Apresentação do Mundial Resistência FIM e Mundial SBK no Estoril

A marina de Cascais recebeu o evento que serviu de apresentação para as corridas do Mundial de Resistência FIM e também do Mundial Superbike. O circuito do Estoril vai vestir o fato de gala sendo o palco das rondas de encerramento destes dois mundiais e com pilotos portugueses em prova!

andardemoto.pt @ 23-9-2020 14:34:05

Durante o próximo mês o circuito do Estoril será o palco central de grandes emoções em duas rodas. Não apenas o Campeonato Nacional de Velocidade terá no circuito na Serra de Sintra a sua última e decisiva ronda, em outubro, como dois campeonatos mundiais vão trazer outro colorido e charme ao circuito português.

Foi precisamente a pensar nos mundiais que foi realizada na marina de Cascais a apresentação das duas provas que vão servir de encerramento para o Mundial de Resistência FIM e também do Mundial Superbike.

No caso da resistência, as 12 Horas do Estoril vão ter o sabor especial de servir de prova que decide o novo campeão. Pela quarta vez em Portugal e a terceira no Estoril, o Mundial de Resistência FIM está ao rubro pois os líders Suzuki Endurance Racing Team têm uma pequena vantagem sobre a FCC TSR Honda France.

Sendo a prova de encerramento do campeonato, as 12 Horas do Estoril terão pontuação a dobrar. E com isso várias equipas podem ainda conquistar o título e assim impedir a SERT de colocar o seu nome novamente como a melhor equipa deste campeonato. Yamaha Austria Racing Team e BMW Motorrad World Endurance Team são apenas algumas das formações que vão lutar pela vitória nestas 12 Horas do Estoril, que se realizam nos próximos dias 24 a 26 de setembro.



Passado quase um mês o Estoril voltará a receber um mundial. Neste caso o Mundial Superbike, a 16, 17 e 18 de outubro.

Neste caso, os títulos podem ficar decididos ainda antes da ronda final no autódromo português, mas tendo em conta a imprevisibilidade dos resultados é provável que o fantástico traçado do Estoril seja mesmo o palco de importantes decisões no Mundial Superbike.

Quanto à presença de público nas bancadas, a situação para as duas corridas é diferente.

No caso do Mundial de Resistência FIM não haverá permissão para público nas bancadas do Estoril. Já no caso do Mundial Superbike poderá haver público, em número limitado e a cumprir as regras da DGS, mas António Lima, responsável do Motor Clube do Estoril, não dá ainda essa informação como um facto consumado: “Aguardamos a resposta da Direcção-Geral de Saúde para sabermos se será possível ou não, mas seria muito bom podermos fechar o mundial Superbike com os amantes do motociclismo junto de nós”.

No evento de apresentação destas duas corridas mundiais no circuito do Estoril ficou também destacado o papel que o português Jorge Viegas, presidente da Federação Internacional de Motociclismo, teve no “forcing” que foi feito para que estas corridas se realizassem em Portugal, para além do Motor Clube do Estoril agradecer também aos parceiros que puderam garantir a ajuda necessária para a realização das provas internacionais.




E por falar em portugueses, não podemos esquecer que no Mundial Superbike, mais concretamente na categoria SuperSport300, vamos poder ver dois portugueses em pista, sendo que um terceiro talento luso poderá também marcar presença.

Confirmados estão Tomás Alonso e Miguel Santiago. Pedro Fragoso, que inclusivamente no passado fim-de-semana esteve na ronda do Mundial SuperSport300 na Catalunha, ainda não viu o seu nome confirmado, mas isso deverá acontecer muito em breve.

Para Tomás Alonso, esta será mais uma oportunidade de mostrar a sua valia frente aos pilotos que habitualmente competem neste campeonato. Depois de brilhar na ronda portuguesa em Portimão, Alonso refere que “O objetivo vai ser como em Portimão, primeiro qualificar-me para a corrida principal e depois tentar fazer um grande resultado. Não há muita tática, vou dar tudo de início ao fim. Sabemos que é muito complicado nas SuperSport 300, porque são muitos pilotos e todos querem ganhar, mas vou dar o meu melhor e tentar trazer um bom resultado para mim e para Portugal”.

Já Miguel Santiago não esconde que “Desde há um ano que ando a sonhar com isto, a equipa sempre trabalhou comigo para conseguirmos um bom 'set up' para a mota, para me habituar rápido a esta categoria e subir para o Mundial o mais rápido possível. Graças à Federação de Motociclismo de Portugal e à minha equipa vou conseguir participar no Mundial no Estoril e vou dar o meu melhor. Vou dar tudo do início ao fim para aprender com os melhores do mundo e tentar classificar", defendeu Miguel Santiago, reconhecendo que a "falta de experiência será uma dificuldade acrescida, mas o objetivo é aprender o máximo possível”.

Para Manuel Marinheiro, presidente da Federação de Motociclismo de Portugal, a participação dos pilotos portugueses é resultado do trabalho desenvolvido pela FMP e também pelos pilotos e equipas. O presidente da FMP não esconde que “É um nível elevadíssimo, mas é a melhor forma de evoluírem e essa é também a nossa função. O foco da Federação é essencialmente os nossos pilotos, dar a oportunidade de competir com os melhores a nível mundial”.

andardemoto.pt @ 23-9-2020 14:34:05


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto