SBK 2022, retrospetiva 2 - As estatísticas

Regresso à Austrália fez história

Novos líderes de corrida, marcos de referência e recordes batidos, foi um poderoso regresso à ilha ao largo de Melbourne que terminou uma época de SBK em cheio.

andardemoto.pt @ 29-11-2022 11:51:45 - Paulo Araújo

O Campeonato Mundial de Superbike Motul 2022 chegou ao fim com a Ronda Australiana no Circuito de Phillip Island, onde de novo se fez história.

No que foi uma época memorável cheia de ação e drama desde o início, houve muitas estatísticas para aprofundar e ponderar na época baixa.

601 - Álvaro Bautista torna-se o primeiro piloto da Ducati a marcar 600 pontos ou mais numa época.

589 - Kyle Smith (TPR Team Pedercini) tornou-se o 589º piloto a marcar pontos nas SBK na Corrida 1 em Phillip Island, ficando em 12º lugar. Dois lugares à sua frente em décimo lugar, Tetsuta Nagashima tornou-se o 588º piloto a fazê-lo na mesma corrida. Isto inclui portugueses como Telmo Pereira e Miguel Praia.

250 - A Corrida 2 em Phillip Island foi a 250ª corrida diferente liderada por um piloto Kawasaki, com Jonathan Rea (Kawasaki Racing) a terminar em segundo lugar.


245 - Após o seu segundo lugar na última corrida de 2022, Jonathan Rea subiu ao pódio pela 245ª vez nas SBK.

185/19 - Com uma segunda pole da época, Bautista ficou com a 185ª pole da Ducati nas SBK. O nº19 também tomou a 19ª pole de Espanha em SBK, a terceira de 2022 e a primeira em Phillip Island desde Carlos Checa em 2013 na estreia da Ducati Panigale.

175 - A vitória de Álvaro Bautista na Corrida 2 foi a 175ª de Espanha na história do Campeonato.

160 - Toprak Razgatlioglu (Yamaha Pata com Brixx) em quarto lugar na Corrida 2 em Phillip Island perfez 160 corridas seguidas com a Yamaha nos pontos. A série mais longa é a Ducati com 243, enquanto a mais longa de sempre é também pela Ducati com 344, desde Brainerd Corrida 1 1991 até Valencia Corrida 1, 2005.

118 - Depois de ter terminado a sua seca na Corrida 1, Rea conseguiu 118 vitórias na sua carreira, exatamente o dobro do próximo piloto no ranking de vitórias, Carl Fogarty, que tem 59.


82 - Depois de liderar na Corrida 1, Kyle Smith (11 acima) tornou-se o 82º piloto diferente a liderar uma corrida do mundial de Superbike.

58 - Tomando um 58º pódio com a vitória na Corrida 2, Bautista está agora um pódio à frente de Raymond Roche na classificação de todos os tempos no 15º lugar do pódio. O piloto com o máximo é Jonathan Rea com o 245º lugar.

32 - Taco a taco ao longo de 2022, Bautista e Razgatlioğlu terminam a temporada com 32 vitórias na sua carreira nas SBK, empatados com Chaz Davies, um à frente de Colin Edwards e um atrás de Troy Corser.

27/21 - Bautista, Razgatlioğlu e Rea dividiram o pódio em 27 ocasiões ao longo da sua carreira, com 21 a chegarem em 2022. A primeira vez foi Imola na Corrida 1, 2019, com Rea a vencer a sua primeira corrida da época, Bautista em segundo e Razgatlioğlu em terceiro.

16 - A Corrida 2 viu Álvaro Bautista conseguir a 16ª vitória do ano, o segundo maior número de vitórias por uma temporada nas SBK, depois de Doug Polen ter obtido 17 vitórias em 1991 e depois Rea, que obteve 17 em 2018 e 2019. É o mesmo número de vitórias para Bautista que a sua campanha de 2019.


10 - Dez pilotos subiram ao pódio em 2022: Bautista, Rea, Razgatlioğlu, Michael Ruben Rinaldi, Alex Lowes, Scott Redding, Axel Bassani, Andrea Locatelli, Iker Lecuona (Honda HRC) e Garrett Gerloff (GYTR Yamaha GRT). O único piloto no top dez da classificação do Campeonato que não conseguiu um pódio foi Xavi Vierge (Team HRC), que teve um melhor resultado de quarto lugar em Misano na Tissot Superpole.

7 - Pela primeira vez em sete épocas, o Campeão do Mundo a começar o ano não conseguiu liderar o Campeonato do Mundo em nenhum momento. O último piloto a fazer isso fora Sylvain Guintoli. Em termos da última vez que isso aconteceu quando o Campeão em título permaneceu na mesma equipa na época seguinte, é preciso voltar a 2011, quando o Campeão reinante Max Biaggi nunca liderou, com Carlos Checa a liderar desde o início.

3 - Pela primeira vez desde 2014 e, portanto, a primeira vez desde que se juntou à Kawasaki, Rea terminou fora dos dois primeiros no Campeonato.

2 - Pela segunda temporada consecutiva, os cinco fabricantes alcançaram pelo menos um pódio nas SBK. É também a quinta temporada consecutiva que pelo menos uma equipa independente alcançou um pódio.


andardemoto.pt @ 29-11-2022 11:51:45 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto