SBK 2024 - Antevisão da Clássica Assen

Preparados para a 950ª corrida de SBK.

Um circuito histórico, com batalhas históricas e um marco histórico em perspetiva: Com o Campeonato ao rubro, Assen vai pôr os cabelos em pé em 2024…

andardemoto.pt @ 17-4-2024 11:03:00 - Paulo Araújo

Uma pista repleta de história e onde os fãs respiram a paixão pelas corridas de motos. Um Campeonato que viu três corridas decididas na última volta nas primeiras seis corridas da época, trazendo consigo imprevisibilidade e histórias inimagináveis.

Este fim-de-semana, os dois mundos encontram-se para uma das rondas mais esperadas do calendário do Mundial Superbike 2024: a Ronda Holandesa Pirelli. O Circuito TT de Assen dá as boas-vindas às SBK para a terceira ronda da época e para a corrida #950 deste Mundial.

TOPRAK E BMW: A história do momento nas SBK

A Corrida 1 e a Corrida Superpole em Barcelona entraram para a história de Toprak Razgatlıoğlu (ROKiT BMW Motorrad) e ficarão na memória de quem segue o Campeonato. O Campeão do Mundo de 2021 conseguiu uma dramática primeira vitória com o fabricante alemão na Corrida 1 depois de gerir o seu pneu para bater Nicolo Bulega (Ducati Aruba), enquanto na Corrida Superpole, ele negou Alvaro Bautista (Ducati Aruba) com uma ultrapassagem estilo Rossi na última volta e na última curva.


Um 3º na Corrida 2 coloca-o em quarto lugar na geral como o piloto a bater, embora nunca tenha vencido em Assen. O seu companheiro de equipa também está igualmente competitivo e, com uma ronda em casa, Michael van der Mark estará ansioso pelo seu primeiro pódio em dois anos e meio, perante uma multidão.

A DUCATI TEM NOVOS RIVAIS: Bulega lidera, Bautista regressa aos triunfos

A inexperiência pode ter custado a vitória a Bulega em Barcelona e más partidas também podem ter complicado as coisas, mas ele lidera para a terceira ronda. O estreante italiano, uma sensação já em 2024, chegou à equipa SBK da Ducati e não fez prisioneiros, algo que o colega de equipa e atual duplo Campeão do Mundo Bautista terá sentido.

12 pontos separam-nos, mas a dinâmica pode mudar novamente este fim de semana. Assen é um circuito onde a experiência conta e é a primeira pista do calendário onde não houve testes prévios, o que faz de sexta-feira um dos dias sem corrida mais importantes da época até agora. Será que Bulega vai ser capaz de se adaptar de imediato, ainda por cima depois da cirurgia ao braço, ou será Bautista a dominar num circuito onde ganhou as últimas quatro corridas? Esta nova situação de ter dois pilotos que podem lutar pelas vitórias será também interessante do ponto de vista da gestão; Como é que Serafino Foti e o resto da direção da Ducati vão gerir a evolução de Bulega vs Bautista?


O MESTRE DE ASSEN: Rea (65) procura o primeiro pódio da Yamaha

17 vitórias, 25 pódios: para outros pilotos podiam ser estatísticas de carreira, para Jonathan Rea (Yamaha Pata Prometeon) é só o palmarés de Assen. Notável não basta para descrever a qualidade do hexacampeão mundial no circuito holandês, embora ele não consiga vencer lá desde 2022. Ele não teve o início que gostaria na Yamaha, com apenas oito pontos em seis corridas e espera que sua temporada comece a sério na "Catedral da Velocidade". O companheiro de equipa Andrea Locatelli tem tido um pódio todos os anos em Assen, incluindo o primeiro da sua carreira nas SBK em 2021. Paul Denning disse recentemente que "o próximo passo tem de ser ganhar" para o 55. Igualmente rápidos em Assen, estejam atentos aos seis primeiros classificados de 2023 Dominique Aegerter (GYTR GRT Yamaha) e Remy Gardner.

LOWES E KAWASAKI FORTES: conseguirão reacender a magia holandesa?

Tem sido um circuito de estreias para Alex Lowes (Kawasaki Racing) no passado, com uma primeira volta mais rápida e pódio em 2014 e depois uma primeira pole em 2018. Agora, pela Kawasaki, está em segundo lugar no Campeonato e a apenas 12 pontos de Bulega; a Kawasaki venceu 13 das últimas 19 corridas em Assen, mas nada desde 2022; Lowes tem sido competitivo em 2024 e estará de olho num pódio, enquanto o colega de equipa Axel Bassani esteve sempre entre os dez primeiros - embora para a Ducati - mas espera poder lutar novamente entre os dez primeiros.


OS NOVATOS: Iannone em busca da vitória mais uma vez

Depois de ter sofrido a primeira queda em prova na Corrida 2 em Barcelona, Andrea Iannone (Team GoEleven) pretende recuperar em Assen, a primeira pista onde não houve testes prévios, pelo que será interessante ver como ele e o resto dos estreantes se vão dar.

Sam Lowes (ELF Marc VDS) já liderou voltas de corrida em 2024, mas agora precisa de trabalhar na vida útil dos pneus e na gestão da simulação de corrida, embora o ritmo esteja, sem dúvida, presente. Tarran Mackenzie (Honda Mie Petronas) teve um pódio de Superbike aqui em 2018 no BSB, por isso é território familiar, enquanto para o colega de equipa Adam Norrodin será a primeira experiência no famoso circuito holandês.

Apesar de já ter subido ao pódio em 2024, Danilo Petrucci (Ducati Barni Spark) vai falhar a ronda holandesa depois de ter sofrido uma queda a treinar motocross. Mais atrás e a completar o top 10 da classificação, Garrett Gerloff (Bonovo Action BMW) procura regressar ao top 6 da competição, enquanto o seu colega de equipa Scott Redding professa o mesmo objetivo.

Michael Ruben Rinaldi (Team Motocorsa Racing) já teve pódios em Assen, mas não conseguiu um top 10 em Barcelona, onde já foi vencedor, enquanto a Team HRC espera poder lutar entre os dez primeiros com Xavi Vierge e Iker Lecuona, sendo a pista onde este último conquistou um pódio em 2022.

Com a Corrida 2 a ser a 950ª na história das SBK, Assen fez história ao longo do caminho de várias formas. O clássico da Corrida 2 de 1996 assistiu a uma luta a três até ao final, enquanto em 1998 Carl Fogarty e Frankie Chili se defrontaram na última volta.

A Corrida 2 de 2000 foi a primeira vitória da Yamaha na pista, cortesia de Noriyuki Haga, depois de uma luta alucinante com Troy Bayliss. Avançando para 2004, Chris Vermeulen vence para a equipa holandesa Ten Kate Racing depois de um clássico frente a frente com James Toseland na Corrida 2. A batalha de 2009 entre Haga, Ben Spies e Leon Haslam também foi memorável, tal como o primeiro pódio de Michael van der Mark nas SBK em 2015.

A magia holandesa continuou em 2019, quando obteve o seu melhor resultado de sempre no circuito na Corrida 2, batendo Jonathan Rea. 2022 foi também um ano dramático, com os grandes rivais Toprak Razgatlıoğlu e Jonathan Rea a colidirem na Corrida 2, abrindo caminho para a vitória de Alvaro Bautista, à frente de Andrea Locatelli e Iker Lecuona.


andardemoto.pt @ 17-4-2024 11:03:00 - Paulo Araújo


Clique aqui para ver mais sobre: Desporto