MotoGP – Dia duro para Miguel Oliveira com a Suzuki a dominar

No arranque do muito esperado e extremamente importante teste de pré-temporada de MotoGP no circuito de Losail, Qatar, o piloto português da Red Bull KTM Tech3 começou com o 18º tempo depois de sentir dificuldades. Já a Ecstar Suzuki está bem e recomenda-se colocando as suas motos nas duas primeiras posições. Mas quem dominou as atenções foi a Ducati com mais uma novidade técnica!

andardemoto.pt @ 22-2-2020 22:22:29

Os testes de pré-temporada no circuito malaio de Sepang foram um bom aquecimento, mas a verdade é que todos estavam concentrados nos últimos testes a realizar no circuito qatari de Losail, o mesmo circuito que dentro de duas semanas servirá de palco para o Grande Prémio do Qatar de 2020, abrindo assim as hostilidades a sério na nova temporada do Mundial de Velocidade.

Foi por isso que os fãs ficaram colados às tabelas de tempos divulgadas ao longo do primeiro dia de testes de MotoGP no Qatar.

Em relação aos melhores registos do dia, a surpresa foi vermos as duas novas Suzuki GSX-RR de Alex Rins e Joan Mir ocuparem os dois primeiros lugares da tabela de tempos. A Ecstar Suzuki tinha prometido que esta temporada estavam mais fortes, e dominarem por completo os tempos neste primeiro dia em Losail parece ser uma boa forma de confirmarem isso mesmo.

Logo atrás das duas Suzuki, que ficaram separadas por apenas duas milésimas de segundo, terminou Maverick Viñales (Monster Energy Yamaha). O espanhol que recentemente confirmou o prolongamento da sua ligação à equipa de fábrica da Yamaha continua a revelar uma boa forma esta pré-temporada, tal como o seu companheiro de equipa Valentino Rossi, que foi o 7º mais rápido imediatamente atrás de Marc Marquez (Repsol Honda).

Neste primeiro dia destacam-se ainda Danilo Petrucci (Mission Winnow Ducati) 4º melhor, enquanto Fabio Quartararo (Petronas Yamaha SRT) não foi além da 8ª posição na tabela de tempos. É a primeira vez em muito tempo que vemos o jovem francês tão atrás.

No entanto o grande destaque deste primeiro dia de testes de MotoGP em Losail foi a Ducati.

Como habitualmente, a equipa liderada por Gigi Dall’Igna decidiu trazer para estes testes mais uma das suas bem conhecidas inovações técnicas. Se em 2019 foi a “colher” ou spoiler inferior que deu muito que falar, agora é a vez da Ducati deixar ver pela primeira vez um novo sistema de ajuste da altura das suspensões.

Ao contrário do “holeshot” que já conhecíamos, e que dependendo do fabricante pode servir para baixar e bloquear a suspensão traseira enquanto noutros faz o mesmo mas na suspensão dianteira, e que serve apenas para os momentos de arranque, o novo sistema de ajuste de altura das suspensões da Ducati permite ajustar a altura e bloquear a suspensão em andamento!

Isto ficou claro através de alguns vídeos de Jack Miller (Pramac Ducati), que testou o sistema em Losail, e que à saída de algumas curvas deu para perceber que a traseira da sua moto estava mais baixa do que o habitual.


A Ducati coloca agora dois botões (verde e vermelho) no punho esquerdo das Desmosedici GP20, e através destes botões os pilotos poderão ajustar a altura da moto várias vezes, maximizando a tração e aceleração.

O sistema não é eletrónico pois isso é proibido pela regras, e será uma evolução do conceito “holeshot”, ou seja, é acionado por cabos ou hidraulicamente.

Esta não será a primeira vez que a Ducati usa o sistema de ajuste da altura das suspensões na sua Desmosedici. Alex Rins afirmou que já no final da temporada de 2019 de MotoGP tinha visto a traseira das Ducati baixar quando as motos estavam a percorrer as retas dos circuitos.

Ninguém na Ducati quis confirmar o que é este sistema. Tanto Andrea Dovizioso como Danilo Petrucci fizeram-se de “esquecidos” sobre a função dos dois novos botões nas suas motos, enquanto Jack Miller nem sequer deu conferência de imprensa.

Quem falou, ainda que pouco, sobre esta novidade técnica foi Davide Tardozzi, diretor de equipa da Mission Winnow Ducati.

Mesmo sem confirmar o que é, Tardozzi disse que “Isto (ajuste da altura) é algo que todos estão a falar. É algo que possivelmente pode estar na moto. Como habitualmente, a Ducati tem inovações. Temos orgulho em dizer que nos últimos cinco anos trazemos inovações nas motos de MotoGP”.

E para que fique claro que nada do que está a ser feito a este nivel por parte da Ducati vai contra os regulamentos técnicos de MotoGP, Davide Tardozzi rapidamente garantiu que “Tudo o que temos está a ser partilhado com o diretor técnico Danny Aldridge”.


Com tanta coisa a acontecer nestes testes de pré-temporada em Losail, também o português Miguel Oliveira (Red Bull KTM Tech3) esteve mais uma vez em pista para continuar a afinar a nova KTM RC16 de acordo com as suas necessidades.

Mesmo sabendo que não está ainda a 100% do seu ombro direito, Miguel Oliveira cumpriu 42 voltas ao traçado qatari. E foi precisamente na sua última volta lançada que Miguel Oliveira conseguiu o seu melhor registo em 1m55.737s, que o deixa a 1.275s de diferença do mais rápido Alex Rins.

Numa análise ao que aconteceu neste primeiro dia de testes em Losail, Miguel Oliveira tinha isto a dizer:

“Sendo honesto, o primeiro dia foi um pouco duro. Tivemos ligeiras dificuldades, especialmente para encontrar tração com o pneu traseiro. O primeiro dia é sempre um pouco traiçoeiro no que respeita às condições da pista. Temos um longo caminho pela frente, mas no entanto estou convencido de que podemos ser muito mais competitivos do que mostrámos hoje. Já temos algumas ideias em mente para experimentar amanhã (domingo) no sentido de melhorar a posição e a velocidade”.

andardemoto.pt @ 22-2-2020 22:22:29

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto