12 Horas do Estoril – YART vence em Portugal mas a SERT é campeã do mundo!

A temporada 2019/2020 do Mundial de Resistência FIM terminou com uma excelente prova em solo nacional. As 12 Horas do Estoril foram uma excelente forma de terminar a temporada, com a equipa oficial YART a dominar por completo as operações em pista e confirmou favoritismo com vitória. Mas foi a SERT que festejou mais ao assegurar o seu 16º título mundial.

andardemoto.pt @ 26-9-2020 21:39:34

Depois de doze extenuantes horas a competir no circuito do Estoril, o Mundial de Resistência FIM teve o seu final em grande estilo. A equipa oficial Yamaha Austria Racing Team (YART) dominou os treinos, as qualificações e também a corrida das 12 Horas do Estoril, vencendo de forma  categórica diante da FCC TSR Honda France e com a Wojcik Racing Team (Yamaha) a subir ao lugar mais baixo do pódio.

No entanto, quem mais festejou no pódio do Estoril foi a Suzuki Endurance Racing Team (SERT). A equipa francesa que agora tem Damien Saulnier ao comando dos destinos da equipa oficial da Suzuki, terminou a corrida portuguesa na quarta posição, e com isso assegurou o seu 16º título mundial de resistência.



Estas 12 Horas do Estoril, e apesar do domínio da YART, acabaram por ter a sua dose de incerteza. Uma das equipas candidatas à vitória, a BMW Motorrad World Endurance Team, sofreu uma queda ainda nas primeiras horas de corrida, quando o “road racer” Peter Hickman estava aos comandos da S1000RR e perdeu a frente da moto na entrada da Parabólica Interior do Estoril.

Hickman ainda levou a moto de regresso para a box, onde a equipa belga recuperou os danos, mas depois de voltar à pista a BMW S1000RR não estava ainda em condições e obrigou Hickman a passar novamente pela box onde foi substituído o trem traseiro da moto. Depois de perder muito tempo, a BMW Motorrad World Endurance Team recuperou muitas posições no tempo que restava, e cruzou a meta na 7ª posição a 9 voltas da YART.



A própria YART sentiu bastantes dificuldades, pese embora tenha vencido de forma categórica as 12 Horas do Estoril.

Partindo da “pole position”, a moto japonesa sofreu um problema logo no arranque da prova quando a injeção eletrónica da Yamaha R1 #7 não funcionou. Marvin Fritz, que foi o piloto escolhido pela equipa liderada por Mandy Kainz para começar a corrida, conseguiu colocar a moto em funcionamento. Chegaram a rodar quase em último, mas rapidamente Fritz começou a recuperação até ao topo da classificação a um ritmo demolidor e muito consistente.

Quando a moto #7 estava a caminho de realizar uma prova tranquila, os poisa-pés da R1 tiveram problemas e partiram-se. Pelo que a moto japonesa teve de regressar várias vezes à box para trocar essas peças danificadas. Apesar dessa situação causar alguma incerteza quanto ao vencedor, pois a FCC TSR Honda France nunca esteve muito longe da YART e foi trocando de posição entre a liderança e o segundo lugar, até que a YART, já ao anoitecer, assumiu definitivamente a liderança das 12 Horas do Estoril e cumpriu a prova com um total de 421 voltas realizadas.

A tripla de pilotos composta por Marvin Fritz, Niccolò Canepa e Karel Hanika confirmaram em corrida o seu favoritismo e deram à casa de Iwata mais uma vitória neste mundial.


A FCC TSR Honda France, que ainda mantinha aspirações a ser campeã depois de vencer as 24 Horas de Le Mans, não foi capaz de atingir esse objetivo. O segundo lugar não deixa de ser mais um bom resultado para a equipa que utiliza a nova CBR1000RR-R Fireblade, uma moto recente nestas andanças da resistência mas que revela um enorme potencial e fiabilidade. Terminaram a corrida a 24,5 segundos de diferença da YART.

A terceira posição do pódio nas 12 Horas do Estoril ficou para outra Yamaha R1, neste caso a da equipa Wojcik Racing Team. Talvez por terem estado a competir no Estoril há uma semana, no Campeonato Nacional de Velocidade, tanto Broc Parkes como Sheridan Morais (lusodescendente que corre com bandeira portuguesa por causa da sua licença desportiva) estiveram em bom plano, e com a ajuda de Gino Rea levaram a Wojcik Racing Team até ao lugar mais baixo do pódio. Terminaram a corrida a 3 voltas dos vencedores.


Nas contas finais do Mundial de Resistência FIM, a  SERT, com os pilotos Etienne Masson, Gregg Black e Xavier Simeon, volta a ser campeã quatro anos depois com um total de 167,5 pontos, a YART com esta vitória final sobe a segundo na classificação com 149,5 pontos, enquanto a FCC TSR Honda France desce para terceiro com 143,5 pontos.

andardemoto.pt @ 26-9-2020 21:39:34

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto