabela.

Miguel Oliveira teve um excelente arranque, e logo na primeira volta o jovem luso ganhou quatro posições. Na volta seguinte subiu mais uma posição, para 11º, e colado à traseira de Danilo Petrucci (Mission Winnow Ducati), Miguel Oliveira foi-se também aproximando de Andrea Iannone (Gresini Aprilia).

A luta pela 9ª posição estava ao rubro, com os três pilotos envolvidos numa batalha muito intensa, mas sem que ninguém cedesse posição. Entretanto Alex Rins (Ecstar Suzuki), que vinha em recuperação depois de um incidente com Franco Morbidelli (Petronas Yamaha SRT) logo na primeira volta, juntou-se ao grupo e assim o trio passou a quarteto.


A partir daqui a situação de trocas de posições passou a acontecer a um ritmo quase de curva a curva, com Rins a falhar travagens e a obrigar os outros pilotos a terem de se desviar várias vezes, inclusivamente Miguel Oliveira que evitou dois toques mesmo no limite.

Já nos momentos finais, e aproveitando as escaramuças do quarteto, o japonês Takaaki Nakagami (Idemistu Honda) juntou-se também à luta pelos últimos lugares no Top 10. Nakagami passou Miguel Oliveira, que então desceu a 13º, e o japonês conseguiu mesmo ascender a 10º, posição em que fechou esta corrida, e logo atrás de Alex Rins.

Miguel Oliveira não voltou a conseguir recuperar mais posições, e assim termina este Grande Prémio de Aragão em 13º. O piloto português está em 17º na classificação de MotoGP, com 29 pontos no total.

andardemoto.pt @ 22-9-2019 13:33:08