6 Horas de Most – Primeira vitória no limite para a BMW e título para a Yoshimura SERT Motul

A BMW Motorrad World Endurance Team venceu as 6 Horas de Most num despique ao limite com a YART e conquista a primeira vitória no Mundial de Resistência FIM. Porém, quem mais festeja é a Yoshimura SERT Motul que revalidou o título de campeã.

andardemoto.pt @ 9-10-2021 16:54:20

Uma corrida de resistência, mesmo esta mais curta 6 Horas de Most, na República Checa, não costuma ser tão disputada ao limite como foi o caso desta prova que deu por finalizada a temporada 2021 do Mundial de Resistência FIM.

Mas no traçado checo, e depois de seis horas de alta intensidade, a vitória acabou por ser discutida até à linha de meta entre as equipas oficiais BMW Motorrad World Endurance Team e a YART – Yamaha.

Como habitualmente, a YART e a sua Yamaha R1 #7 voltou a ter problemas no arranque para estas 6 Horas de Most. Marvin Fritz, que estava na “pole position”, caiu para 20º no final da primeira volta e foi assim obrigado a fazer um primeiro “stint” absolutamente frenético na tentativa de recuperar a distância para o grupo da frente.

Esse grupo ficou restrito à BMW Motorrad World Endurance, a Wojcik Racing Team (equipa privada Yamaha) e a Yoshimura SERT Motul, esta última a lutar pelo título de campeã do Mundial de Resistência FIM frente à formação privada VRD Igol Experiences.


Aos poucos, Fritz foi levando a Yamaha #7 até aos lugares da frente, e apesar de um desgaste de combustível e pneus mais acelerado, fruto do ritmo imposto nessa primeira hora de corrida, o piloto alemão chegou mesmo aos lugares cimeiros da classificação, ocupando a segunda posição, numa altura em que a BMW Motorrad World Endurance já se tinha escapado na liderança e tinha uma vantagem de 4 segundos para os perseguidores.

A ver tudo isto na “primeira fila” estava a Yoshimura SERT Motul. A formação francesa com apoio oficial da Suzuki e Yoshimura sabia que apenas teria de terminar estas 6 Horas de Most para se sagrar bicampeã de resistência, missão que não os obrigava a entrar em “loucuras” de discussão pela vitória, ficando assim na terceira posição, rodando a ritmo confortável e evitando erros.

A missão dos campeões estava ainda mais facilitada quando a rival pelo título VRD Igol Experiences viu o motor da sua Yamaha R1 ceder, ficando assim totalmente fora da discussão pelo título que era logo à partida uma missão quase impossível para esta formação privada. A partir desse momento a Yoshimura SERT Motul sagrou-se imediatamente campeã de 2021, mas mesmo assim, e no momento em que aos comandos da Suzuki GSX-R1000R #1 estava Xavier Simeon, a frente da moto japonesa escorregou e proporcionou a Simeon um “save” como, provavelmente, nunca se tinha visto, com o piloto a apoiar a mão direita no asfalto do circuito de Most para reequilibrar-se e continuar em pista. Absolutamente fantástico!



Com a Yoshimura SERT Motul sempre satisfeita com o terceiro lugar, a decisão da corrida final da temporada ficou entre a BMW Motorrad World Endurance e a YART.

A equipa alemã, sensivelmente a meio da prova, tinha uma vantagem de uma paragem e com a M1000RR a revelar-se mais contida no consumo de combustível, conseguiam prolongar os “stints” em pista por mais voltas. Mas um “safety car”, quando a VRD Igol Experiences partiu o motor da sua moto, permitiu à YART realizar uma paragem na box e assim equilibrar a conta das paragens.

Até ao fim a YART foi sempre sendo mais veloz do que a líder BMW. Com tudo a decidir-se numa última paragem na box a menos de uma hora do fim das 6 Horas de Most, a YART faz entrar Marvin Fritz de novo para os comandos da Yamaha R1 #7, na esperança de que o alemão conseguisse eliminar a diferença de pouco menos de 15 segundos para a BMW Motorrad World Endurance, que escolheu o também alemão, e rápido, Markus Reiterberger para finalizar a prova.

Volta a volta a diferença foi-se esfumando e Reiterberger apenas conseguia equilibrar os tempos por volta por uma ou duas vezes. Fritz fez mais um “stint” impressionante, e prova disso são as duas últimas voltas, já com Reiterberger à sua frente, em que o piloto da YART conseguiu nessas duas voltas registar o novo recorde absoluto para a categoria EWC!


Porém, e quando preparava o ataque já no início da última volta, Marvin Fritz cometeu um pequeno exagero na saída da curva 2 do circuito de Most, a traseira da R1 escorregou, e de menos de duas décimas de segundo para o líder, Fritz passou para mais de cinco décimas. A partir daí Reiterberger conseguiu respirar com mais à vontade, Fritz foi sempre tentando reduzir a diferença de forma a poder ultrapassar o compatriota, mas a vitória acabou mesmo nas mãos da BMW Motorrad World Endurance após um sprint final até à linha de meta.

Esta foi a primeira vitória da BMW Motorrad World Endurance Team no Mundial de Resistência FIM, a primeira vitória da BMW M1000RR, e o regresso às vitórias de uma marca europeia neste mundial depois de muitos anos de vitórias exclusivas dos fabricantes japoneses.

A YART, apesar de não terminar com vitória, de certa forma “apagou” a imagem que deixou nesta temporada de 2021, com muitos azares, mas também diversos problemas técnicos que colocaram a equipa austríaca fora da luta pelo título.



A Yoshimura SERT Motul cruzou a linha de meta em terceiro, com Sylvain Guintoli aos comandos da Suzuki GSX-R1000R, no que foi um ano de estreia excelente para o piloto francês, mais habituado às corridas de curta duração. Para a equipa liderada por Damien Saulnier e Yohei Kato, este foi também um ano excelente.

Foi o primeiro ano em que a SERT recebeu a ajuda da Yoshimura, e nada melhor do que um título de campeão para celebrar esta parceria que se revelou perfeita, com a equipa a mostrar experiência e fiabilidade a toda a prova. Os únicos problemas que sentiram ocorreram devido a quedas nas 12 Horas do Estoril e também nas 24 Horas do Bol d’Or, prova que venceram, tal como venceram as 24 Horas de Le Mans.

andardemoto.pt @ 9-10-2021 16:54:20


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto