ARC Vector - a mais avançada moto eléctrica alguma vez produzida

Produto do génio de Mark Truman, inspirado pelo legado histórico da cidade de Coventry, com o apoio da Jaguar Land Rover PLC, uma subsidiária do gigante indiano Tata!

andardemoto.pt @ 17-11-2018 19:15:53

A ARC Vector apresenta-se como a mais exclusiva e avançada moto eléctrica de sempre. Os materiais exóticos, a arquitectura radical, o design de vanguarda, as inovações tecnológicas e os componentes de elevada qualidade que a compõem, congregam-se para que o resultado final seja realmente impressionante sob todos os aspectos.

Por exemplo, toda a informação que normalmente se encontra no painel de instrumentos, tal como a retrovisão, é projectada na viseira do capacete que acompanha cada Vector, e que serve também de chave de ignição. Para completar a experiência, uma armadura vestida por debaixo do blusão, transmite sinais de alerta através de sinais hápticos (como por exemplo uma vibração num ombro para indicar a aproximação de um veículo pela rectaguarda).

Um motor que funciona a uma voltagem de 399Volts, com um binário de 397 Nm, disponível logo desde parada, proporciona um arranque de 3,1seg dos 0 aos 100km/h, para uma velocidade máxima a rondar os 200km/h. O seu peso de apenas 220kg é em grande parte responsável pela elevada autonomia, que ronda os 300 km. podendo ser recarregada por completo em apenas em 30 minutos.

A ARC não disponibiliza muito mais informação, mas garante que a Vector é 25% mais leve do que a sua concorrência directa, e que a tecnologia de ponta empregue nas suas baterias, fornecidas pela Samsung, têm uma capacidade superior em 30%.

A ARC Vector foi concebida por uma equipa de visionários, dirigida por Mark Truman, um motociclista purista e um amante da tecnologia que graças à sua visão, arrojo e respaldo financeiro conseguiu concretizar o seu sonho de construir de raíz uma moto que ele próprio define como a melhor a mais exclusiva e a mais avançada tecnologicamente.

Com base em Coventry, o coração do maior e mais importante “cluster” tecnológico britânico, a ARC nasce nos laboratórios de inovação da Jaguar Land Rover’s White Space, uma subsidiária do gigante indiano Tata, que são geridos precisamente por Mark Truman, que entretanto conseguiu importantes financiamentos da InMotion Ventures, da Mercia Fund Managers e da Midlands Engine Investment Fund para desenvolver a Vector, tendo para o efeito fundado a ARC.

A produção está prevista ter início já no início de 2019, e o objectivo é produzir apenas 399 unidades da ARC Vector. Este número serve para lembrar a voltagem utilizada pelo motor eléctrico da moto. Cada uma destas motos será customizada de acordo com as preferências de cada orgulhoso proprietário, que vai ter que desembolsar mais de 90.000 libras para poder exibir a sua nova montada.

Para conseguir os resultados que pretendia, Truman reuniu colaboradores experientes, com provas dadas em empresas líderes como a Aston Martin, KTM, Ducati, Triumph e também no MotoGP, que entre eles desenharam veículos para o James Bond e para unidades de socorro e resgate, super-carros eléctricos, e alguns dos mais rápidos automóveis de corrida. 


Nas palavras de Truman: “A nossa visão da mobilidade do futuro é bastante alargada, e com grandes ideias e muita imaginação conseguimos trazer o amanhã para o presente. Construímos a Vector para os viajantes do futuro, para quando os veículos de combustão interna tiverem a sua utilização proibida.” 

A Arc Vector é a mais avançada moto eléctrica do mundo, que oferece uma experiência sensorial e emocional até agora inexistente neste tipo de veículo. Em vez de um quadro, a estrutura da Vector consiste num monocoque em fibra de carbono, que incorpora as baterias e os sistemas de controlo, e serve de âncora para o motor e para os dois braços oscilantes, o traseiro e o menos convencional dianteiro, ambos com um curso de 110mm, assistidos por amortecedores Öhlins ILX36 e TTX36, completamente reguláveis.

As rodas são compostas por jantes em fibra de carbono BST Black Diamond 5, calçadas por pneus Pirelli Diablo Rosso Corsa II nas medidas 120/70 ZR17 e 180/55 ZR17. A travagem está a cargo de discos de 320mm mordidos por pinças monobloco de 4 pistões Brembo Stylema, e ABS com IMU (unidade de medição de inércia).

Mas a Vector não é apenas uma moto. O seu conceito inclui um interface humano (HMI - Human Machine Interface), composto por um capacete e um casaco com armadura integrada, cujo custo já está incluído no preço final. Descubra-os abaixo.


Capacete Arc Zenith

O Capacete Arc Zenith foi inspirado pelos usados por pilotos de caça. Todo o sistema foi instalado num normal capacete Hedon Heroine, em fibra compósita, de estilo vintage, forrado a pele castanha, e conta com um projector, um sistema de comunicação wi-fi, microfone, auscultadores e uma câmara de vídeo. As imagens, do painel de instrumentos e da câmara retrovisora, são projectados na viseira.

Blusão Arc Origin

O Blusão Arc Origin representa uma extraordinária evolução na experiência de condução de motos. Combina uma armadura Knox’s Micro-Lock, com os emissores hápticos da ARC. O interface humano (HMI - Human Machine Interface) representa uma grande evolução em termos de segurança, mas também pode contribuir para potenciar as sensações da viagem. 

O sistema, que pode ser desligado, emite sinais hápticos de base sonora, perceptíveis através do tacto, e pode ser regulado em 3 modos diferentes, um Urbano, que privilegia a segurança e emite alertas sob a forma de vibrações específicas para alertar o condutor da aproximação de eventuais perigos, um modo Desportivo, que transmite ao condutor informações recolhidas pela IMU, a unidade de medição de inércia, como por exemplo avisos da aproximação do limite máximo de inclinação, ou de travagem, e um modo Eufórico, que permite que qualquer música seja literalmente sentida ao longo do corpo.

andardemoto.pt @ 17-11-2018 19:15:53