Honda com planos para usar injeção direta na nova Africa Twin 1100?

Novas patentes mostram que a Honda está a pensar num sistema de injeção direta de combustível. A primeira moto a poder usar este sistema será a nova Africa Twin 1100, que vê o seu motor mais modificado do que inicialmente previsto.

andardemoto.pt @ 2-9-2019 20:36:26

O que parecia ser um “simples” aumento de cilindrada na nova Africa Twin para 2020, afinal pode ser uma mudança mais radical. De acordo com o website MoreBikes, a Honda apresentou uma patente para um sistema de injeção direta para o motor da maxitrail japonesa.

Já é sabido desde há algum tempo que o motor bicilíndrico da atual Africa Twin vai aumentar de cilindrada para perto dos 1100 cc. Isso, em conjunto com um novo sistema de escape, permitiria à Honda passar facilmente os testes de homologação Euro5.

Porém, a nova patente mostra que a Africa Twin 1100 poderá receber um motor bicilíndrico com alterações mais profundas.

A grande novidade é que a Honda patenteou um sistema de injeção direta de combustível.


Injeção direta de combustível é utilizada no mundo das quatro rodas há bastante tempo. A grande diferença entre injeção direta e indireta está, basicamente, no ponto onde ocorre a referida injeção do combustível.

Na injeção indireta ocorre ainda no coletor de admissão, fora do cilindro. No sistema direto, o combustível é injetado diretamente no interior da câmara de combustão, permitindo uma queima mais eficiente. E, com isso, performance mais empolgante, com menor desperdício (leia-se: poluição).


Nos sistemas de injeção direta não há uma mistura prévia do ar e do combustível. O ar entra através dos coletores de admissão enquanto o combustível é adicionado com precisão pelos injetores. A posição do injetor permite uma otimização do chamado “spray” de combustível, que resulta numa combustão mais completa, gerando mais potência.

O problema de aplicar injeção direta nos motores das motos é o nível altíssimo de rotações que o motor de uma moto atinge, em comparação com um automóvel. Mas a Honda, aparentemente, terá solucionado esse problema, e confia que a Africa Twin 1100 pode mesmo usar esta mais-valia quando chegar à estrada em 2020.

Dos esquemas apresentados nesta patente a Honda revela que o motor da nova Africa Twin 1100 tem um novo desenho para a cabeça dos cilindros. O modelo atual conta com distribuição Unicam (uma única árvore de cames à cabeça), mas a nova Africa Twin contará com distribuição DOHC (duas árvores de cames à cabeça).

andardemoto.pt @ 2-9-2019 20:36:26