MotoGP – Yamaha protege Fabio Quartararo de ataques de rivais

A Yamaha pretende juntar Fabio Quartararo a Maverick Viñales na equipa de fábrica de MotoGP. As mais recentes informações apontam para que o piloto francês já tenha assinado novo contrato com a Yamaha até 2022. Assim, será o fim de Valentino Rossi enquanto piloto de equipa de fábrica.

andardemoto.pt @ 29-1-2020 11:54:27

Com todos os contratos dos pilotos principais de MotoGP a terminarem no final desta temporada, já se sabia que em 2020 iríamos assistir a intensas movimentações ao nível das negociações de novos contratos. Mas as equipas de fábrica de MotoGP não podem deixar passar muito tempo sem resolver os seus assuntos, e a Yamaha é aquela que mais está ativa neste momento.

Não chegaram a passar 24 horas desde que a casa de Iwata assinou novo contrato com o piloto espanhol Maverick Viñales, um novo contrato que será válido até final de 2022, e já o website Motorsport.com publica uma notícia em que dá como certa a contratação de Fabio Quartararo para ser novo companheiro de Viñales a partir de 2021 e até final de 2022.

Assinar um novo contrato com o talentoso francês tão cedo é a forma que a Yamaha encontrou de proteger Quartararo de possíveis ataques de equipas rivais.


Quando entrou em MotoGP aos 19 anos, Fabio Quartararo mostrou de imediato que será um dos pilotos a lutar por vitórias e títulos nos próximos anos, e de imediato marcas como Ducati e Suzuki decidiram entrar em ação nos bastidores, tentando Quartararo com contratos milionários para o fazer sair da Yamaha.

No entanto, o piloto francês, “Rookie do Ano” em 2019, ano em que obteve seis “pole position” e 7 pódios, tendo terminado em 5º na classificação de MotoGP, sempre deu preferência à Yamaha mas a sua continuidade, para além do aumento de ordenado, estaria sempre dependente da passagem para a equipa de fábrica.

A Yamaha terá acedido às exigências de Fabio Quartararo, e o anúncio de que o francês será piloto de fábrica Yamaha até 2022 deverá acontecer muito em breve.


A confirmar-se este acordo, quem fica de fora da equipa é Valentino Rossi.

Dentro de cerca de duas semanas “Il Dottore” cumprirá o seu 41º aniversário. Rossi já afirmou publicamente que necessitará de esperar até ao Grande Prémio de Itália em Mugello para anunciar o que será o seu futuro.

O piloto italiano 9 vezes campeão mundial de velocidade pretende usar as primeiras corridas da temporada de MotoGP para perceber se ainda tem a velocidade que é preciso para competir na categoria rainha, ele que está à procura do seu 10º título.

Infelizmente para as suas ambições e aspirações, a idade vai pesando, os problemas de performance na Yamaha não o ajudam a obter resultados (2019 foi um ano para esquecer e terminou atrás de Fabio Quartararo), e inclusivamente a passagem de Valentino Rossi para a equipa Petronas Yamaha SRT não parece provável pois haverá diversos pilotos jovens e com potencial interessados em assinar contrato com a equipa malaia o que deixaria Rossi sem opções, e, possivelmente, obrigado a anunciar a sua retirada da competição no final de 2020.

andardemoto.pt @ 29-1-2020 11:54:27


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto