Indian Motorcycles - 100 anos de Scout

A Indian Scout celebra o seu centésimo aniversário. Veja aqui a história deste modelo icónico.

andardemoto.pt @ 24-3-2020 06:57:00

Foi nos idos de 1897 que George M. Hendee começou a produção de bicicletas na sua recém formada empresa Hendee Manufacturing Company. Mas foi só em 1901, que o ex-campeão de ciclismo decidiu contratar Oscar Hedstrom para que este concebesse um motor de combustão interna, a gasolina, para aplicar nas suas bicicletas. Foi nesse ano também que a empresa mudou as suas instalações para Springfield.

Batendo diversos recordes de velocidade e vencendo muitas corridas, chegou o ano de 1906, em que foi apresentado ao mundo o primeiro motor V-Twin americano, que com uma configuração de dois cilindros em “V” a 49º  tinha uma cilindrada de 39 polegadas cúbicas (633cc).

A primeira década do século XX ficou marcada por um enorme desenvolvimento tecnológico da Indian, com inovações como a suspensão dianteira com mola de lâminas de aço, bombas de óleo automáticas, transmissão com caixa de duas velocidades, motor de arranque eléctrico, suspensão traseira com braço oscilante e iluminação. 

Mas foi em 1919 que a ainda Hendee Manufacturing Company apresentou ao mundo a moto que viria a tornar-se num mito: a Indian Scout, uma moto desenhada por Charles B. Franklin, que se revelou extremamente fácil de conduzir e manobrar, muito fiável e que foi responsável por criar inúmeros adeptos do motociclismo, tendo-se mantido em produção durante 30 anos (até 1949). 



Na época, a Scout era a única moto americana cujo “V-Twin” tinha a transmissão primária (a caixa de 3 velocidades) acoplada ao motor, eliminando assim a necessidade de manutenção frequente. A cilindrada dos primeiros motores era de apenas 37 polegadas cúbicas (606cc) mas, a partir de 1927, com a primeira  remodelação do modelo, a Scout 101, os cilindros aumentaram de tamanho para 45ci (745cc).

A Indian Scout 101, foi considerada a melhor moto da Indian de sempre, pois as suas características tornavam-na na moto de eleição para os “Hillclimbers” e para os “Stunters”, sendo que ainda nos dias de hoje há algumas dessas motos a exibirem os seus dotes em espetáculos de “poço da morte”.
Em 1928 a Scout 101 recebeu travão na roda dianteira, tendo-se mantido inalterada até 1932. Devido à Grande Depressão económica que afectou a América durante os anos 30 do século XX, a Indian enfrentava grandes dificuldades financeiras, e o exclusivo quadro da 101 tinha uma construção demasiado onerosa. 

Por isso, em 1931, a Indian reconverteu a sua gama, dotando a Scout (agora em versão denominada Standard) do mesmo quadro que já equipava as Chief e outros modelos. Apesar de mais pesada e menos ágil, manteve o então considerado indestrutível motor “V-Twin” de 45ci (745cc) que tornou as Indian tão afamadas.

Ainda hoje há imensas Indian Scout em funcionamento, equipadas com este motor, como é o caso da Indian Scout Standard modelo de 1933 que ilustra este artigo e cujo orgulhoso proprietário (português) continua a conduzir regularmente.
A verdade é que a Standard não era tão performante como a 101 e, por isso, em 1934 a Indian apresentou a Sport Scout. Apesar de ainda ser 7 quilos mais pesada que a Scout 101, a Scout Sport com o seu quadro mais leve, dividido em duas partes ambas ancoradas no motor, apresentava-se muito mais manobrável que a Standard, e voltou a conquistar vitória para a marca, precisamente na primeira edição da Daytona 200, em 1937.


Em 1940 a Scout Sport foi equipada com guarda-lamas envolventes, um assento mais baixo, uma maior inclinação da forquilha e ainda uma suspensão na roda traseira.
Entretanto deflagrou a Segunda Grande Guerra Mundial, que marcou definitivamente o futuro da marca. Apesar de a Indian ter contribuído para o esforço de guerra, as Scout Sport, fabricadas em versão “army” totalizaram apenas 2500 unidades, e foram usadas apenas em bases americanas. 
Depois do final da guerra a Indian passou por diversos reveses, e apenas saiu do esquecimento quando, em 2011 o gigante Polaris comprou a marca e começou a produção em moldes actuais. 

A Indian Scout renasceu em 2015, com o modelo que agora bem conhecemos, e que apresenta a versão normal, com motor 1133cc e que tem uma variante “bobber”, e a versão Sixty, com apenas 999cc. 
Para celebrar os 100 anos da Scout a Indian lançou recentemente no nosso mercado a versão comemorativa, com acabamentos e pintura especiais, que pode ver acima.

Pode ficar a conhecer todos os pormenores sobre a Indian Scout 100th anniversary se clicar aqui.

andardemoto.pt @ 24-3-2020 06:57:00


Clique aqui para ver mais sobre: MotoNews