SBK 2024 – Teste Philip Island- Razgatlıoğlu a ritmo recorde

Último teste antes do começo

A última sessão de testes antes do início das corridas em Philip Island terminou agora com Razgatlıoğlu e a BMW a liderar com autoridade mas as Ducati muito perto.

andardemoto.pt @ 20-2-2024 11:02:24 - Paulo Araújo

A conversa acaba e o Teste Oficial do Mundial de Superbike terminou. Com a nova superfície da pista na Austrália, muitos pilotos passaram o dia a trabalhar na distância de corrida e na gestão dos pneus.

Foi um dia atarefado para a BMW, que continuou a experimentar vários braços oscilantes. Toprak Razgatlıoğlu (ROKiT BMW Motorrad), tal como em todos os outros testes, foi rápido, especialmente nos sectores intermédios. 

No entanto, ritmo absoluto não era o objetivo da BMW, e tanto Toprak como o seu companheiro de equipa Michael van der Mark trabalharam no equilíbrio do chassis, de forma a preservar a vida dos pneus o melhor possível. Também foram experimentadas novas estratégias para a travagem motor.  

Toprak deu tudo por tudo no final do dia e bateu o recorde da volta, tirando-o a Bulega ao fazer 1'28.511. Van der Mark desceu na ordem, terminando em 14º.


Mais uma vez na Ducati, Nicolo Bulega foi uma sensação absoluta no TL1 e tornou-se o primeiro piloto de SBK a rodar na casa dos 1:28s. Sofreu uma queda na Curva 4, mas saiu ileso e regressou para bater o recorde de volta com 1:28,585s, embora terminasse em 2º na geral. No entanto, Alvaro Bautista sofreu uma queda um pouco mais rápida na Curva 6 e ainda não se sente confortável a bordo da sua máquina a caminho da 7º.

O plano da Ducati era habituar-se à nova superfície da pista em Phillip Island e perceber como reagem os pneus, embora Foti tenha afirmado que não está preocupado com o ritmo de corrida.

REA CAI, LOCATELLI BRILHA: contrastes na Yamaha

Foi um dia de dois lados também para a equipa Yamaha Pata Prometeon; Jonathan Rea sofreu um grande acidente na Curva 11 e não parecia estar confortável quando saiu do centro médico. Quanto ao TL2, foi um dos últimos pilotos a sair, fazendo inicialmente uma curta sessão fora dos dez primeiros a mais de uma hora do fim. O seu companheiro de equipa Andrea Locatelli esteve em boa forma num circuito que adora, entre os cinco primeiros enquanto procurava trabalhar na vida dos pneus e nas simulações de corrida e terminou em terceiro, enquanto Rea ficou em 15º.

O MANÍACO ESTÁ DE VOLTA : Iannone (Team GoEleven) sempre andou bem em Phillip Island, mas até ele pode ter tido razões para ficar surpreendido com a sua exibição no Teste Oficial. Andou sempre no ritmo e quase não saiu dos cinco primeiros durante todo o dia, terminando em 4º. Outras estrelas da Ducati Independente também foram rápidos, como o #21 de Michael Ruben Rinaldi (Team Motocorsa Racing) em 6º, o #14 de Sam Lowes (ELF Marc VDS Racing Team) em 11º, e Danilo Petrucci (Barni Spark Racing Team), que também esteve no topo dos pontos e foi uma presença regular entre os dez primeiros ao longo do dia, antes de terminar em 12º.

Na Kawasaki, Alex Lowes (Kawasaki Racing) esteve no centro da ação tanto na sessão da manhã como na da tarde. Oitavo na sessão inicial, o #22 foi mais rápido à tarde, provisoriamente em segundo. Embora não tão alto como gostaria, o seu colega de equipa Axel Bassani também progrediu e esteve mais perto da frente do que em qualquer outro momento durante os testes, tendo igualmente conseguido o seu melhor tempo na sessão da tarde.

Lowes foi quinto no final e Bassani décimo, embora ambos tenham estado brevemente entre os cinco primeiros ao mesmo tempo durante a sessão da tarde.


LECUONA LESIONADO: Os problemas da Honda continuam na Austrália

O dia da Honda não podia ter começado pior para Iker Lecuona (Team HRC). O espanhol esperava recuperar o tempo perdido no teste de Portimão, e encontrar uma configuração de base para a nova moto, mas em vez disso, o seu dia terminou na gravilha.

Uma queda na Curva 11 deixou-o fora de ação durante o resto da manhã e toda a tarde, com um braço ao peito. Vierge foi-se afastando e o seu ritmo de corrida - como sempre - parecia mais prometedor do que o ritmo de uma volta. O #97 foi 16º, enquanto Lecuona se baseou no seu tempo do TL1 para ser 19º na geral.

O MELHOR DO RESTO: Redding forte enquanto Gardner mostra potencial

Na equipa Bonovo Action BMW, Scott Redding e Garrett Gerloff também trabalharam na gestão dos pneus e no ritmo de corrida; Gerloff sofreu um problema técnico na Curva 1 no início do dia, mas voltou a rodar, embora tenha sido um dos dois únicos pilotos que não melhoraram durante a tarde. Scott Redding disse que não sabia que havia uma nova superfície até chegar ao circuito, o que não ajudou.

No entanto, andou bem durante a tarde e foi o segundo melhor da BMW em 8ºl. Ficou um lugar à frente de Remy Gardner (GYTR GRT Yamaha) que foi 9º enquanto o colega de equipa Dominique Aegerter foi 13º.

Philipp Oettl (Yamaha GMT94) sofreu problemas técnicos no TL1 e foi 17º enquanto Brad Ray (Yamaha Motoxracing) foi 20º, à frente de Tito Rabat (Kawasaki Puccetti Racing), Tarran Mackenzie (PETRONAS MIE Racing Honda) e do seu companheiro de equipa Adam Norrodin. Mackenzie caiu na Curva 3, deixando a sua moto muito danificada, embora tenha conseguido

andardemoto.pt @ 20-2-2024 11:02:24 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto